Diário da Manhã

sexta, 18 de setembro de 2020

Notícias

BRA-PEL : Pelotas vence na despedida do Gauchão

BRA-PEL  : Pelotas vence na despedida do Gauchão
03 agosto
08:32 2020

O Esporte Clube Pelotas venceu o Bra-Pel de número 364. No sábado (1º), na Boca do Lobo, no primeiro clássico pelotense sem público na história, o time Azul e Ouro venceu o maior rival, o Grêmio Esportivo Brasil, pelo placar de 2×1. Foi o jogo atrasado da 4ª rodada de classificação da Taça Novelletto, o segundo turno do Campeonato Gaúcho, quando os times de um grupo enfrentam os de outro. O encontro serviu de encerramento do Gauchão para os times da Princesa do Sul.

Todas as demais equipes já haviam finalizado essa etapa e coube a Pelotas e Brasil jogarem por último. O duelo não tinha grandes pretensões na tabela geral do Campeonato Gaúcho 2020. Ambos estavam eliminados da Taça Novelletto, sem acesso às semifinais. Na classificação geral, o Brasil estava assegurado em 9º e o Pelotas tinha remotas chances de deixar a lanterna, a 12ª posição. Por conta disso, o Xavante usou o seu time predominantemente reserva e acabou pagando com a derrota.

Xavante usou o seu time predominantemente reserva e acabou pagando com a derrota. Foto: CARLOS INSAURIAGA/GEB

Xavante usou o seu time predominantemente reserva e acabou pagando com a derrota. Foto: CARLOS INSAURIAGA/GEB

Sem transmissão

Os primeiros 30 minutos do Bra-Pel ficaram sem transmissão na Boca do Lobo. Em partida sem público, de portões fechados, a bola rolou às 15h de sábado, mas a promessa de câmera gerando imagens pelo site do Globo Esporte não estava sendo cumprida. Por conta desses problemas técnicos, as rádios, que não poderiam acessar o estádio do Pelotas para transmitir, tiveram que adaptar a programação ao bate-papo esportivo, sem informar aos ouvintes o lance a lance do clássico.

Quando foi retomado o sinal, se viu um jogo aberto, com as duas equipes com oportunidades. No Brasil, houve a estreia de Guilherme Dellatorre no ataque envolto de reservas. No Pelotas, os desfalques eram Fábio Alemão e Mateus Santana, expulsos contra o São José. O goleiro áureo-cerúleo foi Ravel, estreante que aniversariou no domingo, com o triunfo no clássico como presente.

Vitória do Lobão na bola parada

Os gols surgiram no segundo tempo. No começo da etapa, escanteio da esquerda e Alex Henrique, o centroavante, desencantou. De cabeça, antecipou à zaga xavante e colocou na rede: primeiro gol dele pelo Pelotas.

O Brasil do técnico Hemerson Maria colocou a bola no chão em busca do empate, mas conseguiu também na bola aérea. Falta da meia direita e Luis Felipe, o zagueirão, estava ali para desviar de canhota na pequena área: 1×1.

As substituições foram bastantes aproveitadas, como de costume pela nova regra, que permite cinco trocas em cada equipe. O Brasil se descaracterizou ainda mais da titularidade, mas detalhe para Hemerson apostar nos jovens. Jacone e Luiz

Henrique foram titulares na partida e o menino João Siqueira entrou no segundo tempo.

Porém, em novo escanteio da esquerda, a zaga rubro-negra falhou novamente no jogo aéreo. Dessa vez, após o primeiro toque de cabeça, a bola encontrou Ramires, que fuzilou para as redes: 2×1 para o Pelotas, no placar final.

FICHA TÉCNICA: PELOTAS 2×1 BRASIL

PELOTAS: Ravel; Moisés, Felipe Chaves, Wendel, Vini Garcia; Gabiga, Ariel, Ramires; Daniel Costa, Hugo Sanches e Alex Henrique. Técnico: Ricardo Colbachini.

BRASIL: Rafael Martins, João Ananias, Camilo e Luís Felipe e Bruno Santos; Jacone, Revson e Sousa; Wellington Simião, Luiz Henrique e Dellatorre. Técnico: Hemerson Maria.

ÁRBITRO: Anderson Daronco, auxiliado por Fabricio Baseggio e Lucio Flor.

LOCAL: Boca do Lobo

HORÁRIO: 15 Horas do Sábado, 1º de Agosto.

GOLS: Pelotas: Alex Henrique e Ramires. Brasil: Luis Felipe

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções