Diário da Manhã

domingo, 09 de agosto de 2020

Notícias

CPI da Telefonia ouve depoimento da Claro

CPI da Telefonia ouve depoimento da Claro
04 dezembro
16:23 2013

A direção da Claro/RS, através do diretor Marcelo Vinas Repetto, anunciou a disponibilidade da empresa para rever o planejamento para o setor de telecomunicações de Pelotas, juntamente com sua equipe de engenharia e Poder Público, com a finalidade de expandir sua capacidade operacional, possibilitando mapeamento para novos investimentos.

O diretor da Claro, Marcelo Vinas Repetto

O diretor da Claro, Marcelo Vinas Repetto

Sob a presidência do vereador Roger Ney, secretariada por Salvador Ribeiro, com Vitor Paladini atuando na Relatoria, e com a presença dos vereadores Ricardo Santos, Edmar Campos, Vicente Amaral, Antônio Peres e Beto da Z-3, a CPI da Telefonia tomou depoimento da operadora Claro, nesta quarta-feira, em reunião que durou cerca de duas horas e meia. Além do diretor Marcelo Repetto, os trabalhos da Comissão foram acompanhados pela gerente jurídica no RS Fabiana Torres Machado e pela gerente de filial Pelotas Lidiane Beloni.

O presidente Roger Ney designou o relator Vitor Paladini para apresentar questionamentos em nome da Comissão. A maior parte das perguntas prendeu-se a recursos técnicos, como por exemplo a quantidade de linhas que cada antena suporta; número de usuários da Claro em Pelotas; quantas antenas existem em Pelotas e onde estão localizadas; e o comportamento da Claro e investimentos após ter sido editado o TAC (Termo de Ajuste de Conduta).

Marcelo Vinas Repetto esclareceu que a capacidade das antenas não é medida pelo número de linhas, mas sim pelo volume de tráfego. Em Pelotas, a Claro possui 30 antenas, sendo, destas, 29 com tecnologia 3G (para dados e voz). Informou, também, que a Anatel audita as operadoras e que a medição de desempenho é feita por municípios. “A Agência exige o cumprimento da lei, que determina cobertura de 80% do polígono urbano. A Claro abrange, em Pelotas, 99,98% em conexão de voz e 99,99% em dados”, complementou.

O diretor da operadora, frisando que o trabalho é feito em cima da capacidade e não da correlação usuário/antena, disse que Pelotas tem 169.671 clientes Claro, e que a modalidade pré-pago é a de maior expressão. “O objetivo é otimizar os serviços e a qualidade. Por isso, é importante a revisão do planejamento, visando a uma maior liberação e regulamentação de distâncias, já que quanto mais longe é a antena, mais esforço o celular faz, acabando em perda de sinal e dificultando a conexão.”

A Claro possui loja em Pelotas, localizada no Calçadão da rua Andrade Neves, onde é realizado, diretamente com o cliente, todo o serviço do call center, obedecendo os devidos prazos. “Até mesmo o cancelamento pode ser feito na loja, de modo presencial”, afirmou o diretor, complementando que há, também, cinco agentes especializados, 27 pontos no varejo e cerca de 700 locais para recarga.

Reiteradas vezes, o diretor Marcelo Repetto declarou que a Claro priorizou seus investimentos no atendimento, tanto que prevê, para janeiro, ampla campanha de marketing e, para fevereiro, um mutirão. “As faturas passaram a ser discriminadas, para o cliente entender melhor o que de fato está sendo cobrado, e o call center recebeu ajuste, maior autonomia, mudança no modelo de gestão. Foi criado um canal 0800 direto com o Procon, por onde é possível resolver 90% das demandas.”

A respeito do TAC, Repetto afirmou que o considera satisfatório, embora sejam severos os prazos e multas. De acordo com exigências do Termo, são realizadas reuniões periódicas com os ministérios públicos Estadual e Federal, e, a cada seis meses, é feita prestação de contas pela operadora.

O presidente da CPI, vereador Roger Ney, informando que a Anatel havia declinado do convite para comparecer junto à CPI, sob o argumento de contingenciamento de despesas, perguntou sobre a fiscalização junto às operadoras. “A Anatel fiscaliza o desempenho ou trabalha em cima dos dados que são repassados pela empresa?” Repetto respondeu dizendo que a Agência homologa os sistemas, apenas apurando se estão de acordo com os parâmetros estabelecidos. Não há fiscalização de 100% das operações, mas são realizadas auditorias sistemáticas.

Os vereadores presentes levantaram diversas questões, com exemplos pessoais de problemas com telefonia móvel. Foi dada ênfase à deficiência da telefonia na zona rural ou, se na área urbana, em áreas mais afastadas. As perguntas foram respondidas e as dúvidas esclarecidas, inclusive lembrando que, para Pelotas, estava previsto investimento de duas antenas (Três Vendas e Areal), no ano fiscal de 2012, mas que, devido à demora para liberação, os recursos acabaram sendo canalizados para outros municípios.

Repetto informou que os consumidores que não desejarem receber contatos promocionais de operadoras podem cadastrar seu número de telefone, no site do Procon, para bloqueio de ligações e mensagens comerciais. Desta forma, é feita a devida proteção.

No encerramento da reunião, Marcelo Vinas Repetto enfatizou que a Claro, nos últimos quatro meses, foi a única operadora que atingiu os indicadores da Anatel.

O relator Vitor Paladini lembrou aos interessados que existe uma urna, no hall da Câmara, para registros de reclamações sobre telefonia. Também a Ouvidoria do Legislativo, através do telefone 3026.1044 ou pessoalmente, está acolhendo queixas.

O presidente Roger Ney, ao encerrar a reunião, convocou os vereadores da CPI para o dia 11 de dezembro, quarta-feira, às 11h, quando será tomado o depoimento da operadora Oi.

 

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções