Diário da Manhã

quarta, 24 de abril de 2024

Notícias

Sexta fase da Operação Affettare busca recuperar R$ 5 milhões em ICMS devido no setor de óticas

Sexta fase da Operação Affettare busca recuperar R$ 5 milhões em ICMS devido no setor de óticas
27 fevereiro
14:39 2024

A atuação ostensiva do fisco conta com o apoio da Delegacia da Receita Estadual de Pelotas (6ª DRE)

A Receita Estadual do Rio Grande do Sul deflagrou, na manhã desta terça-feira (27/2), mais uma operação de fiscalização voltada ao setor de óticas. Com o objetivo de reprimir a fraude fiscal no pagamento de ICMS e a concorrência desleal no segmento, a sexta fase da Operação Affettare (que significa “fatiar” em italiano) tem como alvo um grupo de franquias de artigos óticos presente na metade do sul do Estado.

As operações analisadas somam aproximadamente R$ 30 milhões nos últimos cinco anos, com faturamento distribuído entre as diversas empresas do grupo. O valor de ICMS devido aos cofres públicos, acrescido de multas e juros, é estimado em R$ 5 milhões.

São apurados indícios de fracionamento de empresas que visam à pulverização do faturamento para opção ao Regime de Tributação do Simples Nacional, prática irregular que possibilita às pessoas jurídicas “laranjas” gozarem da tributação diminuta aplicada nesse regime. Se comprovada a fraude, as empresas ficam sujeitas à exclusão do Simples Nacional e serão autuadas com lançamento do ICMS devido, multa por infração qualificada de 100% e juros.

A atuação ostensiva do fisco gaúcho é conduzida pelo Grupo Especializado Setorial de Calçados e Vestuários (GES-Calvest), sediado na Delegacia da Receita Estadual de Novo Hamburgo (4ª DRE), e conta com o apoio da Delegacia da Receita Estadual de Pelotas (6ª DRE). Foram mobilizados nove auditores-fiscais para a operação, que tem como objetivo realizar a busca e apreensão de provas e de documentos em diversos estabelecimentos espalhados pelas cidades gaúchas.

Operações da Receita Estadual

Por meio das operações deflagradas, a Receita Estadual vem intensificando sua atuação em diversos ramos da economia, tendo programadas, para os próximos meses, outras operações neste e em outros setores econômicos. Além de buscar recuperar os valores devidos aos cofres públicos e combater a sonegação, as ações buscam proteger os contribuintes que pagam corretamente seus tributos e coibir a concorrência desleal entre empresas.

Receita 2030+ e os Grupos Especializados Setoriais

Depois do Receita 2030, lançado em 2019, a Receita Estadual apresentou, em abril de 2023, o Receita 2030+, com novas medidas para os próximos quatro anos e um horizonte de resultados de médio e longo prazo. O conceito por trás das 30 medidas de modernização tributária é o de gerar valor público para a sociedade por meio da entrega de uma receita digital, o que significa que as novas tecnologias e tendências podem ser usadas em prol da simplificação, produzindo impacto real para a vida das pessoas.

As 30 iniciativas do Receita 2030+ estão alocadas em seis valores públicos estratégicos: Simplificação; Transformação Digital; Desenvolvimento Institucional; Diálogo e Relacionamento; Conformidade Tributária; Desenvolvimento Econômico e Social. A especialização na fiscalização e o combate às fraudes fiscais, com ênfase no uso de dados e da tecnologia, são prioridades no âmbito do programa, sobretudo no valor Conformidade Tributária.

Nesse contexto, a Receita Estadual conta atualmente com 17 Grupos Especializados Setoriais (GES), incluindo o GES Calvest. Os GES são equipes criadas para realizar a fiscalização e ampliar as análises setoriais dos principais segmentos econômicos do Rio Grande do Sul. Alguns focos são a prevenção, a especialização, a gestão de riscos, o monitoramento próximo ao fato gerador e a proximidade com o contribuinte. O objetivo é estimular o cumprimento voluntário das obrigações, fortalecer o combate à sonegação para aqueles que descumprem a legislação e, em última instância, impactar positivamente a arrecadação de ICMS.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções