Diário da Manhã

sábado, 20 de abril de 2019

Notícias

Comissão da Câmara cobra melhorias na saúde pública

Comissão da Câmara cobra melhorias na saúde pública
29 março
08:55 2019

A Comissão de Saúde da Câmara Municipal se reuniu com a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) para discutir a crise no Sistema Único de Saúde (SUS) na cidade.

Durante o encontro de quase duas horas foram debatidos temas como a falta de médicos nos postos de saúde, de medicamentos na Farmácia Municipal e a crise na Santa Casa.

O presidente da Comissão de Saúde, vereador Marcos Ferreira, o Marcola (PT) revela que dos 43 médicos cubanos, apenas 35 foram repostos e que ainda faltam entre 12 e 15 profissionais no programa Estratégia de Saúde da Família. Dessa forma moradores de várias áreas da cidade, especialmente da periferia e zona rural estão sem atendimento ou com o serviço precário. “Essa carência de médicos vai ter que resolvida, temporariamente, mesmo que seja com o rodízio de equipes ou equipes volantes para nenhuma comunidade fique sem atendimento”, argumentou Marcola.

A estratégia de montar equipes itinerantes e compartilhadas por mais de um posto começará a ser testada de modo experimental na próxima semana entre as UBS’s das colônias Osório e Corrientes. E deverá ser ampliada para o Posto Branco em breve. Se der certo, a tática pode ser expandida para outras unidades.

REMÉDIOS - A dificuldade da população em conseguir medicamentos básicos como antibióticos e antidepressivos também foi comunicada pelos vereadores à prefeita e admitida pelos técnicos da Secretaria de Saúde. “Tivemos problemas com os fornecedores, mas quitamos as dívidas e os estoques devem ser normalizados logo”, disse Leandro Thurow, secretário adjunto da Saúde.

SANTA CASA - Nos próximos dias a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas (PSDB), o presidente do Banrisul, Cláudio Coutinho e a direção da Santa Casa devem se reunir para discutir a data de início da auditoria que será realizada no hospital pelo grupo paulista Sírio Libanês. “Será uma auditoria da gestão hospitalar e financeira”, disse a prefeita que admitiu aos vereadores ser grande o risco de fechamento do hospital. “Há o risco real da Santa Casa fechar as portas e se isso acontecer, será o caos”, declarou antes de reafirmar que o município não tem interesse em assumir a gestão da instituição. “Não temos perna para isso”.

Participaram da reunião os vereadores Marcola (PT), Daiane Dias (PSB), Éder Blank (PDT), Salvador Ribeiro (MDB), Fernanda Miranda (PSOL) e Ademar Ornel (DEM).

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções