Diário da Manhã

terça, 25 de junho de 2019

Notícias

Correios: 93,39% dos empregados continuam trabalhando

18 setembro
18:18 2013

Nesta quarta-feira (18), 93,39% do efetivo dos Correios (116.244 empregados) está trabalhando normalmente, apesar de 28 sindicatos terem deflagrado paralisação por tempo indeterminado em 22 Estados do Brasil. O número é apurado por meio de sistema eletrônico de presença. No Rio Grande do Sul, 84% do efetivo compareceram normalmente ao trabalho nesta quarta-feira, o que equivale a 6.717 empregados, apesar da entrada do sindicato de Santa Maria na paralisação. A rede de atendimento está aberta em todo País e todos os serviços estão disponíveis – com exceção da postagem, entrega e coleta de encomendas com hora marcada nos locais com paralisação deflagrada.

Correios05Em São Paulo, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Norte e Bauru (SP), não há paralisação — o movimento foi encerrado na sexta-feira (13) e esses sindicatos assinaram acordo com a ECT.

Para garantir a entrega de cartas e encomendas e o atendimento em toda rede de agências, a ECT continua aplicando medidas do seu Plano de Continuidade de Negócios. Entre as ações estão realização de horas extras, mutirões para entrega nos fins de semana e deslocamento de empregados entre as unidades.

Julgamento — O Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou ontem a distribuição do dissídio dos Correios para julgamento, em data a ser definida, apesar de todo esforço da ECT para fechar um acordo com as entidades sindicais.

A proposta dos Correios, que já foi aceita por 5 sindicatos, compreende reajuste de 8% nos salários (reposição da inflação do período, de 6,27%, com ganho real de mais de 1,7%); reajuste de 6,27% nos benefícios; vale-extra no valor de R$ 650,65, a ser creditado em dezembro e Vale-Cultura dentro das regras de adesão ao Programa implementado pelo Governo Federal.

Além disso, os Correios já asseguraram às representações sindicais que todos os atuais direitos dos trabalhadores em relação ao plano de saúde estão garantidos: manutenção dos atuais beneficiários (inclusive pais do empregado que já estão cadastrados), cobertura de procedimentos, rede credenciada, percentual de compartilhamento). Não haverá nenhum custo adicional, repasse ou mensalidade aos empregados.

A ECT também está avaliando a extensão dos testes de entrega matutina, hoje realizados em três Estados, e está finalizando a contratação do novo concurso público. O último concurso foi realizado em 2011 e mais de 19 mil novos trabalhadores foram contratados.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções