Diário da Manhã

domingo, 09 de dezembro de 2018

Notícias

CAMETÁ X COLLAÇO : A dúvida de Dal Pozzo

07 agosto
08:29 2018

A atuação de Tiago Cametá diante do Goiás – mesmo improvisado na lateral-esquerda – cria uma questão para Gilmar Dal Pozzo pensar e repensar nesta semana. Mantém Cametá na posição ou promove a volta do titular Bruno Collaço, que estava suspenso no jogo passado? Essa é uma das consequências do bom rendimento do time na vitória reabilitadora de sábado, o qual permitiu que o time pudesse finalmente sair da zona de rebaixamento da Série B do Brasileiro.

Tiago Cametá parte para cima de um grandalhão: atuação de luxo

Tiago Cametá parte para cima de um grandalhão: atuação de luxo

O curioso é que o Brasil contava com apenas Collaço para o lado esquerdo da defesa e, por isso, contratou Alex Ruan na semana passada. Justamente quando o grupo passa a contar com dois especialistas para a posição, a improvisação de Cametá traz uma nova possibilidade para a camisa 6.

As coisas estão mudando no Bento Freitas. Tanto que Dal Pozzo irá contar com todo o grupo (desde que seja regularizada a situação legal de Alex Ruan e Diego Miranda, os últimos contratados) para a partida de sábado, às 16h30, diante do São Bento, em Sorocaba. Com exceção da dúvida na lateral-esquerda, o restante do time deve ser o mesmo que jogou com o Goiás.

Vem aí o líder dos empates

O próximo adversário do Brasil, o São Bento, foi o último a perder a invencibilidade na Série B do Brasileiro. A primeira derrota só chegou na 12ª rodada, quando perdeu para o Londrina por 1 a 0 em Sorocaba. No entanto, a equipe paulista tinha vencido apenas três vezes, já se caracterizando com o “líder dos empates” na competição. O São Bento mantém esse título – agora ao lado do Juventude -, com nove empates.

Depois que a “porteira” foi arrombada, o São Bento perdeu quatro partidas na sequência. A quinta derrota ocorreu no sábado, quando caiu por 1 a 0 para o Vila Nova em Goiânia. O time de Sorocaba ganhou apenas cinco partidas na competição, o que puxa a campanha para baixo – sempre rondando a zona de rebaixamento, embora sem se fixar o G-4.

Paulo Roberto Santos começou a Série B como o técnico mais longevo das duas principais divisões do futebol brasileiro. Não resistiu muito. Foi demitido em junho. Marquinhos Santos assumiu o posto.

CLASSIFICAÇÃO DE 2017

No ano passado, o Brasil fechou o primeiro turno da Série B do Brasileiro, somando 24 pontos na 13ª posição – distância de quatro pontos para a zona de rebaixamento. Na atual edição da competição, o time xavante tem menos três pontos e três posições a menos, encontrando-se no limite do Z-4.

Em 2017, o Figueirense abria a zona de rebaixamento, com 20 pontos ao final da 19ª rodada (a última do primeiro turno). Agora a 17ª posição está com o Londrina, que tem 21. Dos quatro últimos colocados do turno, três foram rebaixados ao final da competição. Só Figueirense escapou e o Santa Cruz caiu.

Na parte de cima da tabela, a situação é semelhante à do ano passado. Em 2017, o América/MG liderava a Série B ao final do turno, com 36 pontos – três a mais do que o Internacional. Entre os três melhores colocados houve também uma única mudança no segundo turno: o Paraná desbancou o Vila Nova.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções