Diário da Manhã

sexta, 21 de junho de 2024

Notícias

Bolsa Família cai na conta nesta sexta para as 620 mil famílias gaúchas

Bolsa Família cai na conta nesta sexta para as 620 mil famílias gaúchas
17 maio
11:01 2024

Pagamento unificado injeta R$ 416 milhões na economia do estado. Governo e CAIXA montam esquema especial para auxiliar todos os contemplados a acessarem os recursos

As 620 mil famílias que fazem parte do Bolsa Família no Rio Grande do Sul recebem nesta sexta-feira, 17 de maio, o pagamento referente a maio. Diante da situação de calamidade no estado, o Governo Federal e a CAIXA unificaram o pagamento para o primeiro dia do cronograma do programa de transferência de renda. O valor médio do benefício é de R$ 672,74. O repasse unificado vai injetar R$ 416 milhões na economia gaúcha.

Com 461 dos 497 municípios afetados por consequências das fortes chuvas no estado, foi criada uma operação especial para garantir que todos acessem o benefício.

Em decorrência da situação em que se encontra o estado, a recomendação é que o beneficiário só se dirija a uma agência da CAIXA na seguinte situação:

  • Beneficiário sem acesso ao aplicativo CAIXA Tem e sem cartão para movimentação.

OPÇÕES – As famílias que recebem o benefício pelo CAIXA Tem podem continuar movimentando os recursos pelo aplicativo, sem precisar comparecer a uma agência. Também é possível usar o cartão para compras em estabelecimentos comerciais por meio da função de débito e realizar saques nos terminais de autoatendimento, unidades lotéricas, correspondentes CAIXA Aqui, além das agências da CAIXA. O beneficiário também pode fazer transferências via PIX, além de realizar o pagamento de contas.

1065 LOCAIS – Para aqueles que estejam impossibilitados de usar os canais digitais, a CAIXA conta com 1.065 pontos de atendimento, entre agências e lotéricas, que estão funcionando em todo estado do Rio Grande do Sul.

MAIS PRÓXIMO – Para os 22 municípios que estão temporariamente desassistidos de agência e de lotérica, a CAIXA reforça que todas as formas de acesso ao benefício estão disponíveis: movimentação digital ou com cartão, compras e utilização do CAIXA Tem.

Alguns cenários possíveis para você avaliar a melhor conduta se estiver com problemas de documentação ou do cartão do programa

Beneficiário do Bolsa Família que tem conta na CAIXA

Perdeu o cartão, mas tem documento com foto?

Receba na CAIXA (caminhão ou agência). Apresente um documento com foto para receber. Cadastre a digital para receber em canais de autoatendimento.

Perdeu o cartão e perdeu documento com foto, mas usa o CAIXA Tem?

Acesso aplicativo CAIXA Tem. Use o benefício para fazer PIX. Pode pagar contas. Pode sacar sem cartão.

Perdeu o cartão e o documento com foto, mas tem digital cadastrada?

Receba nos canais de pagamento: Caminhões ou agências CAIXA; terminais de autoatendimento; lotéricas que tiverem a máquina de biometria.

Perdeu o cartão e o documento com foto, mas já entregou documentos pessoais na CAIXA?

Receba na CAIXA. Vá até uma agência ou caminhão da CAIXA para receber. Aproveite para cadastrar a biometria e facilitar o próximo saque.

Perdeu o cartão, o documento com foto e não tem digital cadastrada?

Seu benefício está na sua conta. Busque a emissão de um novo documento com foto. Assim que tiver o documento em mãos, busque um posto de atendimento da CAIXA.

Beneficiário do Bolsa Família que não tem conta na CAIXA

Perdeu o cartão, mas tem documento com foto?

Receba na CAIXA. Procure um caminhão ou agência.

Perdeu o cartão e o documento com foto?

Procure a gestão do Bolsa do seu município. O município vai emitir uma Declaração Especial de Pagamento. Com ela, procure um caminhão ou agência da CAIXA para receber.

Atenção: Equipes da Polícia Civil e dos cartórios vão participar de mutirões no estado para emitir novos documentos. Informe-se para verificar como está acontecendo em sua cidade.

RESPIRO – Outra medida adotada pelo Governo Federal para garantir um respiro a todos os beneficiários no estado foi suspender até o fim do ano todas as ações de qualificação das informações do Cadastro Único. Assim, todos os que estão no programa atualmente estão garantidos de continuar até dezembro de 2024.

Adicionalmente, com a publicação de Medida Provisória no último sábado com crédito extra de R$ 12,2 bilhões, o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome teve condições de fazer o pagamento de dois meses dos repasses mensais que garantem a estrutura de funcionamento do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no Rio Grande do Sul.

Esses recursos servem para despesas de custeio de estruturas como os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e os Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), que atuam, por exemplo, na busca ativa por novos potenciais integrantes do programa diante da destruição material que acometeu o estado.

BENEFÍCIOS – Dentro dos valores adicionais previstos no Bolsa Família, o Rio Grande do Sul tem 308 mil crianças de zero a seis anos contempladas com o Benefício Primeira Infância, que representa um adicional de R$ 150 a cada criança dessa faixa etária na composição familiar. Outros benefícios complementares, todos no valor adicional de R$ 50, chegam a 475 mil crianças de sete a 18 anos, 28 mil gestantes e 11,5 mil nutrizes no estado.

A capital, Porto Alegre, é a cidade com maior número de famílias contempladas pelo Bolsa Família no Rio Grande do Sul em maio. São 80,9 mil. Na sequência dos cinco municípios com maior número de beneficiários aparecem Pelotas (23,9 mil), Canoas (20,7 mil), Viamão (19 mil) e Gravataí (17 mil).

São Vendelino, cidade de 2.251 mil habitantes (IBGE 2022) com apenas 15 famílias beneficiárias, é o município com maior valor médio registrado neste mês no estado: R$ 837,73. Na sequência aparecem Vista Alegre do Prata (R$ 754,82), Pinto Bandeira (R$ 751,83), Vale Real (R$ 744,86) e Engenho Velho (R$ 736,99).

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções