Diário da Manhã

sexta, 23 de agosto de 2019

Notícias

Agosto Dourado incentiva campanhas em prol da amamentação

Agosto Dourado incentiva campanhas em prol da amamentação
09 agosto
11:08 2019

Leite humano é o único alimento capaz de oferecer todos os nutrientes na quantidade exata de que a criança precisa

Ele garante o melhor crescimento e desenvolvimento dos bebês não existindo nenhum outro alimento capaz de substituí-lo. Desde 1992, o planeta celebra a Semana Mundial de Aleitamento Materno, em agosto. Este ano o lema da Semana Mundial é “Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação, hoje e para o futuro”.

A Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS) está alinhada com esse tema e acredita que a importância da amamentação está mais presente hoje nos conhecimentos e práticas das mães e dos pais, como os principais cuidadores e responsáveis pela criança e consequentemente por toda a sociedade. Com isso, é possível garantir condições ideias para que as crianças, hoje e no futuro, possam desfrutar de todos os benefícios da amamentação.

- Acreditamos que alguns avanços devem ser considerados. Existe atualmente mais acesso à informação e as mães buscam as redes sociais também para apoio e informações para manter a amamentação e/ou superar algumas dificuldades que possam ocorrer. Ainda temos muito, sim, a avançar, especialmente no atendimento de pré-natal, sala de parto e maternidade. As equipes de saúde devem ter uma mesma linguagem e fornecer apoio, cuidados e atenção para as mães iniciar e manter a amamentação. As campanhas nacionais (como o Dia da Doação de Leite Materno, a Semana Mundial da Amamentação e o mês de Agosto Dourado) dão também visibilidade para o público em geral da importância da amamentação e do leite materno para as crianças e suas famílias – afirma o médico da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS), e membro do Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria, Roberto Mário Issler.

Fatores ambientais são, ainda, complicadores no processo. O médico lembra que há falta de preparo dos profissionais de saúde. É preciso promover a qualificação dos profissionais da atenção básica para atender as mulheres após a saída da maternidade.

- A grande maioria dos problemas acontece após a alta hospitalar. É preciso apoio e informação para as mulheres manter a amamentação após o final da licença maternidade. Além disso, incentivar a sensibilização das empresas e das escolas infantis para garantir que as mães possam retirar o seu leite e assim manter a lactação ao mesmo tempo em que oferecem seu leite para os seus filhos – completa.

A orientação da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Organização Mundial de Saúde é de promover amamentação exclusiva até o sexto mês de vida da criança e a partir daí iniciar a introdução da alimentação complementar saudável e manter a amamentação até dois anos ou mais. As mães devem receber cuidados adequados e informação sobre como iniciar e manter a amamentação desde seu pré-natal. O ambiente e as condições das maternidades (onde ocorre a quase totalidade de nascimentos no Brasil) devem ser adequados, acolhedores e bem preparados para receber a família e as crianças no momento do seu nascimento. A mãe deve ser respeitada e ouvida em seus desejos, suas dúvidas e suas necessidades nesse momento tão especial. O médico reforça que as práticas hospitalares devem favorecer (e não dificultar!) o início adequado e a manutenção do aleitamento materno.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções