Diário da Manhã

quarta, 24 de abril de 2024

Notícias

Páscoa 2024: expectativa de crescimento nas vendas

Páscoa 2024: expectativa de crescimento nas vendas
14 março
18:52 2024

Avaliação econômica da Fecomércio-RS analisa influências da conjuntura sobre dinâmica esperada das vendas para a data 

A Páscoa de 2024 se aproxima em uma conjuntura relativamente favorável para a data, dando suporte a expectativa de vendas maiores que em 2023. A avaliação é da Fecomércio-RS, que pondera, dentro da conjuntura atual, o papel positivo da sustentação do mercado de trabalho e renda e o quadro recente de desinflação que foi puxada por alimentos. Entre a Páscoa de 2023 e 2024, na Região Metropolitana de Porto Alegre, a inflação de alimentos no domicílio, medida pelo IPCA-15, passou de 13,65% em fev/23 para 0,96% em fev/24. Apesar da dinâmica da contribuição desses aspectos para a sustentação do consumo das famílias de bens essenciais, a avaliação pontua que neste ano os diferenciais de emprego no RS e dos recursos transferidos às famílias em relação ao ano passado serão menores que os diferenciais verificados de 2023 sobre 2022, e o cenário do crédito, por mais que a Selic esteja em queda, por ora ainda é marcado por restrição na oferta de crédito e melhoras apenas marginais na inadimplência.

Cautela e pesquisa de preços devem pesar na decisão de compra  

Outro ponto importante levado em conta pela avaliação da equipe econômica da entidade diz respeito à confiança das famílias, aspecto que pesa desfavoravelmente a uma expectativa maior de expansão de consumo. O patamar muito deprimido da Intenção de Consumo das Famílias (ICF-RS) e muito abaixo do mesmo período de 2023 indica que a cautela predomina e deve repercutir nas estratégias e nas decisões de compras de famílias para a data, sobretudo em pesquisa de preços e composição da cesta de presentes.

Nesse sentindo, muita atenção dos consumidores deve estar na percepção sobre os preços dos itens mais procurados para a data. Na Região Metropolitana de Porto Alegre, pelos dados do IPCA-15, os chocolates em barra e bombons acumulam queda de 0,60% em 12 meses até fevereiro, apresentando uma dinâmica que deve favorecer as vendas desses itens que podem ser alternativas de presentes mais em conta que a opções de ovos de Páscoa propriamente ditas. Já os pescados, consumidos principalmente na Sexta-Feira Santa, não apenas estão mais caros (8,16%) em relação à alimentação no domicílio e à cesta média da economia (4,45%), como também tiveram aumento maior que o verificado nos 12 meses até fevereiro do ano anterior (7,45%).

“O movimento da Páscoa não fica restrito à venda dos tradicionais itens de chocolate, lembranças temáticas e alimentos para a Seixa-Feira Santa. O feriado prolongado é importante para os serviços, sobretudo com o movimento esperado nas regiões turísticas. Para quem se prepara para as vendas e para o movimento, as estratégias dos produtos/serviços ofertados – kits, precificação, condições de pagamento – precisam considerar o perfil e as necessidades do público-alvo, mas descuidar do fluxo de caixa e da gestão financeira do negócio.” comentou Luiz Carlos Bohn, presidente da Fecomércio-RS.

Tanto para lojistas quanto para os consumidores, a avalição traz dicas para quem tem a data no radar. Confira:

Sugestões para os lojistas aumentarem as vendas nessa Páscoa

  1. Crie uma campanha específica para a Páscoa
  2. Aposte na presença digital
  3. Prepare o seu time para o atendimento
  4. Pesquise tendências
  5. Prepare seu estoque com antecedência
  6. Teste novos fornecedores
  7. Faça parcerias
  8. Converse com seu público
  9. Crie combos
  10. Facilite condições de pagamento dentro das suas condições de financiamento ao cliente

Sugestões para os consumidores fazerem melhores compras nessa Páscoa:

  1. Pesquise preços: com elevada oferta de produtos e marcas, pode haver variação significativa de preços entre lojas diferentes
  2. Se você quer comprar ovos de Páscoa, antecipe as suas compras. Em 2024, há considerável diversidade de gramaturas, mas as gramaturas menores tendem a ser as que se esgotarão antes.

O valor da grama de chocolate varia muito do formato. Em barras e bombons, o chocolate costuma ser bem mais barato.

 

Fotos: Agência Brasil

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções