Diário da Manhã

segunda, 22 de abril de 2019

Notícias

Malg lança catálogo de obras com recursos do Procultura

Malg lança catálogo de obras com recursos do Procultura
12 dezembro
09:22 2018

Viabilizado por meio de recursos do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Procultura), o Catálogo do Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo (Malg), que reúne parte do acerco das sete coleções da instituição, foi lançado segunda-feira. A prefeita Paula Mascarenhas e o secretário de Cultura (Secult), Giorgio Ronna, prestigiaram o evento de apresentação da obra, que tem também um viés social, com a distribuição entre as escolas municipais.

O Catálogo foi idealizado a partir de uma iniciativa da Sociedade Amigos do Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo (SaMALG), pelo edital de 2016 do Procultura. Foram impresso 700 exemplares, dos quais 140 serão destinados às bibliotecas das escolas municipais de ensino fundamental (Emefs) pela Secretaria de Educação e Desporto (Smed), outros 140 são voltados a colaboradores e expositores do Malg, 50 ficarão para consulta no próprio Museu, 30 integrarão o acervo de instituições culturais de todo Brasil, 20 ficarão com a Secult e 20 com os membros da SaMALG.

PUBLICAÇÃO conta com fotografias de parte das sete coleções do museu

PUBLICAÇÃO conta com fotografias de parte das sete coleções do museu

A ideia também é tornar as obras mais acessíveis ao público, tanto pela distribuição com finalidade social, quanto através da visita de alunos das Emefs ao espaço. Como lembrou a prefeita, o Malg é um museu da cidade, não apenas da universidade, que reflete as criações de um grande pelotense e é motivo de orgulho para a comunidade.

“É um catálogo importantíssimo. O Procultura tem ajudado a produzir muitas coisas boas, é um estímulo para o talento local. Que venham outros projetos com a qualidade desse material”, destacou Paula.

A professora de Produção Cultural da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Juliana Angeli, enfatizou ainda a contribuição que o catálogo pode ter na formação e escolhas futuras das crianças de escolas municipais, que terão acesso a novas perspectivas ao poder folhar o material e ter as obras tão próximas. Umas das responsáveis pela elaboração do projeto, ela lembrou também que a ideia partiu de uma iniciativa anterior, em que um material didático-pedagógico – feito em pastas com tamanho A4, mostrando parte das obras do museu -, foi confeccionado para os educandários.

Comentários ()

Seções