Diário da Manhã

quinta, 24 de maio de 2018

Notícias

O bom momento do turfe pelotense

12 fevereiro
08:20 2018

Temporada 2017-2018 é marcada por bons resultados e pelo retorno do público ao hipódromo da Tablada

A pouco menos de dois meses do Grande Prêmio Princesa do Sul – marcado para o dia 8 de abril -, o Jockey Club de Pelotas já tem muito a comemorar, pois a temporada atual se firma como a melhor dos últimos anos, tendo como marcas principais o aumento do volume de apostas, a realização regular de corridas, a modernização administrativa e, o mais importante: a volta do público ao hipódromo da Tablada.

Leonardo Gouvêa lidera campeonato de jóqueis nesta temporada

Leonardo Gouvêa lidera campeonato de jóqueis nesta temporada

Desde julho já foram realizadas 15 reuniões, sendo três clássicos (os Grandes Prêmios Princesinha, Rainha da Fronteira e Cidade do Rio Grande); quatro GP’s festivos (Consolação, Diário Popular, Beneficência Portuguesa e Natal) e outras oito reuniões simples. Ao todo foram disputados 66 páreos e o movimento total de apostas chegou a R$ 561,7 mil. Este, aliás, é o primeiro ponto a ser comemorado: o aumento do volume de jogo. Na comparação a temporada passada, o volume de jogo cresceu 8,3%. Nas 15 primeiras reuniões de 2016/2017, o total de apostas foi de R$ 518,6 mil.

O recorde de apostas da atual temporada segue sendo do GP Rainha da Fronteira, que movimentou R$ 64,1 mil – quase o dobro da edição passada (2016) quando foram jogados R$ 32,7 mil.

Público de volta ao prado

O crescimento da arrecadação com poules, trifetas, quadrifetas e tríplices duplas é um reflexo direto do retorno do público ao hipódromo. A partir do GP Princesinha – disputado em 6 de agosto – a cada final de semana de corridas uma média de 1,5 mil pessoas costuma ocupar os pavilhões do Jockey Club. Esse número é maior que a média de público da Divisão de Acesso do Gauchão 2017, que foi de 298 pagantes por partida.

Em dias de Grandes Prêmios, o público costuma variar entre 1,5 mil e 4 mil espectadores, o que não fica muito distante da média geral da série A do Gauchão, que em 2017 foi de 4,3 mil espectadores. Já para o GP Princesa do Sul, a expectativa é de superar a casa dos 10 mil espectadores.

JC de Pelotas implanta modelo de gestão: nova fase no turfe

JC de Pelotas implanta modelo de gestão: nova fase no turfe

A realização de eventos paralelos dirigidos ao público em geral, como encontros de food-trucks, shows, atrações para a criançada e até uma exposição de carros antigos é apontada pelos diretores como fatores que têm auxiliado a firmar o prado como um local de lazer para as famílias nos finais de semana.

“Nosso objetivo é firmar o hipódromo como uma opção ao Laranjal, a D. Joaquim, a Duque de Caxias ou a Bento, programas tradicionais dos pelotenses aos domingos”, afirma o presidente Eduardo Abreu. O fato de a entrada ser sempre gratuita é junto, com as atrações, uma arma a mais para conquistar o público.

Mais corridas, mais público

A realização de corridas a cada quinze dias é outro fator apontado pela atual direção como responsável pelo resgate do público da Tablada e, também, a conquista de novos fãs do esporte. “Manter a regularidade na realização das provas é tão importante para a sobrevivência do clube, como para cativar um número cada vez maior de pessoas. A cada final de semana de corridas temos notado um incremento de pessoas que até então não costumavam vir ao prado, mas agora começam a colocá-lo na lista de seus programas de lazer”, avalia Leonardo Bonow Krause, membro permanente da Comissão de Corridas.

Desde o início da temporada 2017/2018 até o dia 4 de fevereiro foram realizadas 15 reuniões. Na temporada passada este número só foi atingido no dia 9 de abril.

Nova gestão valoriza modernização

A preocupação da gestão, que assumiu o clube em junho vai além de garantir a realização periódica de provas – que vêm acontecendo a cada 15 dias – ou aumentar o volume de apostas. A modernização e a adoção de boas práticas de administração têm sido outros objetivos perseguidos pelos novos diretores.

Durante o final de semana do festival do GP Rainha da Fronteira foi assinado o convênio de cooperação entre Jockey Club e a Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) pelo qual estudantes e professores do curso passaram oficialmente a atuar nos exames preliminares e posteriores às corridas, bem como no atendimento aos animais antes, durante e depois das provas.

Para o presidente da Associação Pelotense de Criadores e Proprietários de Cavalos de Corridas (APCPCC), Nathan Vanier o convênio garante tranquilidade e segurança tanto para proprietários e criadores, como para o público. “Ganham todos: estudantes de veterinária, por terem acesso a diferentes casos, profissionais do turfe por terem contato direto com a equipe da UFPel, criadores e proprietários pelo suporte técnico-científico e o público pelo acompanhamento da saúde dos animais e garantia de lisura nas competições”, diz.

Além disso a atual administração tem buscado alternativas viáveis para financiar o esporte sem precisar vender o patrimônio do clube. Uma dessas alternativas é a oferta de áreas ociosas para locação por 25 anos. O edital de oferta pública está disponível no site do Jockey Club (jcpelotas.com.br) e as propostas serão recebidas até março. A venda de espaços publicitários no interior do hipódromo é outro caminho para garantir aumento de receita para financiar o esporte, já que apenas 30% de todo o volume de jogo fica nos cofres do clube. O restante é destinado ao pagamento de taxas, impostos e premiações para apostadores, jóqueis, treinadores e proprietários.

Parcerias com patrocinadores para os grandes eventos como o GP Cidade do Rio Grande, que teve patrocínio da Superintendência do Porto do Rio Grande (Suprg), é outro caminho trilhado pelos diretores e que têm dado resultados positivos.

Público está de volta ao prado – como opção de lazer aos domingos: média de 1,5 expectadores por reunião na Tablada Fotos: Álvaro Guimarães/Assessoria do JCP

Público está de volta ao prado – como opção de lazer aos domingos: média de 1,5 expectadores por reunião na Tablada
Fotos: Álvaro Guimarães/Assessoria do JCP

Disputadas acirradas

Mas tanto quanto a modernização da gestão ou as atrações paralelas, o que tem atraído cada vez mais pessoas ao hipódromo da Tablada é a qualidade do espetáculo e as emocionantes disputas travadas na raia de areia de 1.600 metros. O campeonato de jóqueis é um exemplo disso. Há tempos não se tinha uma disputa tão equilibrada e emocionante.

O líder atual e campeão da temporada passada, Leonardo Gouvêa lidera com 11 vitórias – apenas três a mais que o segundo colocado Luis Fernando Santos, que tem apenas uma vitória de vantagem sobre o terceiro colocado Henrique Oliveira. Por sua vez. H. Oliveira tem apenas duas de vantagem para Claudinei Farias, que aparece em quarto lugar. O aprendiz Maikon Mesquita – aprovado para a escola de jóqueis do hipódromo da Gávea esta semana – também tem oito vitórias, mas não corre mais em Pelotas nesta temporada.

“É uma disputada muito equilibrada que chama a atenção do público e garante emoções fortes a cada final de semana”, comenta Krause. O plantel de grandes animais, que inclui nomes como July, July, July, Don Rucca, Oziel, Imperador Fatal, Vester e Maradona, além de veteranos como Market Corner, Trago y Trago, Let Me Free (vencedor do Princesa de 2017) e Grenadier (vencedor do GP Cidade do Rio Grande 2018) é outro atrativo para o público que comparece às corridas. (Texto de Álvaro Guimarães/Assessoria do Jockey Club

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções