Diário da Manhã

quinta, 13 de agosto de 2020

Notícias

Correios realiza mutirão para entregar 2 milhões de correspondências no Estado

Correios realiza mutirão para entregar 2 milhões de correspondências no Estado
17 fevereiro
08:51 2014

No último fim de semana, os Correios do RS realizaram um mutirão para diminuir o número de 2 milhões de correspondências impactadas pelos 16 dias de paralisação parcial. Participaram empregados de todas as áreas da empresa.

No Rio Grande do Sul, o número de adesões caiu. Dos 8,6 mil empregados, 999 permanecem em paralisação, o que representa 11,5% do efetivo total da empresa no Estado. Na sexta-feira, 11 unidades não cumpriram a decisão do ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Márcio Eurico Vitral Amaro de manter efetivo mínimo de 40% por unidade. A multa diária para a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect) é de 50 mil reais por dia. Com a volta ao trabalho dos empregados da Bahia, permanecem na paralisação apenas 15 sindicatos em 13 Estados. A Empresa aguarda agora o julgamento da ação cautelar protocolada no TST contra a Federação para considerar a greve ilegal ao buscar alterar fato já decidido pelo TST. O ministro Márcio Eurico Vitral Amaro deve anunciar a data na próxima semana. Os Correios informam que todas as agências estão abertas e todos os serviços, inclusive o SEDEX, estão disponíveis — com exceção dos serviços de entrega com hora marcada em algumas localidades.

PLANO DE SAÚDE

Cerca de 45 mil autorizações foram solicitadas no plano CorreiosSaúde entre 13 de janeiro e 12 de fevereiro, no primeiro mês de operação da Postal Saúde, caixa de assistência e saúde dos empregados dos Correios. O plano passou a funcionar com sistema totalmente informatizado, já utilizado por 10% de toda a rede de beneficiários.

Anita Alves Ferrari, 66 anos, dependente do plano CorreiosSaúde, usou o novo cartão, e faz elogios. “Facilitou a minha vida, porque quando ainda não existia o cartão, as minhas filhas, que são empregadas dos Correios, pegavam as guias e levavam para autorização, traziam as guias para mim, e só depois eu podia ir para a consulta. Com o cartão foi tudo automático, na mesma hora. Até as atendentes gostaram da novidade”, disse.

11,5% do efetivo total do Estado está parado

11,5% do efetivo total do Estado está parado

Daniel Alves de Araújo, carteiro do Gama, cidade do entorno de Brasília/DF, é beneficiário da Postal Saúde. Sua dependente utilizou o cartão de identificação no Hospital Maria Auxiliadora para consulta de pediatria. Segundo Daniel, com a implantação da Postal Saúde o atendimento com o novo cartão foi eficaz e dispensou o uso de guias impressas: “Minha filha usou o cartão e o atendimento foi rápido”.

BENEFÍCIOS — O modelo adotado permite que os beneficiários participem do Conselho Deliberativo e Fiscal da caixa de assistência. Os beneficiários passam a ter poder para atuar diretamente na gestão e fiscalização da atuação da Postal Saúde, o que não ocorria na modalidade anterior.

O plano CorreiosSaúde continua com as mesmas regras, o que é uma garantia para os beneficiários. Além disso, resolução da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) define que nos casos de transferência de carteira a nova operadora não pode alterar os direitos dos beneficiários.

HISTÓRICO SOBRE A PARALISAÇÃO

A Direção dos Correios do RS esclarece que em 2013, foi assinado o Acordo Coletivo de Trabalho entre Correios e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) no Tribunal Superior do Trabalho durante o dissídio da categoria. Já neste acordo consta a não alteração do plano de saúde, a questão da entrega matutina e acordos sobre os mesmos questionamentos que os Sindicatos em greve estão colocando como pauta para a paralisação que está acontecendo agora. Ao todo 16 sindicatos em 14 Estados iniciaram o movimento de paralisação parcial no dia 31 de janeiro contra a Postal Saúde, que é uma caixa de assistência, patrocinada e mantida pelos Correios — e não um plano de saúde. Esclarecemos que Correios Saúde é o Plano de Saúde da empresa. Postal Saúde é a nova gestora do nosso Plano de Saúde.  Nenhum empregado perderá seus benefícios. Todas as atuais regras e condições do Plano Correios  Saúde serão mantidas. Isso inclui os beneficiários cadastrados, forma de pagamento, compartilhamento, rede credenciada, cobertura de procedimentos etc. Isso foi acordado entre Correios e Federação no Acordo Coletivo de Trabalho e assinado no TST.

Também no último acordo coletivo, os Correios acordaram com os Sindicatos em fazer estudos para viabilizar a entrega matutina. A entrega pela manhã envolve diversos fatores, desde o horário de postagem, tráfego aéreo, chegada da carga na unidade e prazo de entrega para o cliente. A mudança está sendo testada com 12 Centros de Distribuição em seis estados (São Paulo, Maranhão, Tocantins, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul). Estas unidades já estão atuando em horário matutino para que a empresa possa avaliar a logística necessária para essa implementação em todo o país. A previsão é de que o piloto seja concluído ainda no primeiro semestre de 2014 para posterior implantação.

Sendo assim, e, entendendo que a Empresa já está cumprindo com o que foi assinado no TST, os Correios entraram com uma ação cautelar no Tribunal contra a Federação para considerar a greve ilegal ao buscar alterar fato já decidido pelo TST. Na sexta-feira (7), o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Márcio Eurico Vitral Amaro, acatou parte do pedido dos Correios e concedeu liminar determinando que a Fentect garanta um efetivo mínimo de 40% em atividade em cada unidade da empresa, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

 

 

Comentários ()

Seções