Diário da Manhã

sexta, 18 de setembro de 2020

Notícias

SUCESSÃO NA UFPEL : Propostas da Chapa 3 “UFPel Tô Contigo”

14 setembro
08:46 2020

Com a publicação das propostas da Chapa 3 à reitoria da UFPel, o DM conclui a série de entrevistas com os candidatos

Por Carlos Cogoy

DM – Qual a nominata da chapa, e o motivo pela escolha da designação do grupo, uma síntese que evoca quais princípios e metas?

Julieta Carriconde Fripp (reitora), Mario Duarte Canever (vice), Aniê Coutinho de Oliveira e Janaina Cardoso Bru

Julieta Carriconde Fripp (reitora), Mario Duarte Canever (vice), Aniê Coutinho de Oliveira e Janaina Cardoso Bru

CHAPA 3 – A candidata a reitora é a Prof.ª Julieta Carriconde Fripp (TAE), médica do HE-UFPel, e professora da FaMed. Professor Mario Duarte Canever é candidato a vice-reitor, docente da FAEM. Compõem a Chapa as professoras Janaina Cardoso Brum, do CLC, e Aniê Coutinho de Oliveira da ESEF.

O cuidado ativo é fundamental na nossa visão e prática universitária. A comunidade deve assumir o compromisso de cuidar de seus integrantes e de seus ambientes de trabalho e estudo. O seu protagonismo é fundamental para viabilizar a universidade e, na nossa visão, é dever da administração criar os meios para estimular essa cultura. A potência transformadora passa pela valorização das pessoas, por isso defendemos uma UFPel inclusiva, democrática e cuidATIVA. Vamos estimular ensino, pesquisa e extensão em parceria com entidades, poder público e movimentos da sociedade, para inovar e ampliar bons impactos sociais, humanos, ambientais e econômicos.

DM – Como a chapa avalia a atual gestão na reitoria da UFPel?

CHAPA 3 – Uma gestão centralizadora, pouco republicana, gerencialista, focada nas coisas e no controle. Não valoriza toda a universidade, apenas grupos identificados com a ideologia da gestão. Tem pouca tolerância à crítica e dificuldade de lidar com o contraditório. Usa as redes sociais como ferramentas de comunicação e debates individualizados, Desconsidera e subestima a organização das categorias docente, técnico-administrativa e estudantil. Ignora movimentos autônomos e despreza conquistas coletivas. Demonstrou baixo protagonismo para buscar recursos novos para projetos importantes. Sobre os cortes orçamentários, limitou-se a denúncias à opinião pública, com manifestações panfletárias.

DM – Quais os principais eixos temáticos e propostas para o corpo discente?

CHAPA 3 – Entre as diversas propostas voltadas para as/os estudantes, destacamos a ampliação da assistência estudantil e da estrutura da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis, assim como sua desburocratização, a criação de um centro de atendimento à saúde, a criação da cidade universitária no campus Capão do Leão, o que inclui a construção de um condomínio estudantil, a criação de uma política de enfrentamento às desigualdades de gênero, de raça, de classe etc., facilitação da matrícula especial por meio do Cobalto, criação da licença de até 45 dias para complementação de estudos.

Chapa 3 UFPel Tô Contigo 2020 logoDM – Principais eixos, propostas e temas para os servidores técnico-administrativos?

CHAPA 3 – Entre as propostas voltadas para as/os técnicos administrativos em educação, estão o retorno imediato à jornada de 30h, proposição de política de regulação do trabalho remoto para a categoria, garantindo o suporte institucional necessário, garantia de tratamento igualitário entre as três categorias, possibilidade de licença para complementação de estudos, acesso à assistência em saúde, com disponibilidade de clínicos gerais, ginecologistas, psiquiatras etc.

DM – E para o corpo docente, as principais propostas?

CHAPA 3 – Garantia da especificidade do conceito de hora/aula de cinquenta minutos, evitando a intensificação de trabalho subjacente à concepção que relaciona, sem compreender a natureza do trabalho docente, hora/aula e hora-relógio e em respeito ao parecer CNE/CES Nº: 261/2006 e à LDB, formação continuada sobre o uso adequado das TICs e metodologias ativas no ensino superior, criação do Programa de Auxílio para Pagamento de Taxas de Publicações para pesquisadoras/es que não têm acesso a meios de financiamento, entre outras.

DM – A postura da chapa em relação ao processo eleitoral democrático na UFPel, bem como nas relações que permeiam a comunidade universitária. Compromete-se com a democracia na UFPel? Pretende mudanças, quais? Ampliar a participação nas decisões?

CHAPA 3 – A democracia e a autonomia universitária são princípios basilares em nossas histórias. São valores universais que devem ser exercitados em todos os ambientes da UFPel. O protagonismo das pessoas só tem efetividade se o poder de decisão for compartilhado. Para influenciar nos caminhos da UFPel, as pessoas devem ter oportunidade de liderar iniciativas na universidade. Uma universidade democrática, inovadora, norteada pelo cuidado ativo e com foco nas pessoas precisa ser inclusiva. A inclusão, além de um princípio de justiça social, fortalece a instituição. Não basta abrir a UFPel para todas e todos. É necessário colocar as pessoas no centro do processo criativo e decisório das ações institucionais. É essencial aprimorar as políticas de acesso e permanência, com valorização da participação ativa de estudantes, TAEs e docentes.

DM – Em setembro, mês do pleito, quais ações marcarão a mobilização da campanha, para difundir as ideias junto à comunidade universitária? Redes sociais serão determinantes?

CHAPA 3 – Participaremos de debates, de reuniões com grupos das mais variadas áreas, territórios e segmentos da UFPel. Pelas redes sociais, estamos informando a comunidade sobre quem somos, nossas experiências de gestão, e o que pretendemos fazer no período 2021-2024. Estamos estimulando a comunidade da UFPel a votar nos dias 23 e 24 de setembro, com entusiasmo, consciência e responsabilidade. Nosso site: www.ufpeltocontigo.com.br.

DM – A relação com a comunidade através das atividades de extensão será fortalecida, alterada? O que o grupo planeja?

CHAPA 3 – A gestão deve catalisar ações capazes de agregar pessoas. Vamos estimular diálogos com comunidades vulneráveis, nos municípios da região, buscando o entendimento sobre as prioridades, sobre os planos e sobre as ações em desenvolvimento ou a serem desenvolvidas. Nosso projeto de universidade tem foco na construção coletiva, inclusiva, democrática, cuidATIVA, engajada com a sociedade que a rodeia e conectada com as tecnologias do nosso tempo. A inovação, articulada no ensino, na pesquisa e na extensão, é essencial para que a universidade desempenhe papel fundamental na criação de novos paradigmas para a sociedade do futuro.

DM – Em menos de dois anos, o Brasil está no terceiro (ou quarto, considerando-se o sr. Decotelli), ministro da Educação, e o ensino público tem sido sistematicamente depreciado e ameaçado. Como a gestão na reitoria se relacionará com essa questão? Mais projeção das atividades da UFPel junto à comunidade, mais presença e articulações em Brasília? O que a chapa reflete sobre essa tensão?

CHAPA 3 – O momento político é crítico, mas teremos uma postura pragmática em relação ao MEC. Nossa gestão será pautada na resistência para sustentar nossos princípios fundamentais, contudo, vamos manter um diálogo franco e aberto com as autoridades estatais, para pleitear ações importantes na UFPel. Lutaremos com todas as forças para angariar recursos novos para condomínios estudantis próprios, com prioridade ao Capão do Leão, para terminar os blocos do HE, para atender as necessidades hospitalares da Odontologia, para áreas de convívio e de mobilidade nos campi. Vamos conversar com ministérios – Saúde, Agricultura, Desenvolvimento Regional e com o MEC – de uma forma firme, com respeito, coerência e responsabilidade institucional.

DM – Como, à frente da reitoria, a gestão lidará com a redução de orçamento?

CHAPA 3 – Agiremos com energia, junto à esfera pública – Estado e Sociedade – para construir uma UFPel acolhedora, inclusiva, criativa, inovadora, transparente e sempre pública. Vamos captar recursos em articulação com a sociedade, com mobilização social, diálogo com Prefeitos, Governo do Estado, parlamentares, partidos políticos, técnicos e lideranças nos ministérios de governo e com entidades científicas nacionais e internacionais. Apoiaremos um grande esforço coletivo de cidadania para construção progressiva da democracia de alta intensidade, de forma transversal. Queremos contribuir, com eficácia e compromisso, para construir um mundo socialmente justo, ecologicamente sustentável e humanamente feliz.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções