Diário da Manhã

segunda, 30 de março de 2020

Notícias

JANELA PARTIDÁRIA : Vereadores descontentes iniciam troca de partidos

JANELA PARTIDÁRIA  : Vereadores descontentes iniciam troca de partidos
06 março
08:46 2020

A hora e vez dos descontentes

Período para trocas de partidos permite ajustes nas legendas com entradas e saídas dos donos de mandatos

Que entre dois dias há sempre uma noite, todos sabem. Quando levado para o contexto político, acrescenta-se que nesse período noturno tudo pode acontecer. O mesmo deve ser considerado com sobras de tempo e espaço quando o período é de aproximadamente 30 dias. Ou seja, muitas coisas podem acontecer. E deverão, até o dia 3 de abril.  É que com a abertura da “janela partidária”, ontem, a fotografia na qual posam os 21 vereadores pelotenses deverá mudar consideravelmente, com as trocas de siglas abrigadas no Legislativo. Muitos edis ficarão aonde estão, vários mudarão suas cores partidárias.

Antes mesmo da abertura da janela, dois vereadores já estavam de “corpo” e alma virados para outras agremiações.

EDER BLANK, eleito pelo PDT, deixou a sigla brizolista para ingressar na getulista: faltam só os trâmites legais para o seu ingresso no PTB.

FABRÍCIO TAVARES está de mala e cuia na bagagem, na sua mudança do PSD para o PP. Também falta apenas a assinatura da ficha no time pepista.

MARCOS FERREIRA (Marcola), não é mais petista. O político já deixou a sigla pela qual foi eleito (PT) e “aguarda” os acontecimentos para definir o próximo capítulo de sua caminhada até a eleição de outubro. Em princípio, Marcola deverá seguir o colega Blank e ingressar no PTB, no entanto, o PSD (do deputado Danrlei) surge como alternativa após a janela. Em tese, o time do ex-goleiro seria um caminho de menos dificuldades até a Assembleia Legislativa, em 2022.

ZILDA BÜRKLE – A vereadora que tem seu “colégio” eleitoral na zona rural está praticamente com os dois pés no ninho tucano (PSDB), pelo qual concorrerá à reeleição, em outubro. O que é certo é que ela não irá permanecer no PSB.

A propósito, a sigla socialista do PSB espera alguns “desdobramentos” de negociações para confirmar “chegada” e ou saída do partido. Daiane Dias, por exemplo, é a maior interessada. E ainda não definiu se sai ou fica, ao lado de Antônio Peres. Em princípio, Toninho é o único que se garante na sigla até a eleição. “Pode chegar mais gente”, diz. Com espaço cada vez mais reduzido no PTB, o vereador Reinaldo Elias (Belezinha) poderá pular a janela para o lado do PSB.

O DEM, de Ademar Ornel e José Sizenando (presidente da Câmara) não deverá diminuir a partir da janela. A tendência, dizem suas lideranças, é receber reforços oriundos do time que vai aproveitar a janela aberta.

O MDB e PRB deverão chegar à eleição de outubro com seus atuais representantes do Legislativo de Pelotas, respectivamente Salvador Ribeiro e Valdomiro Lima.

O líder da bancada do PDT e presidente da sigla, vereador Marcus Cunha garante que o partido poderá receber reforço de dentro da Câmara, para suprir a saída de Eder Blank. Nos bastidores legislativos, o nome de Belezinho aparece cotado para ingressar no partido pedetista. Também não é segredo um certo descontentamento da vereadora Cristina Oliveira no ambiente partidário. Por isso, ela prefere deixar o tempo andar até que a janela seja fechada.

TUCANOS – No time que representa a prefeita Paula Mascarenhas, na Câmara, em princípio, a mexida seria apenas com a chegada de Zilda Bürkle, para se juntar a Eneias Clarindo, Vicente Amaral, Dila Bandeira e José Paulo Benemann.

PT/PSOL – Com a saída de Marcola, a sigla petista deverá seguir até a eleição apenas com Ivan Duarte, assim como o PSol, com Fernanda Miranda.

PTB – Salvo melhor juízo, o vereador Ânderson Garcia é o que mais receberá “companheiros” para a jornada política até o final da atual Legislatura. Garcia “espera” por Eder Blank e Marcola, a caminho do PTB, e pela permanência de Reinaldo Elias. Os líderes petebistas, no entanto, esperam “conquistar” a preferência de outros descontentes nas suas siglas.

Ou seja, até o fechamento da janela partidária, em 3 de abril, muita coisa ainda irá acontecer, com políticos donos de mandatos fazendo ajustes nas suas pretensões políticas.

REGRAS DA JANELA

As regras do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) permitem que vereadores e deputados possam trocar de partido apenas durante um período determinado. É a chamada janela partidária, que tem duração de um mês.

Nas eleições de 2020, a janela vai de 5 de março a 3 de abril. A troca de partido neste ano vale para aqueles que desejam se candidatar ao cargo de vereador. Deputados que trocarem de partido e perderem a eleição, podem perder seu mandato ao voltar à Câmara.

Já políticos eleitos em votações majoritárias, como prefeitos e governadores, podem se desfiliar sem perder o mandato. Caso algum prefeito deseje concorrer a vereador, deve renunciar ao cargo também até 3 de abril.

O dia 4 de abril é a data limite para o registro de partidos que podem disputar as eleições.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções