Diário da Manhã

segunda, 24 de fevereiro de 2020

Notícias

Cruz de Prata é interditado pela Vigilância

Cruz de Prata é interditado pela Vigilância
14 fevereiro
08:09 2020

Pacientes da Clínica e Pronto Socorro Cruz de Prata, na avenida Fernando Osório, nas Três Vendas, foram pegos de surpresa na manhã de ontem quando procuram o estabelecimento hospitalar e deram de cara com o mesmo interditado pela Vigilância em Saúde(VS), órgão da Secretaria Municipal de Saúde (foto).

Com apoio da Guarda Municipal e Brigada Militar, agentes da VS estiveram no local para efetuar a interdição em função da não correção de várias irregularidades, a começar pelo alvará sanitário vencido desde setembro de 2019.

À falta do alvará somam-se a “falta de limpeza em banheiros e higienização de aparelhos de atendimento em fisioterapia”, dentre outras irregularidades. Além disso, havia a informação que pacientes da fisioterapia não conseguiam atendimento correto, em função da sobrecarga aos profissionais que atendem aos mesmos. Cerca de 370 pessoas são atendidas diariamente no setor de fisioterapia da clínica, que realiza atendimentos particulares, pelo Sistema Único de Saúde(SUS) e convênio com a Prefeitura de Pelotas.

Ação ocorreu na manhã de ontem

Ação ocorreu na manhã de ontem

No início deste ano, a equipe da VS teria realizado uma visita à Clínica e constatou uma série de irregularidades sanitárias, como falta de pias para lavar as mãos nos consultórios médicos, atendimento de fisioterapia realizado por estagiário, sem supervisão de profissional.

De acordo com o chefe da VS, Sidnei Jorge Junior, sobre o fato de a instituição estar sem documento exigido por lei desde o final de setembro, o estabelecimento teria ingressado com parte da documentação ainda em novembro, não concluindo o processo.

Em visita ao local, na terça-feira (11) a Vigilância constatou que as melhorias exigidas não haviam sido cumpridas. Com isso, o órgão comunicou à secretária de Saúde do município, Roberta Paganini, que até o final desta semana, o local seria interditado, o que causaria realocação de atendimentos pelo SUS realizados pelo Cruz de Prata, que tem até 15 dias para apresentar defesa e 90 dias para regularizar todas as pendências. Caso isso não ocorra, a interdição passa a ser definitiva.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções