Diário da Manhã

sábado, 27 de fevereiro de 2021

Notícias

PIB e produção industrial crescem no RS

10 dezembro
17:00 2013

Os indicadores e projeções divulgados nesta terça-feira por FEE, Fiergs e IBGE, que atestam o bom desempenho da economia gaúcha em 2013 e acenam com tendência semelhante para o ano que vem, foram comemorados pelo secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, Mauro Knijnik. “Mais do que crescer, dois, três ou quatro por cento, o importante é a tendência que os números mostram”, ressalta o secretário.

Knijnik explica que diante do quadro mundial, o Governo do Estado procurou adequar o Rio Grande do Sul ao contexto, com a elaboração de uma Política Industrial que identificou os setores com maior potencial de crescimento. “O Estado precisa incrementar sua indústria. Nessa missão à China, por exemplo, iniciamos contatos no setor carboquímico e na área de energia fotovoltaica. Em nível nacional, disputamos um novo polo espacial. Precisamos criar novas oportunidades”, diz ele.

Os números do crescimento

O Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre cresceu 3,6% em relação a 2012, enquanto o Brasil registrou alta de 2,2% na mesma base de comparação, segundo a Fundação de Economia e Estatística (FEE). O bom desempenho foi alavancado pela indústria, que avançou 4,9% no terceiro trimestre. O crescimento dos últimos quatro trimestres no Estado foi de 4,9%. Já no acumulado do ano, de janeiro a setembro, a evolução do PIB gaúcho foi de 6,6%, se comparado ao mesmo período de 2012.

A indústria gaúcha, aliás, é destaque no cenário nacional. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) colocam o Rio Grande do Sul na liderança brasileira em 2013, com crescimento de 6,4% no ano. Na comparação com setembro, a produção industrial cresceu 1,4% no Estado. Em relação a outubro do ano passado, houve aumento da produção em sete locais, com destaque para Rio Grande do Sul (14,5%), Paraná (13%) e Ceará (11,8%).

O avanço da economia gaúcha também foi apontado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), que calcula um crescimento de 5,1% no PIB estadual este ano. Em 2014, a alta vai ficar entre 2,1% a 3,4%. Mesmo na projeção moderada da Fiergs, o Rio Grande do Sul cresce mais que o Brasil: enquanto o Estado acelera sua economia em 2,1%, o Brasil cresce 1,9%.

Calçadistas: solução a caminho

Outra notícia positiva nesta terça-feira veio de Brasília, onde o secretário adjunto da SDPI, César Rech, acompanhou audiência de uma comitiva de empresários do setor calçadistas, liderada pelo presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Fernando Pimentel. “O ministro garantiu uma solução nos próximos dias e que em breve virá ao Estado para discutir a questão de longo prazo com o setor”, revelou Rech.

Segundo o presidente da Abicalçados, Pimentel relatou que nas conversas que teve com o governo vizinho na semana passada foi acertada a flexibilização do processo de importação dos calçados brasileiros. “Antes haverá a solução do problema pontual”, explica o dirigente, referindo-se aos 700 mil pares de calçados embargados. De acordo com ele, o ministro explicou que a equipe econômica argentina, recém empossada, pediu paciência, mas que até amanhã ele cobrará um “gesto de boa vontade”, com o início das liberações.

Foi acertado ainda que uma missão de representantes do governo argentino receberá empresários calçadistas brasileiros, lá ou aqui, para negociações mediadas pelo Mdic. “Isso deve acontecer até meados de janeiro”, ressalta Klein. Sobre a vinda de Pimentel, ele informa que deverá ocorrer até o final do ano, para um encontro na Fiergs.

O presidente da Abicalçados destacou a atuação do Governo gaúcho nas negociações. “Desde setembro, quando nos reunimos com o secretário Mauro Knijnik, na SDPI, o Governo do Estado tem se empenhado na busca de uma solução.”

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções