Diário da Manhã

sábado, 23 de março de 2019

Notícias

SAÚDE : Entenda os cuidados que a mulher precisa ter em cada fase da vida

11 março
09:26 2019

Atender a mulher em todas as fases da vida, garantindo o acesso a políticas públicas de saúde específicas e ao atendimento integral. Esse é o objetivo da Prefeitura, através da Secretaria de Saúde (SMS), que há algum tempo vem atuando na prevenção.

Prova disso, foi o lançamento da Caderneta da Mulher Pelotense em outubro de 2018. A cartilha inclui todos os cuidados que as mulheres precisam ter em cada momento e deverá ser alvo de ação no dia 12 de março, quando ocorre o lançamento oficial da Semana da Mulher de Pelotas.

No material, orientações sobre a realização de exames, como o citopatológico e a mamografia, além de informações sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e formas de se prevenir. Segundo a enfermeira Nivia Bosembecker, que atua no setor de Atenção Básica, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município estão preparadas para acolher as mulheres da cidade em suas especificidades. “Cada uma recebe orientações sobre os exames e cuidados necessários. O histórico familiar também influencia, então levamos isso em conta”, ressalta.

Mulher cuidadosConforme Nivia, ao chegar em uma UBS a mulher é atendida e ouvida por um profissional, que decide qual o melhor tratamento a ser seguido. “Claro que há exceções, mas o ideal é que a mulher procure atendimento médico antes da primeira relação. A partir daí, ela será acompanhada até o fim da vida”, explica a psicóloga Renata Muenzer, do departamento de Saúde da Mulher.

Ela ressalta a importância de as mulheres mais velhas continuarem indo regularmente ao médico. “Há doenças que surgem em qualquer fase da vida, portanto é fundamental prevenir e buscar ajuda médica, independente da idade”, garante Renata, citando as vaginites como exemplo.

De acordo com as profissionais, há dois grandes momentos na vida da mulher, que modificam toda a fisiologia do corpo, com impactos psicológicos importantes. O primeiro é quando inicia a menstruação, fase de alterações hormonais. O outro é a menopausa, em que também ocorrem mudanças importantes, principalmente físicas.

Rede de atendimento

Segundo dados do IBGE, as mulheres representam quase 51% da população de Pelotas. Elas também são os principais usuários do Sistema Único da Saúde (SUS), servindo como vínculo entre a família e o serviço público. Na rede, elas encontram informações sobre vários assuntos e tem acesso a métodos contraceptivos, exames e práticas integrativas, como grupos de apoio e de gestantes.

Em todas as Unidades há atendimento médico clínico disponível para as usuárias. “Se não tiver ginecologista, tem o médico da família, que é capacitado para atender a comunidade e encaminhar para um especialista sempre que necessário”, garante a enfermeira Nivia. O Poder Público também oferece acompanhamento pré-natal e incentiva a prática, através de ações como o a Escola de Mães e Avós, do Pacto Pelotas pela Paz, e o Mãe Pelotense, do Primeira Infância Melhor (PIM).

Este último foi criado em 2013, oferece atendimento qualificado e humanizado às gestantes logo nos primeiros instantes em que é descoberta a gravidez. A partir daí, elas seguem sendo acompanhadas no parto e pós-parto, o que se estende à criança até os 24 meses de idade. As UBSs sediam a iniciativa e as mães que cumprirem todo o calendário do pré-natal ganham um kit maternidade, com bolsa de bebê, cobertores, toalhas e roupas.

“É tudo muito simples, mas ajuda a reforçar a necessidade do pré-natal e, para algumas mães – principalmente as mais carentes –, é uma forma de ter uma roupinha nova para sair da maternidade”, garante a coordenadora do PIM, Lourdes Boteiro. Melhor para as irmãs Silva – os nomes completos não serão divulgados para preservar as futuras mães -, de 14 e 15 anos, respectivamente.

Apesar de serem muito jovens, as duas estão grávidas e são acompanhadas de perto pelas equipes do PIM, que já entregou o enxoval do Mãe Pelotense. “No início, foi complicado aceitar a gravidez, pois somos muito novas, tínhamos medo de ter que para de estudar, mas o pessoal do PIM foi muito legal e está nos ensinando muita coisa. Isso dá um pouco mais de segurança”, afirma uma delas.

Ela e a irmã são visitadas todas as semanas pelo PIM e devem ser acompanhadas inclusive após o fim da gestação, tudo para garantir que continuem na escola e consigam atender os bebês com qualidade. Só em 2019, dois mil kits de enxoval devem ser distribuídos em Pelotas. O alvo são as mães que fazem o pré-natal na rede pública.

Eventos

Em homenagem à Semana da Mulher, a SMS realiza em março dois eventos. Um no dia 12, quando as UBSs do Pestano e da Guabiroba recebem o Ônibus Lilás, além de uma série de ações voltadas à saúde da mulher, incluindo a distribuição da cartilha; e outro no dia 19, quando a secretaria realiza a palestra “Violência doméstica e suas interfaces”, a partir das 13h30min, no auditório da CEEE, na Praça 20 de Setembro, 121. As atividades são gratuitas e abertas ao público.

A cada etapa, uma necessidade

O Ministério da Saúde divulgou uma série de orientações relacionadas aos cuidados que as mulheres devem adotar em cada etapa da vida. Lembrando que, exercícios físicos e alimentação balanceada são indicados em todas elas, assim como não fumar e ingerir bebidas alcoólicas com moderação. O acompanhamento médico é a melhor maneira de se prevenir contra doenças. Confira:

  • 10 aos 15 anos

Primeira visita ao ginecologista e vacinação do HPV

A orientação dos pais é essencial nesta etapa de desenvolvimento e mudanças, em que ocorre a menstruação e iniciam-se os cuidados com a higiene íntima, por exemplo. A primeira visita ao ginecologista é indicada, pois neste momento é possível identificar alterações hormonais graves ou má-formação do aparelho reprodutor. Também começam as orientações para a realização do exame de toque das mamas, importante ferramenta para prevenção ao câncer de mama.

Além disso, a vacinação contra o HPV (Human Papiloma Vírus) pode evitar que as mulheres contraiam o vírus, que é o principal responsável pelo câncer de colo de útero. A vacinação é voltada a meninas de 9 a 14 anos e meninos com idades entre 11 e 13 anos, e deve ser aplicada em duas doses, com intervalo de seis meses entre elas.

  • 20 anos 

Início de acompanhamento médico regular

É o estágio no qual a mulher está na sua plenitude sexual e reprodutiva. As doenças sexualmente transmissíveis e a gravidez indesejada lideram a lista das preocupações femininas neste período. Para se certificar de que está tudo bem, deve-se realizar os exames de rotina (sangue e papanicolau) uma vez ao ano.

  • 30 anos

Atenção à gestação e prevenção de doenças

A maioria das mulheres decide começar uma família neste momento. Sendo assim, a gravidez se torna o foco principal e requer mais atenção para a qualidade de vida. O acompanhamento dos níveis de colesterol, triglicerídeos, hormônios e glicose, e a prevenção da osteoporose são recomendados.

  • 40 anos

Aliviar a tensão da menopausa e realizar outros acompanhamentos médicos

Os primeiros sinais da menopausa são sentidos, a transição do ciclo reprodutivo ou fértil para o não reprodutivo, devido à diminuição dos hormônios sexuais produzidos pelos ovários. É perto dos 40 que as mulheres devem realizar a primeira mamografia; nos casos em que há histórico familiar essa avaliação pode ocorrer antes. Consultas regulares devem continuar sendo realizadas, para acompanhar a saúde.

  • Acima dos 50 anos

Atenção aos sinais do corpo

Os cuidados são semelhantes para homens e mulheres na meia idade. É indicado realizar um check up completo no corpo, como exames de sangue, pressão e medida de cintura. É importante também, ficar atenta a sintomas diferentes que o corpo possa apresentar. Acima dos 65 anos, é indicada a vacinação anual contra a gripe e, conforme prescrição médica, contra a pneumonia.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções