Diário da Manhã

quinta, 13 de agosto de 2020

Notícias

COMPETÊNCIA E SORTE : Três taças para Ítalo superar desconfiança

17 janeiro
08:27 2014

Em sete meses na presidência do Pelotas, Ítalo Gomes já ganhou mais títulos do que muitos dirigentes, que passaram por várias temporadas no comando do clube. Com acerto no trabalho, o dirigente teve a sorte de ser beneficiado por um calendário, que visa exatamente dar a chance de os times do interior (e os menores da Capital)  de serem campeões no Rio Grande do Sul – um estado dominado historicamente pela Dupla Gre-Nal. As taças dão respaldo a Ítalo para superar a desconfiança enfrentada no começo da gestão, especialmente em relação a sua juventude (ele tem 31 anos).

Ítalo Gomes entende que o Gauchão será o principal desafio de sua gestão: o divisor de águas Foto: Arquivo/DM

Ítalo Gomes entende que o Gauchão será o principal desafio de sua gestão: o divisor de águas
Foto: Arquivo/DM

No período de dois meses, o Pelotas foi campeão por três vezes: Copa Sul/Fronteira, Supercopa Gaúcha e Recopa. Antes havia acabado com o tabu de quase 10 anos sem vitória no Clássico Bra-Pel. Mas para Ítalo Gomes, o grande desafio de sua administração será o Campeonato Gaúcho, que começa neste sábado. “Vai ser o divisor de águas no Pelotas”, afirma. A seguir, o que pensa o dirigente:

DIÁRIO DA MANHÃ – Três títulos em dois meses. É fruto da competência, do acerto nas escolhas ou é sorte?

             ÍTALO – É um pouco de cada coisa. Da competência, das escolhas certas das pessoas que trabalham no clube, do treinador que nós temos, e também um pouco de sorte. É um pouco de tudo isso.

            DM – Eleito aos 30 anos, você observou desconfiança quanto à sua preparação para dirigir o clube?

            ÍTALO – A desconfiança sempre existe quando ocorre uma mudança. É normal. A desconfiança houve entre as pessoas mais velhas no clube e também na torcida. Mas acho que os títulos serviram para superar um pouco dessa desconfiança.

            DM – A resistência maior ocorreu entre os dirigentes mais tradicionais no clube?

            ÍTALO – Também. Principalmente por causa do Campeonato Gaúcho, sabendo da importância que esse campeonato tem. O Gauchão vai ser o divisor de águas da minha gestão.

            DM – E o que esperar do Pelotas neste Gauchão?

            ÍTALO – Vai ser um campeonato muito difícil. As equipes se preparam muito bem. Mas nós queremos conquistar uma vaga na Copa do Brasil, já que temos vaga assegurada na Série D do Brasileiro. O pensamento é chegar em uma semifinal de campeonato.

            DM – Quais os times serão os principais concorrentes do Pelotas pela classificação para a segunda fase?

            ÍTALO – Duas vagas são da Dupla Gre-Nal. Depois tem a Dupla Ca-Ju; o Veranópolis, que contratou bons jogadores, o Aimoré; o Esportivo, que será também um adversário difícil; o Novo Hamburgo, que está se acertado aos poucos, embora tenha perdido alguns amistosos. Vai ser um campeonato muito disputado.

            DM – Você já pensa em reeleição ou é uma questão para o futuro?

            ÍTALO – Não penso, até porque meu mandato vai até o final do Gauchão de 2015. É muito cedo, mas a ideia é não continuar depois desses dois anos. 

Velocidade de Garcia no ataque do Pelotas

Felipe Garcia será o comandante de ataque do Pelotas na partida deste sábado, diante do Esportivo, no Antonio David Faria, em Veranópolis, pela primeira rodada do Campeonato Gaúcho. Pelo menos foi o que sinalizou o técnico Paulo Porto no treino coletivo da tarde desta quinta-feira na Boca do Lobo. Já o meio-campo terá Felipe Guedes e Carlos Alberto juntos, num quarteto, que, em tese, é formado por quatro volantes.

Sem Gilmar e Rafael Santiago, lesionados, Porto poderia optar por Sandro Sotilli – um especialista da área adversária – ou pela força e velocidade de Felipe Garcia. A escolha foi pela segunda opção – e com justificativa: Garcia foi o grande destaque na vitória de 3 a 2 diante do Inter na segunda-feira, fazendo dois gols. Na nova formação tática, Jefferson joga mais à frente, fazendo a função de segundo atacante.

No meio-campo, Paulo Porto mantém Tiago Gaúcho como primeiro volante, liberando Felipe Guedes e César Santiago para serem os jogadores de saída pelos lados. Na função mais ofensiva do setor, a permanência de Carlos Alberto. Quem acabou saindo do time é Lucas, que foi expulso no jogo passado, mas não há nenhum impedimento legal dele participar desta próxima partida. O Pelotas deve começar o jogo na Serra, com Paulo Sérgio; Igor, Fred, Bruno Salvador e Carlos Alexandre; Tiago Gaúcho, Felipe Guedes, César Santiago e Carlos Alberto; Jefferson e Felipe Garcia.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções