Diário da Manhã

sábado, 15 de dezembro de 2018

Notícias

 Mais recentes

ILUMINAÇÃO PÚBLICA : Prefeitura cria taxa de contribuição

ILUMINAÇÃO PÚBLICA : Prefeitura cria taxa de contribuição
05 dezembro
09:20 2018

O Executivo Municipal protocolou, ontem, na Câmara Municipal, dois Projetos de Lei que tratam de iluminação pública.

Um deles autoriza a instituição de contrato de Parceria Público-Privada (PPP) para modernização do sistema de iluminação do Município. O outro, institui a contribuição específica de Custeio do Serviço de Iluminação Pública (Cosip), que garantirá a manutenção do contrato. Ambos os projetos foram apresentados pela prefeita Paula Mascarenhas à imprensa durante coletiva realizada no Paço Municipal.

Conforme pesquisa do IBGE realizada em 2015, dos 5.570 municípios brasileiros, 4.087 já aplicam a contribuição na iluminação. Entre as 497 cidades gaúchas, 347 possuem alguma forma de custeio do serviço, e entre os 20 maiores municípios do Estado, apenas Pelotas não possui o tributo. A possibilidade de instituição da Cosip foi inserida na Constituição Federal, pela emenda constitucional número 39/2002.

 PAULA explicou como funcionará a Cosip


PAULA explicou como funcionará a Cosip

Devido à importância do projeto de modernização do parque de iluminação pública, que consta no Plano de Governo da prefeita, o Comitê Gestor do Programa de Parcerias Público Privadas do Município de Pelotas (CGP) propôs implantar uma PPP.

A intenção da Prefeitura é primeiro atender aos bairros, onde começará a substituição das lâmpadas e acessórios, a exemplo do que ocorreu nas ruas General Osório e Marechal Deodoro e na avenida Juscelino Kubitschek. Hoje, Pelotas conta com 28.406 pontos de iluminação, que atendem cerca de 152 mil imóveis. Por mês, 1.145 pontos são recuperados, em média, pelo poder público.

O valor arrecadado com a contribuição será destinado exclusivamente ao custeio do serviço de iluminação, que engloba a aquisição e manutenção de equipamentos, a operação do serviço e o consumo de energia elétrica. Mensalmente, a conta de luz do Município fica entorno de R$ 700 mil, e não há fonte única para esse investimento, lembrou a prefeita.

Os secretários da Fazenda, Jairo Dutra, Planejamento e Gestão, Paulo Morales, e Serviços Urbanos e Infraestrutura, Jeferson Dutra, acompanharam a coletiva. A procuradora-geral do Município, Luciane Moreira, a chefe e o assessor do Gabinete da Prefeita, Kelli Schaefer e Fábio Machado, também estiveram presentes.

Cosip

COMO FUNCIONARÁ A COSIP?

A capacidade contributiva foi um dos critérios adotados para definir o valor da contribuição, ou seja, quem consumir mais, pagará mais. Beneficiários da tarifa social e consumidores de até 30 kWh serão isentos. “A iluminação tem impacto direto na vida das pessoas, com mudança maior na periferia, que é onde começarão as melhorias. Vai ser de fora para dentro, até chegar ao Centro”, ressaltou a chefe do Executivo Municipal.

A alíquota é igual para residências, comércio e indústria: sobre o valor mensal do consumo ativo de energia elétrica de cada imóvel incidirá um fator de multiplicação de 0,12, sem impostos. A fórmula é considerada a mais justa pelo Comitê Gestor, pois não há distorções, e a cobrança será feita na conta de luz, com vencimento igual ao definido pela concessionária para o imóvel. Se aprovado o PL neste ano, o tributo só será cobrado a partir de abril de 2019.

QUEM PAGA?

  • Residências, comércios ou indústrias em que o consumo de energia for maior do que 30 kWh, irão contribuir;
  • Estima-se que 30 mil imóveis ficarão isentos do pagamento da taxa de iluminação;
  • Beneficiários da tarifa social serão isentos;
  • Na zona rural, só será cobrado nos locais em que há iluminação pública.

ACORDO DE COOPERAÇÃO

Em março deste ano a Prefeitura firmou um Acordo de Cooperação Técnica com o BNDES a fim de instalar um novo parque de iluminação no município, por meio de uma PPP, a exemplo do que ocorreu em Belo Horizonte. O planejamento e a execução do serviço passam, inteiramente, por avaliação do Executivo Municipal.

No último mês, foi homologada uma licitação para o estudo de modelagem do parque de iluminação de Pelotas. Por meio dele serão apontadas as melhorias necessárias na rede, prazos para substituição das lâmpadas comuns por LED e para manutenção do sistema, trabalho que será executado pela empresa contratada através de uma PPP. Este estudo deverá ser apresentado ainda no primeiro semestre de 2019.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções