Diário da Manhã

quinta, 20 de junho de 2024

Notícias

Deputado acredita haver indícios de irregularidades no leilão de arroz da CONAB

Deputado acredita haver indícios de irregularidades no leilão de arroz da CONAB
07 junho
09:08 2024

Na tribuna da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, o deputado estadual Marcus Vinícius (Progressistas) fez uma forte crítica afirmando acreditar haver indícios de irregularidades no leilão de arroz realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB)

O primeiro certame, encerrado pelo governo federal para a compra de até 300 mil toneladas de arroz importado, movimentou cerca de R$ 1,3 bilhão. “O leilão é apenas mais uma etapa do processo de destruição da economia brasileira,” afirmou o deputado. Ele fez um apelo aos parlamentares e órgãos de controle, destacando evidências de incompatibilidade entre o porte das vencedoras do arremate e as movimentações vendidas.

Conduta suspeita nas empresas vencedoras

Marcus Vinícius mencionou todas as empresas vencedoras do leilão que deixaram suspeitas. A primeira delas é a Zafira Trading, uma microempresa com capital social de apenas 110 mil reais. Um dos corretores desta empresa também está ligado à GF Business LTDA, que tem como sócio o filho do secretário Nacional de Política Agrícola do governo Lula. A Zafira Trading vendeu 73.827 toneladas de arroz por 369 milhões de reais. “Entendo que essa relação de intimidade com quem define diretrizes tão sensíveis do ministério deveria ser apurada. Na minha opinião haveria um impedimento em manter aproximação de qualquer pessoa nessa condição numa operação milionária como essa,” apontou Marcus Vinícius.

Outra empresa mencionada foi a Wisley Alves de Souza, cujo nome fantasia é Queijo Minas, localizada em Macapá, no Amapá. Com um capital social de apenas 80 mil reais, ela vendeu arroz em volumes que chegaram a R$ 736 milhões. Em seu contrato social, a Queijo Minas tem registradas atividades como o comércio atacadista de hortifrutigranjeiros e pescados. “Não é crível que um mini mercado em Macapá, com 80 mil reais de capital social, seja o maior vendedor nesse leilão,” denunciou Marcus Vinícius.

O deputado também destacou a ASR Locação de Máquinas e Veículos, situada no Distrito Federal, que tem uma ex-sócia que foi assessora parlamentar da liderança do PROS, em 2022, na Câmara dos Deputados. Esta empresa, com uma vasta gama de atividades, desde o comércio de itens de higiene pessoal até terraplanagem, vendeu 22.500 toneladas de arroz por R$ 112 milhões. “Estranha muito esse perfil tão diversificado, aparentemente sem tradição no setor de alimentos, estar entre as vencedoras deste leilão?” questionou o deputado.

Por fim, destacou a participação da Icefruit, localizada em São Paulo, que garantiu a venda de 19.740 toneladas de arroz por R$ 98 milhões ao governo federal. A empresa, em suas atividades descritas no contrato social, estaria habilitada para a  venda de frutas em conservas e sorvetes.

Apelo à responsabilidade

O deputado fez um apelo aos parlamentares, especialmente aos do PT, para que convençam o Governo Lula a cancelar o certame. “Faço um apelo aos deputados, pela relação que sabemos que têm com o deputado Edegar Pretto, um homem de conduta reta e proba. Que o convençam a cancelar esse leilão e desistir dessa ideia sem fundamento”, afirmou.

Marcus Vinícius clamou pela responsabilidade. “Ninguém quer mais esse tipo de coisa na política brasileira. Esse apelo é pela responsabilidade de quem tem decência,” concluiu o deputado.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções