Diário da Manhã

segunda, 08 de março de 2021

Notícias

Preços de alimentos e itens de higiene disparam nos supermercados

Preços de alimentos e itens de higiene disparam nos supermercados
05 dezembro
16:08 2013

Cebola é a vilã dos aumentos revelados, em novembro, pela supervisora de Educação do Procon de Pelotas, economista doméstica Nóris Fonseca Finger. O preço do produto, que vinha registrando quedas consecutivas desde julho, bateu a marca dos 81,25% na lista de elevações.

Após queda de 1,07% nos preços de alimentos em outubro, no comparativo com setembro, o Serviço de Educação ao Consumidor do Procon de Pelotas identificou em novembro uma disparada nos valores do Cesto Básico e da Ração Essencial. Respectivamente, esses conjuntos de produtos sofreram aumentos de 2,56% e 2,16%, passando a custar R$ 601,76 — contra os R$ 586,75 constatados em outubro — e R$ 272,18, contra os R$ 266,42 cobrados no mês retrasado.

Supervisora de Educação do órgão municipal e responsável pelo levantamento mensal em três redes de supermercados da cidade, Nóris Fonseca Finger informa que, dos 51 itens que compõem o Cesto, 29 artigos encareceram, 15 mercadorias ficaram mais baratas e sete foram comercializadas aos mesmos preços no período da pesquisa. “No caso do Cesto Básico, o consumidor pelotense desembolsou R$ 15,01 a mais. Quanto aos 13 gêneros alimentícios da Ração Essencial, a diferença foi de R$ 5,76”, observa a educadora.

A surpresa do balanço dos últimos 30 dias ficou por conta da cebola, cujo valor vinha apresentando reduções consecutivas desde julho (30,56%): agosto (25,6%), setembro (13,98%) e outubro (50%). Em novembro, a elevação foi a maior verificada nesses estabelecimentos comerciais, chegando a bater a marca dos 81,25%.

Em segundo lugar na classificação das maiores altas, a cenoura subiu 42,03%, depois de registrar diminuição de 44,13% no mês imediatamente anterior. Ocupando a terceira posição no pódio dos aumentos em outubro, o xampu de 350 ml (mais 19,42%) passou a figurar nas listagens como a segunda maior queda (menos 7,66%). Iguaria típica, consumida habitualmente em todo o País, o feijão preto representou um alento ao orçamento doméstico, mantendo seu custo estável.

PRINCIPAIS VARIAÇÕES EM NOVEMBRO

AUMENTOS

Cebola02

  • Cebola: 81,25%
  • Cenoura: 42,03%
  • Repolho: 25,33%
  • Batata Inglesa (quilo): 21,74%
  • Gás de cozinha: 12,50%

QUEDAS

Feira Ovos

  • Ovos de granja (dúzia): 7,69%
  • Xampu (350 ml): 7,66%
  • Linguiça fresca embalada: 6,60%
  • Alface: 4,46%
  • Desinfetante (500 ml): 3,21%

 

ESTÁVEIS

Banana

  • Banana (quilo)
  • Bolacha recheada (165 gramas)
  • Feijão preto (quilo)
  • Desodorante spray
  • Sabão em barra (400 gramas)
  • Sal refinado (quilo)
  • Cigarros

Comentários ()

Seções