Diário da Manhã

sábado, 10 de abril de 2021

Notícias

FEMINICÍDIO : Campanha denuncia a cultura da violência

25 março
08:54 2021

Nesta quinta acontece o lançamento da campanha “Nem pense em me matar”

Por Carlos Cogoy

“Aqui, em Manifesto, defendemos a democracia popular, onde o Parlamento, o Sistema de Justiça e o Executivo, assim como outras instâncias de poder e decisão, possam ser mobilizadas e atravessadas pelo legado feminista, para conter o assassinato de mulheres. Por esta razão é que, em público, em nosso nome e em nome daquelas que não estão mais entre nós para gritar, pois foram assassinadas, nós dizemos CHEGA DE FEMINICÍDIO! Nossa luta tem como objetivo o fim da violência promovida pela cultura feminicida patriarcal, racista e capacitista.” Trecho do abaixo-assinado “Nem Pense em Me Matar – Quem Mata Uma Mulher Mata a Humanidade”, iniciativa nacional do grupo Levante Feminista. Em Pelotas, o Coletivo Antirracismo o Melhor de Cada Uma, além de divulgar o manifesto que pode ser assinado online, também ressalta o lançamento de campanha nesta quinta.

Psicóloga Iyá Sandrali, Catharina Motta e assistente social Fernanda Camargo, divulgam a mobilização

CAMPANHA – Conforme Catharina Motta, ativista do movimento negro que integra o coletivo “O Melhor de Cada Uma”, o lançamento nacional da campanha “Nem Pense em Me Matar”, será através de live nesta quinta, começando às 10h, e encerrando às 12h30min. Para assistir, basta acessar a Fanpage do Levante Feminista.

CULTURA DE ÓDIO precisa cessar, pois as mulheres estão sendo assassinadas na própria casa. O Manifesto foi divulgado publicamente a 12 deste mês. E o abaixo-assinado, foi criado para pressionar a sociedade, Congresso e Supremo Tribunal Federal (STF). Trecho: “Ideias e atitudes misóginas transformaram-se em comportamento aceito e legitimado pela sociedade, contaminando o Executivo, o Legislativo e o Judiciário capaz de sentenças sexistas e de ressuscitar arcaicos argumentos da ‘legítima defesa da honra’ e da ‘passionalidade’ como uma espécie de ‘mérito’ para absolver criminosos. A meta é reunir 35 mil assinaturas, e ontem à tarde o documento já estava chegando a 26 mil. Para assinar, busque Levante Feminista no site: www.change.org

Pesquisadora Marielda Barcellos (UFPel)

COLETIVO O Melhor de Cada Uma reúne a psicóloga e ativista social Iyá Sandrali – concorreu a vice-prefeita em 2020 -, funcionária públic aposentada Catharina Motta, historiadora Ledeci Coutinho, doutoranda Marielda Barcellos (Antropologia/UFPel), psicopedagoga e assessora jurídica Raquel Moreira, e a assistente social Fernanda Camargo. No Dia Internacional da Mulher, a 8 de março, o coletivo realizou live. O debate pode ser assistido na Fanpage do coletivo.

Historiadora Ledeci Coutinho

FEMINICÍDIO é lei federal em vigora desde 2015. O assassinato é tipificado quando ocorre “contra a mulher por razões da condição de sexo feminino”. Como circunstâncias, violência doméstica e familiar, bem como menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções