Diário da Manhã

quinta, 13 de agosto de 2020

Notícias

SAÚDE : Gestores debatem situação das UPAs

03 maio
14:47 2015

A situação financeira para manutenção dos serviços das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) no Estado foi tema de encontro, de prefeitos, secretários de saúde e representantes dos municípios com o secretário adjunto da Saúde, Francisco Paz.  A reunião, realizada na sede da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), foi aberta por seu presidente, prefeito de Tapejara, Seger Menegaz, que apontou a preocupação com a falta de recursos para manter as UPAs que estão em funcionamento, as que estão em obras e as que deverão ser inauguradas em breve.

UPA da Avenida Bento está atrasada

UPA da Avenida Bento está atrasada

“Estamos aqui porque somos solidários com os municípios e precisamos discutir juntos a viabilidade deste serviço, mas é preciso acomodar as necessidades com a realidade orçamentária, e este é o esforço da Secretaria Estadual da Saúde”, argumentou Paz.  O secretário disse que o governo se compromete a repassar as verbas previstas para custeio das unidades em funcionamento e, também, com a aplicação de 12% da receita líquida do Estado para a saúde.  As UPAs são um serviço intermediário entre a Atenção Básica e a Atenção Hospitalar e fazem parte da rede de urgência e emergência. Atualmente, no Rio Grande do Sul, existem 13 unidades em funcionamento, sendo que a de Alegrete e de Cruz Alta ainda não foram habilitadas pelo Ministério da Saúde. Outras 31 estão em construção.

O cofinanciamento estadual para custeio mensal é de R$ 100 mil para UPAs de porte I (50 a 100 mil habitantes), R$ 162,5 mil para porte II (100 a 200 mil habitantes) e R$ 225 mil para porte III (200 a 300 mil habitantes).

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções