Diário da Manhã

segunda, 11 de novembro de 2019

Notícias

Avançam obras de saneamento na zona norte

Avançam obras de saneamento na zona norte
24 fevereiro
16:56 2014
Serão colocados 3,50 metros de esgoto

Serão colocados 3,50 metros de esgoto

A prefeitura prossegue com as obras de construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Novo Mundo, localizada na avenida Francisco Caruccio, zona norte da cidade. O trabalho está na fase inicial de aterro e compactação do platô, quando finalizado deverá atingir a cota 3,50 metros, o que deve levar em torno de trinta dias para conclusão dessa etapa e início da obra civil.

A ETE Novo Mundo receberá os efluentes coletados pelo Coletor Geral -3 (CG3), rede coletora com obra já concluída, com 13 mil metros, que vai beneficiar moradores do bairro Três Vendas, regiões do Sítio Floresta, Vila Princesa, Pestano, Lindóia, Py Crespo e Santa Terezinha. Apesar da rede pronta, as ligações somente serão liberadas após a conclusão da ETE, adianta o engenheiro do Sanep Eduardo Etchegaray Niemczewski.

A primeira etapa da ETE, explica Niemczewski, é composta por dois módulos com capacidade de tratamento de 100 litros por segundo cada um, totalizando 200 litros por segundo. O Projeto de esgotamento sanitário desta área da cidade está sendo desenvolvido com recursos na ordem de R$ 2,9 milhões, do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC.

Como vai funcionar a ETE Novo Mundo

Os esgotos coletados chegam a ETE onde recebem o primeiro gradeamento grosseiro para proteger as bombas contra entupimento. Depois de bombeado para a parte mais alta da Estação, os esgotos passarão pelo sistema de gradeamento fino. Após, serão encaminhados para os desarenadores longitudinais. Nessas unidades a areia é separada dos esgotos por sedimentação.

Depois de tratado, o líquido de transbordo dos decantadores será lançado no Canal Santa Bárbara

Depois de tratado, o líquido de transbordo dos decantadores será lançado no Canal Santa Bárbara

Posteriormente, os esgotos serão encaminhados para os Reatores de lodo ativado, adaptados para remoção biológica de nutrientes. Tais reatores estão divididos em três câmaras, anaeróbia, anóxica e aerada. A primeira receberá os esgotos afluentes, nessa câmara, sem a presença de oxigênio e com matéria orgânica, ocorrerá então à liberação metabólica do fósforo armazenado nas bactérias desfosfatantes.

Após, esta mistura passa para a câmara anóxica, onde receberá também a recirculação interna do lodo da câmara aerada, já com o nitrogênio nitrificado. Nesta câmara ocorrerá a transformação, por bactérias desnitrificantes, do nitrato para nitrogênio gasoso, que será liberado para atmosfera.

Esta mistura, explica Niemczewski, passará para a câmara de aeração, onde a matéria orgânica e o fósforo serão assimilados, armazenados e metabolizados e o nitrogênio amoniacal será transformado em nitrato por bactérias nitrificantes. Para aumentar a remoção de fósforo foi previsto a aplicação de coagulante metálico na entrada do reator, na câmara anaeróbia, de forma a atender a eficiência de remoção e fósforo prevista na legislação ambiental.

A matéria orgânica, por sua vez, será transformada pelas bactérias em lodo, gás carbônico e água. A mistura que sai dos reatores será encaminhada para os decantadores secundários para separar o lodo do esgoto já tratado. O líquido de transbordo dos decantadores, já tratado, será lançado no Canal Santa Bárbara.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções