Diário da Manhã

sábado, 08 de agosto de 2020

Notícias

SEGURANÇA ALIMENTAR : Fórum entrega cestas e prossegue a campanha

SEGURANÇA ALIMENTAR : Fórum entrega cestas e  prossegue a campanha
07 maio
09:16 2020

Cestas com alimentos, e também máscaras de proteção e água sanitária

Por Carlos Cogoy

Moradores da Balsa, Barro Duro, Cohab Tablada, Doquinhas, Dunas, Getúlio Vargas, Navegantes e Pestano, receberam cestas básicas. A entrega beneficiou 120 famílias, cadastradas por organizações populares, que integram o Fórum em Defesa da Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Criado em 2018, com o objetivo de fomentar a implantação do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (COMSEA) – empossado ao final de abril -, o Fórum desencadeou campanha de arrecadação, numa ação emergencial, para o combate à fome durante o enfrentamento à pandemia do novo corona vírus. Nas cestas, entregues no dia 1º, além de alimentos, também 240 máscaras de proteção e água sanitária. Integrantes do Fórum, acrescentam que a campanha prossegue. Para colaborar, qualquer valor pode ser depositado no Banrisul, agência 0320, conta 06.113347.0-6, CNPJ 03447696/0001-97, em nome de Associação dos Docentes da UCPel.

Doações chegaram a 120 famílias cadastradas por organizações populares

Doações chegaram a 120 famílias cadastradas por organizações populares

CESTA foi composta por açúcar, arroz, óleo de soja, lata de sardinha, macarrão espaguete, macarrão parafuso, molho de tomate, café em pó, farinha de mandioca temperada, sal refinado, cebola, feijão, máscaras de proteção, água sanitária, e barra de sabão. Como o princípio é uma rede de solidariedade, os alimentos e produtos foram adquiridos junto aos grupos: Coletivo Tranca Rua; Grupo Cidadania e Vida; Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST); Quilombo do Algodão; Unidade de Cuidados Paliativos – CuidATIVA/UFPel.

CRITÉRIOS para receber a cesta, conforme integrantes do Fórum: “Foi considerada a família que não é beneficiária de programas sociais, e ainda não havia recebido benefícios ou outra fonte econômica. Então, foi feito o cadastro e pensado o número que a campanha poderia se comprometer a contemplar, definindo-se o total de 120 famílias”.

COMPROMISSO – Com reuniões quinzenais, e neste período realizadas no modo “home office”, o Fórum ampara-se no alimento como direito humano, estabelecido na Constituição desde 2010, e também a Declaração Universal dos Direitos Humanos desde 1948. Assim, o objetivo é pela implementação de políticas públicas. Além da segurança alimentar, também a outra ponta do processo: “O Fórum também para que a garantia da soberania alimentar se estabeleça no município. Ou seja, propõe que a força do governo local seja direcionada à produção, comercialização e distribuição dos alimentos, provenientes da produção agroecológica, existente nas comunidades vinculadas aos Povos Tradicionais, como: pescadores; quilombolas, indígenas e das famílias da agricultura familiar e camponesa, vinculadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), e Movimentos dos Pequenos Agricultores (MPA)”.

PARTICIPAÇÃO no Fórum: ARPASUL; Embrapa; EFASUL; CONSEA; MPA; MST; Cáritas; GAE/UFPel; Povo indígena Kaingang; NESIC/UCPel; Associação Bem da Terra; PSol; grupos de pesquisa Emancipação e Questão Agrária (UCPel); Comunidade Beneficente Tradicional de Terreiro Caboclo Rompe Mato Ile Axé Xangô Oxalá (CBTT); ADUCPel; Aldeia Gyró; Associação Quilombo do Algodão; Mitra; Levante; CEA; GAMP; CPERS; UFPel; Frente Brasil Popular; MAM; Fórum de Economida Solidária; sindicatos dos Bancários, Metalúrgicos, Trabalhadores Domésticos; SINSAPEL; SINTRAF; Sintrapospetro

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções