Diário da Manhã

domingo, 05 de julho de 2020

Notícias

Calendário Alternativo da UFPel inicia nesta segunda (22)

21 junho
14:54 2020

Começam no dia 22 as atividades remotas promovidas no Calendário Alternativo da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). O novo momento tem o respaldo do Comitê UFPel Digital, criado para elaborar políticas e avaliar questões técnicas da área. Professores, estudantes e técnico-administrativos podem encontrar suporte e apoio para seus anseios no Núcleo de Apoio a Tecnologias Educacionais (NATE), que integra o UFPel Digital e tem a missão de prestar auxílio à comunidade acadêmica no uso de plataformas e ferramentas digitais no ensino de graduação e de pós-graduação.

A UFPel tem 7.546 alunos de graduação matriculados no Calendário Alternativo, cerca de 41% do total de seus estudantes. Na pós-graduação, são 1.814 matriculados, o que representa mais de 70% de adesão. As atividades vão até 12 de setembro.

Instituído para construir bases de apoio técnico, instrumental e pedagógico principalmente relacionados ao Calendário Alternativo, o Comitê é composto, além do NATE, pelas Pró-Reitorias. Para a pró-reitora de Ensino, Maria de Fátima Cóssio, a intenção é que a política criada no cenário de excepcionalidade possa caminhar para uma consolidação. A importância do apoio de ferramentas remotas é cada vez mais evidente, explica, já que não se sabe por quanto tempo a necessidade de isolamento social irá se manter. A projeção é que, mesmo após o retorno das atividades presenciais, uma série de medidas deverão ser tomadas para evitar aglomerações. “Os professores certamente precisarão usar essas ferramentas no dia a dia em suas futuras aulas presenciais. A Universidade vai, assim, construindo possibilidades didático-pedagógicas. Temos muito ainda a produzir. O Calendário Alternativo é a vivência inicial”, pontuou.

O pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, Flávio Demarco, avalia que o momento é desafiante e grande parte das instituições de ensino superior do mundo não deve retomar as atividades presenciais ainda neste ano. “Estamos passando por uma série de desafios que não estavam previstos e isso talvez vá moldar o ensino a partir de agora”, observou, destacando que a Universidade conseguiu de forma relativamente rápida criar um polo de trabalho e discussão que provavelmente vai se estender a longo prazo.

A imersão nas possibilidades digitais também é destacada pela pró-reitora de Extensão e Cultura, Francisca Michelon. “Uma UFPel Digital é um futuro. Nossa presença aqui é uma aposta”.

O cenário também é desafiador para a área tecnológica, em especial redes e infraestrutura, analisa o pró-reitor de Gestão da Informação e Comunicação, Júlio Mattos. Além disso, qualificação e integração de sistemas também estão trabalhando a pleno para atender as exigências do momento. Um exemplo é o “novo Moodle”, o E-Aula – que além das melhorias técnicas agregou novas funcionalidades, como a integração ao Cobalto e a webconferência (saiba mais aqui). “Vai ser um legado de novo uso de ferramentas. Vai ser um ‘despertar’”, projeta, destacando que ainda há muito trabalho à frente.

Calendário tem apoio do UFPel Digital

Calendário tem apoio do UFPel Digital

Na pós-graduação
Para o coordenador de Pós-Graduação, Rafael Vetromille-Castro, a pós-graduação teve a manutenção de grande parte da oferta, o que terá forte impacto na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Em princípio, o órgão manteve os prazos avaliativos e o quadriênio encerra em 2020. Como o processo é comparativo, os cursos que pararem suas atividades possivelmente serão prejudicados numa futura avaliação. “É importante que tenhamos tido adesão ao Calendário Alternativo na pós-graduação”, disse. Ele destacou ainda a matrícula on-line da pós (que não existia anteriormente – saiba mais aqui) e a proximidade com os coordenadores para esclarecer dúvidas e oferecer suporte.

Preparando os docentes
Outro destaque são as ações de formação para professores, lideradas pela Coordenação de Pedagogia Universitária (CPU). Diversos formatos estão sendo utilizados para trazer conhecimento e debate sobre o tema. Já foram propostas duas Jornadas, que trouxeram desde formações em Moodle, por exemplo, até atividades gerais com compartilhamento de experiências de pessoas que já trabalham com ensino remoto, da UFPel e de outras instituições. Lives nas redes sociais também estão sendo propostas.

De acordo com o coordenador da CPU, Eduardo das Neves Filho, a Pedagogia Universitária trabalha junto ao NATE e ao Grupo de Interlocução Pedagógica (GIP) para, junto aos docentes, identificar necessidades prementes e estimular multiplicadores. “Estamos trabalhando em duas frentes: uma para identificar formações necessárias e outra para mobilizar afetivamente professores, técnicos e estudantes para o aprendizado de lidar com ferramentas com as quais não tínhamos prática até então”, disse.

Uma porta para bater
Um espaço criado para oferecer apoio e segurança a professores e alunos. Essa é a natureza do Núcleo de Apoio a Tecnologias Educacionais (NATE), onde a comunidade acadêmica pode “bater à porta” para receber auxílio técnico e pedagógico e de uso das ferramentas e plataformas digitais. “Não adianta disponibilizarmos tecnologia e disposições pedagógicas e deixarmos as pessoas à deriva. Ainda não temos uma cultura de ensino remoto. O Núcleo vem suprir as demandas e dar um pouco de alento”, explica a coordenadora do NATE, professora Rosaura Espírito Santo da Silva. Composto por dois professores e 30 bolsistas – que devem começar as atividades em breve –, o NATE prepara material de informação tecnológica e pedagógica, como, por exemplo, como fazer um plano de ensino e melhores práticas. Tudo estará disponível na página do UFPel Digital, incluindo normativas, regramentos, orientações e, claro, canal de atendimento. Segundo a coordenadora, as demandas e feedbacks da comunidade serão fundamentais para permitir ao Núcleo trabalhar de forma direcionada. Além disso, o NATE está criando uma rede colaborativa para congregar pessoas com experiência e engajamento na educação remota em um Conselho para colaborar nas propostas. “Estamos com uma expectativa muito boa para dar segurança a professores e alunos”, destacou.

Orientações e informações
O site UFPel Digital, que reúne normativas, editais, materiais de apoio, sistema e-aula, entre outras informações, foi lançado para oferecer orientações e esclarecimento a professores, estudantes e técnico-administrativos. Acesse aqui. O contato com o NATE pode ser feito pelo e-mail [email protected].

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções