Diário da Manhã

quinta, 04 de março de 2021

Notícias

Agressão à professora mobiliza Câmara Municipal

14 novembro
16:54 2013

A sessão desta quinta-feira (14/11) da Câmara de Vereadores teve como assunto principal a agressão sofrida pela diretora da Escola Infantil Vinícius de Moraes, Girlei Souza. Quando tentava resolver um incidente com a prima de um aluno de dois anos, do maternal, a diretora foi agredida a socos, tapas e pontapés. As aulas estão suspensas até a próxima segunda-feira e o caso está sendo acompanhado pela Promotoria da Infância e da Juventude. Da tribuna, o presidente do Legislativo, vereador Ademar Ornel (DEM) sugeriu e recebeu o apoio dos demais parlamentares, que a questão da segurança nas escolas municipais seja discutida com o Executivo.
“A Câmara pode apontar um caminho para o governo, para que fatos como esse não se repitam”, afirmou o vereador. Ele disse que conhece a diretora da escola há bastante tempo e que ela é “uma excelente profissional, muito dedicada, que não merecia passar por isso. O fato é lamentável e demonstra a insegurança com que trabalham os nossos professores”, alertou.

Legislativo quer reunião com governo para discutir falta de segurança nas escolas

Legislativo quer reunião com governo para discutir falta de segurança nas escolas

“Esses fatos vêm ocorrendo há mais tempo, mas esse com certeza foi o mais grave”, disse  Ornel. Ele sugeriu que parte da atual Guarda Municipal seja dividida em guarda municipal escolar

O vereador Professor Adinho (PPS) foi o primeiro a se manifestar sobre o assunto. Além de repudiar as agressões, ele disse que chegará o momento em que os professores precisarão receber adicional de periculosidade, tal a insegurança em que são obrigados a exercer suas atividades.  Ao encerrar, Adinho pediu que a Câmara envie uma moção de solidariedade à professora Girlei Souza e também sugeriu a criação da guarda municipal escolar, independente da atual Guarda Municipal.
Comissão – Em nome da Comissão de Educação, seu presidente, vereador Vitor Paladini (PSB) afirmou que o problema é muito maior do que a agressão sofrida pela professora. “Quando um pai e uma mãe dão como exemplo agredir um professor,que tipo de adulto estamos formando?”, questionou.
Também se manifestaram a respeito, Marcos Ferreira (PT) e  Marcus Cunha (PT) .

Comentários ()

Seções