Diário da Manhã

quinta, 18 de outubro de 2018

Notícias

CAPÃO DO LEÃO : Prefeito se defende das acusações que geraram pedido de cassação

26 julho
09:05 2018

“Não houve orientação no sentido de dificultar ou esconder qualquer tipo de informação, de quem quer que seja. O que houve foi falhas no processo de transmissão das informações pelos servidores responsáveis, e isso será apurado em processo administrativo”.

Assim, o prefeito de Capão do Leão, Mauro Nolasco (PT), justificou alguns fatos que impulsionaram um pedido de cassação do seu mandato, aprovado pela Câmara Municipal, na terça-feira desta semana.  O gestor disse ainda que problemas no site da prefeitura foram responsáveis pelo atraso na publicação de alguns documentos, mas que em nenhum momento houve irregularidades propositais, com prejuízos à comunidade. Os remanejamentos orçamentários também o foram feitos de forma legal.

MAURO Nolasco explica ocorrência de erros casuais na divulgação de informações

MAURO Nolasco explica ocorrência de erros casuais na divulgação de informações

É baseado na legalidade dos fatos ocorridos e apontados como ilegais que o prefeito petista não tem dúvidas que provará a lisura dos procedimentos constantes na acusação que culminou como o inicio do processo de cassação, pelo Legislativo. Na verdade, o gestor aponta o fato como uma tentativa de golpe articulada por um cidadão que não gosta dele. Refere-se ao bancário Adriano Hönicke, que apresentou as denúncias aos vereadores.

O fato de os vereadores da base do seu governo, inclusive dois do Partido dos Trabalhadores (PT) – Glei Rodales e Marco Aurélio – terem votados pela abertura do processo de cassação não preocupa o prefeito.

“Até isso: eu não orientei os vereadores para votar contra, pois tenho certeza que não há nada de errado para ser escondido. Mas vamos apurar a responsabilidade de quem deixou de realizar as publicações”, salientou, afirmando estar tranquilo por não ter cometido nenhuma irregularidade. E voltou a afirmar que atrasos nas publicações de atos governamentais não começaram na sua administração, apontando que quando assumiu a prefeitura, em janeiro de 2017 o site da prefeitura estava desatualizado desde o ano 2015.

NA TERÇA-FEIRA, a partir de denúncias elaboradas por Hönicke, a Câmara votou e aprovou por 9 votos a 1 a instalação de processo de cassação de Nolasco. Em dez dias, o Legislativo era de formar comissão para analisar as denúncias. E 90 dias para chegar a uma conclusão. O prefeito também terá dez dias para sua primeira manifestação oficial sobre as denúncias, além de amplo direito de defesa durante o processo.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções