Diário da Manhã

quinta, 18 de julho de 2019

Notícias

Campanha nacional lançada no RS valoriza patrimônio cultural

Campanha nacional lançada no RS valoriza patrimônio cultural
08 fevereiro
10:33 2019

O Rio Grande do Sul, juntamente com Santa Catarina e Paraná, receberá atenção especial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) neste ano.

A valorização do patrimônio cultural, sem deixar de lado os aspectos turístico e econômico, será o objetivo da campanha “Patrimônio Cultural do Sul: Turismo Cultural como ativo para o desenvolvimento das cidades históricas”, lançada  ontem, no Palácio Piratini.

Em outubro deste ano, o Iphan também celebrará a Semana do Sul, na qual ocorrerá a entrega do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, a maior festa do Patrimônio Cultural Brasileiro. Porto Alegre sediará o Seminário Internacional sobre Potencial Turístico do Patrimônio Cultural: desafios e estratégias, e também vai ser palco do lançamento da Revista do Patrimônio, publicação editada pelo Iphan desde 1937. Paralelamente ao seminário, haverá o 6º Encontro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial. O evento Semana do Sul terá, ainda, reunião do Conselho Consultivo para deliberar sobre o reconhecimento de outros bens culturais da região como Patrimônios Culturais Brasileiros.

GOVERNADOR Eduardo Leite elogiou a iniciativa do Iphan

GOVERNADOR Eduardo Leite elogiou a iniciativa do Iphan

BENS DA REGIÃO SUL

A região Sul possui mais de 150 bens tombados individualmente, e 13 conjuntos urbanos tombados pelo Iphan. Há, também, quatro patrimônios imateriais registrados, dois deles no Rio Grande do Sul – a Tava, lugar de referência para a memória e a identidade do povo Guarani, e as Tradições Doceiras da região de Pelotas. No Paraná, há o Fandango Caiçara, e em Santa Catarina, a Procissão do Senhor dos Passos.

Cinco bens arqueológicos tombados também pertencem à região Sul – a Coleção Etnográfica, Arqueológica, Histórica e Artística do Museu Coronel David Carneiro e a Coleção Etnográfica, Arqueológica, Histórica e Artística do Museu Paranaense, no Paraná, os Remanescentes do Povo e Ruínas da Igreja de São Miguel, no Rio Grande do Sul, e a Coleção Arqueológica João Alfredo Rohr e a Ilha do Campeche: sítio arqueológico e paisagístico, em Santa Catarina.

GOVERNADOR ELOGIA INICIATIVA

O governador Eduardo Leite elogiou a iniciativa do Iphan em trazer a Semana do Sul para Porto Alegre. “Temos de preservar o patrimônio por questões de valorização de identidade, de história e de cultura, mas a própria valorização depende de condições econômicas”, explicou. Para ele, o turismo e a valorização do patrimônio podem ser uma alavanca para o desenvolvimento econômico. “A movimentação econômica gera empregos e atrai riqueza, que ajudam a preservar o patrimônio e ainda devolvem à população aquilo que é investido na preservação”, argumentou.

O Iphan abre nesta sexta-feira (8) as ações na região Sul em 2019. A cidade de São Miguel das Missões celebrará o início da primeira etapa da obra de requalificação urbanística do entorno do Sítio de São Miguel Arcanjo, com investimento de cerca de R$ 3 milhões, e a entrega do certificado da Tava como Patrimônio Cultural do Mercosul.

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, que acompanhará a entrega do certificado, considera que o patrimônio cultural é a história materializada, que valoriza a autoestima e a beleza de uma região, além de impulsionar o desenvolvimento econômico. O Theatro São Pedro, em Porto Alegre, também é um ponto de turismo cultural no qual o ministro pretende investir.

A presidente do Iphan, Kátia Bogéa, explicou que, em 2018, o foco do instituto foi a região Nordeste. “Durante 2019, todas as ações do Iphan, prioritariamente, serão sobre os três estados da região Sul. Ninguém faz nada sozinho. Parceria é a palavra. Contamos com todas as instituições. O patrimônio é a nossa herança cultural e une todos nós”, declarou a presidente.

 

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções