Diário da Manhã

quinta, 20 de junho de 2024

Notícias

Pelotas decreta situação de emergência em decorrência da dengue

Pelotas decreta situação de emergência em decorrência da dengue
29 abril
21:50 2024

Medida busca agilizar o trabalho e os trâmites para o enfrentamento da doença

A prefeita Paula Mascarenhas assinou, na tarde desta segunda-feira (29), o Decreto 6.868/2024, que declara situação de emergência no município em decorrência da epidemia de dengue. O documento leva em consideração os dados obtidos pelo monitoramento do Departamento em Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que registram a proliferação do mosquito Aedes aegypti, bem como o aumento de notificações, com resultado de uma morte na cidade.

Conforme a chefe do Executivo, o documento busca agilizar os trâmites nos processos e ações de combate à doença na cidade. “A gente vem acompanhando a evolução dos casos e, diante desse cenário, entendemos a necessidade do Decreto para podermos fazer compras com mais rapidez, contratar profissionais e, sobretudo, buscar recursos específicos que vêm direcionados do Ministério da Saúde para esse fim”, disse Paula, reiterando a importância da colaboração de todos com os cuidados domésticos para evitar a propagação da doença e a proliferação do mosquito.

Boletim Epidemiológico – 29 de abril – Vigilância em Saúde

Casos confirmados: 198

Pelotas: 164

Importados: 34

Total de notificações 2024: 697

Janeiro – 23

Fevereiro – 161

Março – 270

Abril – 243

Notificações residentes em Pelotas – 675

Notificações residentes de outros municípios – 22

Hospitalizados – 01 (suspeito)

Casos descartados – 144

Casos em investigação – 355

Óbito – 01

Focos de Aedes 2024 – 284

Janeiro – 22

Fevereiro – 81

Março – 181

Abril – 163

Total – 447 (55% em residências)

Ocorrência em todos os bairros

Maior incidência: Fragata (46,98%) e Três Vendas (17,45%)

Fique atento às medidas de combate ao mosquito

O levantamento da SMS apontou que, em 2023, foram totalizados no Município 330 focos, identificados e trabalhados para evitar a proliferação do mosquito. Além de frentes que precisam da conscientização da população, principalmente para receber os agentes nas casas e permitir o trabalho de inspeção, seguem outras medidas fundamentais para cuidados com os ambientes, pessoas e animais domésticos. Confira.

– Manter caixas d’água tampadas ou vedadas

– Guardar garrafas e vasilhas com a abertura virada para baixo

– Não acumular pneus ao ar livre e sempre os descartar em locais indicados

– Manter os pratinhos de vasos de plantas com areia ou secos

– Eliminar recipientes que sirvam para acumular água

– Usar água sanitária pelo menos uma vez por semana em ralos

– Manter pátios limpos e varridos.

– Limpar assiduamente as vasilhas de comida e de água dos animais

– Uso de repelente para o corpo, o que evita a transmissão de doenças pela picada e, também, que um mosquito seja infectado ao picar uma pessoa contaminada e dissemine a doença

– Realizar a limpeza de recipientes que ficaram com água parada para evitar que os ovos do mosquito depositados eclodam posteriormente

– Colocar telas em portas e janelas das residências para funcionarem como barreira

– Também é indicado o uso de mosquiteiros em camas, principalmente de acamados e crianças que ficam mais suscetíveis a serem picados

Atendimento ao identificar sintomas

Caso algum sintoma se manifeste, como febre alta, dor de cabeça, dor nas articulações ou atrás dos olhos e manchas vermelhas pelo corpo, o Município recomenda procurar atendimento na Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima e não usar medicamentos por conta própria. É indicado também o consumo de bastante água.

 

Foto: Gustavo Vara

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções