Diário da Manhã

quinta, 02 de julho de 2020

Notícias

 Mais recentes

Diminui a incidência de crimes violentos em Pelotas

Diminui a incidência  de crimes violentos em Pelotas
04 maio
08:54 2020

Pelotas registra menor número de crimes violentos contra a vida desde 2015

Município permaneceu 28 dias consecutivos sem nenhuma ocorrência do tipo no mês de abril. Quadrimestre tem redução de 29% comparada ao ano passado. Pela primeira vez, desde 2015, Pelotas registra apenas um crime Violento Letal Intencional (CVLI) – homicídios, feminicídios, latrocínios, entre outros – durante um mês. Em abril, o município permaneceu 28 dias consecutivos sem nenhuma ocorrência do tipo. A última vez que algo semelhante aconteceu foi em setembro de 2018, quando a cidade ficou sem notificações de crimes contra a vida por 27 dias, de acordo com dados monitorados pelo Observatório Municipal de Segurança Pública.

A redução do quadrimestre, considerando o período entre 1º de janeiro e a manhã desta quinta-feira, 30 de abril, é de 29% comparada aos mesmos meses do ano passado. Enquanto em 2019, 24 CVLIs contra a vida foram registrados neste recorte de tempo, dezessete foram notificados em 2020 – cinco em janeiro, quatro em fevereiro, sete em março e um em abril.

pol 4 MAIO 2020 homicídios 2

Comparando-se o mês atual ao de anos anteriores, é possível identificar uma queda de até 90% no número de crimes. Em 2016, por exemplo, abril concentrou 11 casos do tipo. Em 2017, foram sete; em 2018, dez; e em 2019, cinco. Os homicídios dolosos também apresentaram redução de 57% do último ano para cá, comparando-se o primeiro quadrimestre do ano.

CONTRAMÃO – A diminuição vai na contramão do aumento evidenciado a nível nacional, recentemente noticiado no Brasil que, segundo o Índice Nacional de Homicídios, criado pelo portal G1, da Globo, houve acréscimo de 8% no número de homicídios nos dois primeiros meses de 2020, com 548 mortes a mais. A informação leva em conta dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. O Rio Grande do Sul é um dos sete estados do país que manteve suas tendências de queda nos primeiros dois meses do ano.

PANDEMIA – Para o secretário municipal de Segurança Pública, Samuel Ongaratto, dois fatores são essenciais para justificar o pequeno número de crimes neste mês: a pandemia do novo coronavírus, e a tendência de queda já evidenciada nos últimos dois anos em Pelotas. “O contexto atual nos impõe um cenário de distanciamento social, de restrição do comércio e de pessoas saindo menos nas ruas, principalmente, à noite. Isso impacta tanto nos crimes contra a vida quanto nos crimes patrimoniais, como o roubo a pedestre”, argumenta o secretário.

Apesar do momento atual – reflexo da Covid-19 em âmbito global –, contribuir para a redução de crimes, Ongaratto destaca que o histórico de indicadores decrescentes no município também precisa ser valorizado, neste caso. “Vínhamos, de 2002 a 2017, com aumento de aproximadamente 500% nos CVLIs em Pelotas. Com as ações de inteligência, integração e compartilhamento de informações desencadeadas pelo “Pacto Pelotas pela Paz”, vimos os números apenas caírem deste então”, pontuou.

O secretário frisa que a primeira redução foi evidenciada em 2018, com menos 23,5% nos CVLIs em relação a 2017. Uma diminuição ainda maior, de 35%, foi identificada em 2019, comparando o ano a 2018. “Isso é muito significativo, considerando que antes registrávamos um aumento gradativo. A cidade nunca tinha conseguido reduzir este indicador por dois anos seguidos”, comemora Ongaratto, assinalando a importância do trabalho das forças de segurança e fiscalização da cidade.

ESTADO – A redução em Pelotas acompanha e supera a queda registrada no Rio Grande do Sul. No comparativo do primeiro trimestre deste ano, com dados da Secretaria se Segurança Pública do Estado, o território gaúcho diminuiu 31% dos homicídios dolosos de 2018 para 2020 (com 624 e 431 casos, respectivamente). Já o município obteve queda de 73%, com 33 registros em 2018 e nove em 2020. As diminuições de furto de veículo e roubos também foram mais significativas na cidade, com menos 30% e 53% casos notificados.

Luiza Meirelles/Ascom Pelotas

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções