Diário da Manhã

sexta, 21 de junho de 2024

Notícias

Prefeitura e militares asseguram amparo à comunidade da Z3

Prefeitura e militares asseguram amparo à comunidade da Z3
15 maio
14:12 2024

Preparo de alimentação e transportes são coordenados pelo Exército, assim como os resgates em conjunto com os Bombeiros

O trabalho de assistência e cuidado com as 156 pessoas de 48 famílias que, na manhã desta terça-feira (14), se encontravam abrigadas na Colônia de Pescadores Z3, segue intensificado com o envolvimento de diferentes instituições públicas. Prefeitura, militares e órgãos de apoio asseguram a chegada dos donativos, o acesso à comunidade por estrada alternativa e o resgate de pessoas e animais.

Efetivos do Exército se revezam na comunidade. São os responsáveis pelo transporte de profissionais, técnicos, acesso de serviços e doações e pelo preparo diário da alimentação. Nesta terça-feira (14), uma Ação Cívico Social (Aciso) reforçou os serviços de atendimento médico e odontológico. Na cozinha do abrigo, no Salão Paroquial João Paulo II, sete militares cuidam do preparo de cinco refeições diárias, além do apoio na organização do alojamento.

Ações do Exército na Z3. Fotos: Michel Corvello

Conforme o comandante do 9º Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMtz), tenente-coronel Menna Barreto, o foco principal está na remoção de pessoas, juntamente com bombeiros, em trabalho colaborativo com a Defesa Civil. Ele garante, no entanto, que o efetivo está atuante em outras frentes. “Hoje, estamos com cerca de 30 militares empregados nas atividades de apoio médico, resgate e na preparação de alimentos. Nós, o Exército, somos uma parcela da sociedade, temos militares que são ou que têm parentes aqui na Z3 e, para eles, é muito gratificante poder ajudar no momento”, observou.

Durante o deslocamento dos efetivos também são realizados o transporte de profissionais e servidores. Na tarde desta terça-feira, equipes da Secretaria de Qualidade Ambiental (SQA) foram transportadas para atendimento veterinário, inclusive com a remoção de um cão para a Associação Rural de Pelotas.

Reconhecimento e gratidão

Quem recebe o amparo, carinho e cuidado no abrigo não poupa elogios ao trabalho dos militares e demais servidores públicos. É o caso da pescadora Vilciane Alves Gomes de 32 anos, que está no local com três filhos de quatro a nove anos de idade, o esposo e a mãe cadeirante. Ela já havia enfrentado esse problema em setembro do ano passado. Agora, viu a situação se agravar com o desabamento de uma das paredes da casa. “Desta vez, caiu a parede dos fundos e perdi a maioria dos meus móveis. Aqui, a gente está seguro e o trabalho deles (militares) é maravilhoso, tratam a gente super bem, cuidam das refeições que são muito boas e sempre no horário. Se não fosse eles, a gente estaria perdido”, ressaltou.

Cras Z3

O Centro de Referência e Assistência Social (Cras) Z3 funciona como base de chegada e destinação de todo o tipo de doações, inclusive para o abastecimento do abrigo. Segundo a educadora social Denair da Rosa, em média 200 atendimentos são realizados por dia no local, além de apoio à comunidade abrigada, com cerca de 70 banhos diários e auxílio com material de higiene. “A comunidade tem solicitado água, alimentos e roupas, tanto para os abrigados quanto para os que estão em casa de parentes e, ainda, para os que estão nas embarcações. Fazemos o cadastro e, em seguida, encaminhamos o que é solicitado. Ninguém fica sem assistência ou suporte, tanto para esse momento, quanto para depois, quando voltarem para suas casas”, detalhou o assistente social do Cras, Luiz Fernando Pereira Valente.

Bombeiros em prontidão para resgate. Fotos: Michel Corvello

Bombeiros

No trabalho de prontidão para resgates, busca e salvamento e atendimentos às famílias que estão abrigadas, temporariamente nas suas embarcações, a média de seis bombeiros militares, das corporações de Pelotas e Ijuí, está atuando com posto em operação junto ao Cras. As atividades são conduzidas pelo 3º Batalhão de Bombeiros de Pelotas, apoiado pela guarnição Força de Resposta Rápida (FRR) do 12º Batalhão de Bombeiros Militares de Ijuí. As guarnições também estão com zona de pouso de helicópteros no antigo campo do Marítimo Futebol Clube. Segundo levantamento feito pelo efetivo, apenas 10% da área da comunidade da Z3 não foi alagada. Apenas a região mais alta, que contempla as ruas Natalício Bernardes e Idiomar São Batista, as ruas de frente e de fundos da Paróquia João Paulo II, foi poupada.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções