Diário da Manhã

quinta, 01 de outubro de 2020

Notícias

Areal registra aumento de casos de coronavírus

16 setembro
08:42 2020

Segundo dados analisados pelo Observatório de Segurança Pública, o bairro teve crescimento de 1,3% no percentual de confirmações para o coronavírus em uma semana 

A partir dos dados registrados pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o Observatório de Segurança Pública divulgou mais uma análise do zoneamento de casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus em Pelotas. Até o dia 10 de setembro, o maior número de infectados permanece no bairro Fragata, mas o Areal foi a região com maior aumento no percentual de confirmações no período.

O levantamento feito pelo Observatório de Segurança apontou crescimento de 1,3% no percentual de incidência de casos positivos no bairro Areal em sete dias. Na semana passada, a região perfazia 17% das confirmações e, na última análise, alcançou 18, 3%.

O Fragata ainda permanece como o bairro com o maior índice de casos positivos, com 24,3% do total de confirmações do Município. A região ainda apresentou um pequeno aumento no percentual, 0,2%, se comparado à análise anterior. As Três Vendas, mesmo sendo a segunda área que apresenta maior incidência, com 21,6%, teve uma leve redução em relação à semana passada – 0,4%.

O Centro da cidade apresenta 17,5% do total de infectados em Pelotas, também com redução de 0,8% no índice, se confrontado com a semana anterior. A região do São Gonçalo aparece com 7,7% das confirmações; Laranjal – 3,7%; Colônia – 1,9%; e Barragem 1,8%. Os casos de endereço não confirmado correspondem a 3,2% de infectados pelo coronavírus no Município.

Município atualiza perfil dos infectados por coronavírus

Profissionais da saúde, trabalhadores do comércio e aposentados seguem como as categorias mais afetadas pelo coronavírus em Pelotas, de acordo com a análise de dados realizada pelo Observatório de Segurança Pública, em parceria com a Vigilância Epidemiológica, divulgado nesta terça-feira. Juntos, os três grupos somam 1.353 pessoas infectadas – número que corresponde a mais de 43% do total de atingidos pela doença. O estudo toma como base os 3.131 casos de Covid-19 confirmados até o dia 10 de setembro pela Vigilância Epidemiológica.

Confira as profissões mais expostas

De acordo com o levantamento, as atividades mais expostas ao coronavírus em Pelotas são:

·         Profissionais da saúde: 570 casos (18,21%)

·         Comerciário/atendente: 392 casos (12,5%)

·         Aposentado: 391 casos (12,5%)

·         Estudante: 221 casos (7,1%)

·         Do lar: 172 casos (5,5%)

·         Construção civil: 125 casos (4%)

·         Profissional de transporte: 94 casos (3%)

·         Profissional de segurança: 88 casos (2,8%)

·         Administrador/empresário: 81 casos (2,6%)

·         Prestador de serviço: 80 casos (2,6%)

·         Profissional da indústria: 79 casos (2,5%)

·         Profissional da educação: 76 casos (2,4%)

·         Desempregado: 70 (2,2%)

·         Autônomo: 65 casos (2,1%)

·         Servidor público: 65 casos (2,1%)

·         Criança sem idade escolar: 52 casos (1,7%)

DO TOTAL de confirmados, 205 pessoas (6,5%) não informaram sua ocupação à Vigilância Epidemiológica. Estudantes e do lar, teoricamente dois grupos que teriam possibilidade de cumprir o isolamento social por mais tempo, chamam a atenção por estarem entre os perfis mais impactados pelo vírus. Crianças sem idade escolar, de zero a quatro anos, que representam 1,7% dos casos, com 52 confirmações, também se incluem nesse grupo, que deveria estar em casa para se proteger da Covid-19.

Ocupações menos atingidas

Entre as profissões com menor número de casos de Covid-19 estão a de pescador, líder religioso, economista, biólogo, pesquisador, músico, profissional de comunicação, profissional da tecnologia, contador, veterinário e profissional portuário, que somam cerca de 1,9% do total de infecções, com 56 casos.

Mapa contágio

 

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções