Diário da Manhã

terça, 15 de junho de 2021

Notícias

Greve cresce em Pelotas com adesão do Banco do Brasil

01 outubro
17:18 2013
banco do brasil

Foto: Henrique Borba

Os bancários de Pelotas e Região entram na terceira semana de greve com forte adesão da categoria. Ao todo são 23 agências fechadas na região. No país, o número de agências e centro administrativos paralisados são 19.823, segundo dados do Comando Nacional dos Bancários.

No Banco do Brasil, a greve se consolidou nesta semana em Pelotas com a adesão das agências Anchieta, Fragata, Três Vendas, Avenida Bento.  No Rio Grande do Sul, o movimento atingiu 919 unidades na última sexta-feira, 27, sendo 604 no interior e 315 na base de Porto Alegre. De acordo com estes números, a greve já paralisou cerca de 50% do atendimento bancário no estado. Segundo o coordenador de Comunicação do Sindicato dos Bancários, Roger Peres, recursos não faltam aos bancos para conceder aumento real aos bancários. “No Itaú, por exemplo, os executivos da diretoria receberam em 2012, em média, R$ 9,05 milhões por ano, o que representa 191,8 vezes o que ganha o bancário do piso. No Santander, os diretores embolsaram R$ 5,62 milhões no ano passado, o que significa 119,2 vezes o salário do caixa. E no Bradesco, que pagou R$ 5 milhões no ano a seus executivos, a diferença é de 106 vezes”, disse o diretor do Sindicato.

Em carta enviada semana passada ao presidente da Fenaban, Murilo Portugal, o Comando Nacional dos Bancários reafirmou a rejeição do reajuste de 6,1%, apresentado no dia 5 de setembro, e a disposição para negociar uma proposta que atenda às reivindicações econômicas e sociais da categoria. Os bancários reivindicam, entre outros pontos, reajuste de 11,93% (inflação mais 5% de aumento real) e Participação nos Lucros e Resultados no valor de três salários mínimos.

Funcionários do Banco do Brasil fazem assembléia histórica em Pelotas

Num dia histórico em Pelotas, os funcionários do Banco do Brasil das quatro agências que estão em greve na cidade fizeram uma assembléia inédita na manhã de hoje na sede do Sindicato, com presença de praticamente 100% dos funcionários. O objetivo do encontro foi discutir os rumos do movimento e formas de manifestação para fortalecer a greve na cidade, onde apenas as agências Pelotas, Estilo e Empresarial não aderiram à greve e estão em funcionamento. “Foi uma manhã histórica para os funcionários e para o Sindicato, numa demonstração de união jamais vista entre os funcionários do Banco do Brasil, pois ninguém agüenta mais a pressão sofrida para o cumprimento de metas e pela falta de mão de obra”, disse a diretora do Sindicato dos Bancários de Pelotas, Adalgiza Silveira.

Os funcionários marcaram para esta quarta-feira uma intensa divulgação na agência Lobo da Costa, com distribuição de panfleto para esclarecer a população acerca dos motivos da greve. Segundo o Sindicato dos Bancários, as agências do Banco do Brasil em Pelotas estão operando com 70% de sua capacidade por falta de funcionários, “o que acarreta em inúmeros casos de adoecimento por acúmulo de função”, disse Adalgiza. Ela acrescenta que a greve não é apenas por aumento salarial: “mais do que reajuste, estamos lutando por melhores condições de trabalho para qualificar o atendimento público e  evitar que os bancários continuem adoecendo”.

Durante a assembléia foi lida uma Carta Aberta à população sobre os motivos da greve. A carta esclarece que o Banco do Brasil é uma instituição que cumpre com “importante papel de fomento público da economia brasileira e que buscamos prioritariamente o atendimento de pleitos que visam melhorar as condições de trabalho”. Esta mesma carta será distribuída amanhã pelos funcionários do banco à população.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções