Diário da Manhã

domingo, 15 de dezembro de 2019

Notícias

Servidores estaduais nas ruas de Pelotas contra Eduardo Leite

Servidores estaduais nas ruas de Pelotas contra Eduardo Leite
04 dezembro
10:26 2019

O protesto iniciado no Mercado Central reuniu centenas de manifestantes e ganhou as ruas do centro de Pelotas, passando ainda em frente ao Diário da Manhã

Cpers Protesto01

Manifestação unificada reuniu público expressivo pelas ruas de Pelotas.
Fotos: HFJ/DM

Palavras de ordem gritadas e cantadas, contra o governador Eduardo Leite (PSDB), a prefeita Paula Mascarenhas, o presidente Jair Bolsonaro, suas políticas, seus aliados e simpatizantes. Sobrou até para a Brigada Militar, que ouviu o repúdio a algumas de suas ações. Essa foi a tônica da manifestação dos professores estaduais, reforçada por servidores de alguns segmentos também ligados ao serviço público estadual, na tarde desta terça-feira.

O ato contou com falas políticas de representantes de sindicatos – como a presidente do Cpers, Helenir Aguiar Schürer – que reafirmaram o posicionamento dos professores estaduais, que estão em greve desde o mês passado.

O protesto iniciado no Mercado Central reuniu centenas de manifestantes e ganhou as ruas do centro de Pelotas, com direito a uma parada e manifesto em frente à Escola Estadual Ondina Cunha, na rua Gonçalves Chaves, ameaçada de ser fechada pela gestão estadual.

No final da manhã desta terça-feira (3) e início da tarde, o trânsito na área central ficou “complicado” em função do expressivo número de ônibus que “invadiu” a cidade transportando professores de diversos municípios do Estado.

Na pauta principal da manifestação coordenada pelo CPER/Sindicato e Frente de Servidores Públicos do Rio Grande do Sul o projeto enviado pelo governador Eduardo Leite à Assembleia Legislativa e que mexe com a vida funcional dos servidores estaduais, mais o parcelamento de salários iniciado no governo Sartori e que continua na atual administração, já há um ano. Os professores estaduais estão em greve desde o dia 18 de novembro. Segundo o CPERS mais de 1.500 escolas estão com suas atividades paralisadas no Estado.

Ainda de acordo com o CPRS, “o governador Eduardo Leite é a única pessoa que pode evitar o desastre de um ano letivo incompleto para centenas de milhares de estudantes gaúchos”.

Conforme os organizadores do ato, em torno de 30 mil pessoas participaram do ato. Servidores e professores da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) paralisaram as atividades em apoio aos professores estaduais.

SANGUE

A manifestação em Pelotas é o primeiro ato unificado no interior do Estado. A agenda de greve dos professores prevê ainda um ato de doação de sangue em todos os hemocentros do Estado nesta quarta-feira. Em Pelotas, a iniciativa ocorre a partir das 9h30min no Hemopel. Um bandeiraço em Pelotas, na esquina da rua General Osório com a Avenida Bento Gonçalves, deve acontecer amanhã partir das 10h.

Professores estão em greve desde o dia 18 de novembro. Outras categorias também aderiram

Professores estão em greve desde o dia 18 de novembro. Outras categorias também aderiram

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções