Diário da Manhã

sábado, 20 de abril de 2019

Notícias

MANDADOS DE PRISÃO : Polícia Federal caça bando que roubou CEF em Canguçu

MANDADOS DE PRISÃO : Polícia Federal caça bando que roubou CEF em Canguçu
17 abril
08:23 2019

Cinquenta policiais federais participam da Operação Jugular em vários municípios. Em 11 de agosto do ano passado, ladrões usaram explosivos que destruíram a agência.

Operação apreendeu R$20 mil ontem em Lajeado

Operação apreendeu R$20 mil ontem em Lajeado

Terça pela manhã, dezenas de policiais federais, desencadearam a Operação Jugular. Com ações em municípios como Santa Cruz do Sul, Lajeado, Osório, e até no Mato Grosso do Sul, a operação visa o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Na mira, suspeitos de envolvimento no roubo, realizado há quase um ano à agência da Caixa Econômica Federal (CEF), em Canguçu. No roubo durante o início da madrugada de um domingo, quadrilha foi ousada e usou explosivos, queimou veículo para impedir o deslocamento de viaturas da Brigada Militar, fez reféns para “cordão humano” e, na rota de fuga, tentou assaltar posto de combustível.

MANDADOS – Expedidos pela justiça federal em Pelotas, os mandados de busca e apreensão foram assim distribuídos: três em Santa Cruz do Sul; cinco em Lajeado; um em Osório; um em Mundo Novo no Mato Grosso do Sul. Durante os mandados de busca, conforme a PF, um homem foi preso em flagrante porque estava com uma moto roubada. Em Lajeado houve a apreensão de R$20 mil. Quatro suspeitos são investigados no inquérito da Polícia Federal, sendo que uma delas morreu no assalto. A operação, no entanto, não tem mandados de prisão a serem cumpridos.

JUGULAR – A operação desta terça recebeu o nome de Jugular. E a PF explica a escolha por ser uma importante veia responsável por transportar o sangue até o restante corpo, simbolizando a ligação da cabeça com outros membros. A referência se faz em razão do chefe da quadrilha – cabeça – ter morrido.

Veículo roubado foi queimado e usado para bloquear a saída de viaturas da BM

Veículo roubado foi queimado e usado para bloquear a saída de viaturas da BM

Ousadia dos criminosos e um policial ferido

Na madrugada de 11 de agosto do ano passado, um sábado para domingo, uma quadrilha de assaltantes invadiu a cidade de Canguçu para assaltar a agência da Caixa Econômica Federal. Os bandidos, fortemente armados, se dividiram em dois grupos. Um deles foi arrombar a agência e explodir o cofre do banco. Enquanto isso, outro grupo executava um ataque ao quartel da Polícia Militar, com o objetivo de impossibilitar a ação dos policiais. Os criminosos estacionaram um carro roubado no portão do prédio, atearam fogo no veículo e atiraram contra o quartel. Os cinco passageiros rendidos foram feitos reféns e obrigados a formarem um cordão humano, para evitar que os policiais reagissem.

Finalizado o ataque à agência da CEF, o bando liberou os reféns e fugiu em dois carros. Já na ERS-265, dois policiais civis, que haviam sido alertados sobre a ocorrência, tentaram interceptar os carros e deram início a uma perseguição aos criminosos. Após uma troca de tiros, o policial civil Paulo Volmir Lourenço foi atingido no ombro e encaminhado ao hospital.

Na sequência da fuga, os bandidos roubaram outro veículo e, ao pararem para abastecer em um posto de combustível na BR-392, houve nova troca de tiros, dessa vez com o segurança do local. Um dos criminosos foi baleado. Ele foi levado pelos comparsas no sentido de Encruzilhada do Sul e, no limite da cidade, deixado na estrada junto com o veículo. Ele era o líder da quadrilha e acabou morrendo.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções