Diário da Manhã

quarta, 24 de abril de 2024

Notícias

Banho nas águas do Laranjal é desaconselhado

Banho nas águas do Laranjal é desaconselhado
23 fevereiro
18:37 2024

Dos oito pontos impróprio em todo o RS, cinco são em Pelotas. Temporada 2023-2024 do projeto se encerra na próxima semana

A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) divulgou, nesta sexta-feira (23/2), o penúltimo boletim da temporada 2023-2024 do projeto Balneabilidade. Dos 91 pontos analisados no Estado, 83 estão próprios para banho. Os oito a seguir apresentam condição imprópria:

  •  Barra do Ribeiro – Praia Recanto das Mulatas – Lago Guaíba
  •  Candelária – Balneário Carlos Larger – Rio Pardo
  •  Pelotas – Valverde – Trapiche
  •  Pelotas – Valverde – Av. Sen. Joaquim A. de Assunção
  •  Pelotas – Santo Antônio – Rua Bagé
  •  Pelotas – Santo Antônio – Av. Rio Grande do Sul
  •  Pelotas – Santo Antônio – Restaurante
  •  Restinga Seca – Balneário das Tunas – Rio Vacacaí

Deixaram a lista de impróprios, nesta semana, a Praia Passo Real, em Dom Pedrito, e o Balneário Rebelo, em Tapes.

A recomendação é que os banhistas evitem pontos impróprios e arredores, especialmente junto às águas que chegam às praias por tubulação, arroios ou rios. O alerta vale principalmente para crianças, idosos e pessoas com baixa imunidade.

Divulgação

Os boletins de qualidade da água são divulgados semanalmente, sempre às sextas-feiras, no site da Fepam, mídias sociais e no web aplicativo Balneabilidade. A última edição sairá na próxima semana, quando se encerra esta temporada do projeto.

Os avisos de local próprio ou impróprio para banho também devem estar em destaque em placas informativas fixadas junto aos pontos de coleta de água. Ressalta-se que a instalação das placas e a atualização do resultado da semana (próprio ou impróprio) é de responsabilidade das prefeituras, numa ação de saúde pública.

Classificação

Para identificar se as condições de balneabilidade em determinado local são adequadas, são analisados dois indicadores:

  •  Escherichia coli, também chamada de E.coli, bactéria cuja presença em abundância na água indica contaminação por fezes;
  •  e cianobactérias, ou algas azuis, que podem ocorrer em qualquer manancial superficial.

Os parâmetros utilizados estão previstos nas resoluções Conama nº 274/2000 e nº 357/2005. As cianobactérias são analisadas somente nos balneários de Osório (Lagoa Peixoto), Pelotas e Tapes.

O resultado está condicionado a cinco semanas de monitoramento. Se, ao longo desse período, duas ou mais amostras do conjunto apresentarem resultado superior a 800 para E.coli ou, ainda, se a amostra mais recente das cinco avaliadas apresentar resultado maior que 2.000 para E.coli, o ponto será classificado como impróprio. O mesmo ocorre se a contagem de cianobactérias extrapolar 50.000 células.

Realização

As coletas em água salgada no Litoral Norte e respectivas análises são feitas pela Fepam, por meio da Gerência Regional do Litoral Norte Sema-Fepam (Gerlit) e da Divisão de Laboratórios (Dilab). O projeto é coordenado pelo Departamento de Qualidade Ambiental (DQA).

Já os demais pontos são monitorados com apoio da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) e do Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep).

Recomendações aos banhistas:

  •  Entre na água apenas em local com condição própria para banho;
  •  evite tomar banho, nas primeiras 24 horas após chuvas intensas, em saídas de córregos ou rios que afluem nas praias, pois as águas podem estar contaminadas por esgotos domésticos;
  •  evite o mergulho em locais com concentração de algas, pois podem conter toxinas prejudiciais à saúde;
  •  tenha atenção especial com crianças, idosos e pessoas com baixa imunidade.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções