Diário da Manhã

domingo, 22 de setembro de 2019

Notícias

Teste de sangue mais rígido para transfusões. Idade máxima para doação aumenta

Teste de sangue mais rígido para transfusões. Idade máxima para doação aumenta
12 novembro
23:47 2013

Exames hoje usados elevam o risco da janela imunológica, período em que o indivíduo já é portador do vírus, mas, como não há anticorpos, o teste dá como resultado o falso negativo

O Ministério da Saúde vai tornar obrigatório o Teste de Ácido Nucleico (NAT) no sangue usado para transfusão no País. A decisão foi informada pelo coordenador Guilherme Genovez, que anunciou a assinatura de uma portaria específica.
Hoje são coletadas no Brasil 3,6 milhões de bolsas por ano, o que corresponde ao índice de 1,8% do parâmetro estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O ministro destacou que o objetivo do governo é atingir o parâmetro de 3% de bolsas coletadas ao ano. Ele frisou que o atual parâmetro já está dentro da faixa proposta pela OMS.
A partir de agora, será obrigatório o teste NAT em todas as bolsas de sangue coletadas pelos bancos de sangue públicos e privados do país. “Estamos adotando este teste como obrigatório tanto nos bancos de sangue públicos quanto nos privados. [O teste] já acontece em 100% dos bancos públicos brasileiros e agora nos permitir colocar nos bancos privados”, disse Padilha.
“Vamos ver o que diz o texto. A princípio, temos o que comemorar”, afirmou o presidente da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), Cármino de Souza.
Antiga reivindicação de especialistas, o teste NAT traz mais segurança para o sangue usado em transfusões. Essa técnica permite identificar até traços de vírus pesquisados – HIV e hepatite C e hepatite B. Algo mais preciso do que a técnica atualmente empregada, que localiza a reação do organismo ao vírus, os anticorpos.
Os exames hoje usados elevam o risco da chamada janela imunológica, período em que o indivíduo já é portador do vírus, mas, como não há anticorpos, o teste dá como resultado o “falso negativo”. Souza, no entanto, diz estar apreensivo para saber qual cronograma será exigido para implementação do teste na rede pública e particular.
A incorporação do NAT é esperada por especialistas há 11 anos e anunciada pelo governo há, pelo menos, três.

Idade máxima para doação de sangue passa para 69 anos

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, também anunciou a ampliação da idade máxima de doação de sangue para 69 anos. Atualmente, a faixa etária para doação é de 16 a 67 anos.
No ano passado Alexandre Padilha diminuiu de 18 anos para 16 anos a idade mínima para a doação de sangue. Com as idades mínima e máxima para doação ampliadas, 8,7 milhões novos voluntários poderão contribuir para manter os bancos de sangue. Países como os Estados Unidos, a França e a Espanha já trabalham com a faixa etária de até 69 anos.
O Sistema Único de Saúde (SUS) conta com 32 hemocentros coordenadores e 368 regionais, além de núcleos de hemoterapia distribuídos em todo o país. Atualmente, 75% da coleta de sangue são feitos na rede pública e 25%, na rede privada. Os bancos de sangue terão 90 dias para se adequar às novas regras. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) será responsável pela fiscalização das redes.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções