Diário da Manhã

quinta, 28 de outubro de 2021

Notícias

Ampliado tamanho mínimo para construção de pontes na zona rural de Pelotas

11 outubro
09:16 2021

Proposição institui que as novas pontes que forem construídas tenham no mínimo seis metros de largura

Foi aprovado na sessão ordinária de quinta-feira (7), o projeto de lei de autoria do vereador Jair Bonow (PP) que estabelece largura mínima de seis metros para as pontes de madeiras que futuramente forem construídas na área rural.

De acordo com o texto da proposição, para que a zona rural, que é responsável pelo setor primário da economia pelotense, por meio, principalmente, da produção de pêssego, arroz, leite, fumo e pecuária de corte, continue em pleno desenvolvimento, um dos elementos essenciais, são as pontes.

É por meio delas que os produtores escoam a sua produção, transportam insumos e até veículos que são necessários nas plantações. Porém, muitos agricultores declaram ter inúmeras dificuldades de trânsito na zona rural justamente pelas condições das pontes, que na maioria das vezes são estreitas, dificultando, e até impossibilitando, o transporte dos carregamentos de produção e de máquinas agrícolas.

Uma das pessoas que passa por essas dificuldades de locomoção é o Carlos Alberto Voigt, plantador de soja e trigo na Colônia Osório, no 3º Distrito de Pelotas. “Os problemas por causa da largura estreita das pontes são muitos e os prejuízos também, para eu levar uma colheitadeira de uma lavoura que fica a uns 300 metros de distância da outra, tenho que fazer um percurso alternativo de quase cinco quilômetros porque a máquina é mais larga que a ponte localizada no caminho menor”, declara.

Por causa de várias reclamações iguais às de Carlos Alberto, que chegaram ao seu gabinete, o vereador Jair Bonow (PP) protocolou o pl que estabelece que as novas pontes tenham largura mínima de seis metros. Além disso, o parlamentar também quer requalificar e aumentar o tamanho das pontes já existentes, que são pontos estratégicos para o tráfego dos produtores rurais e não possuem a largura mínima desejada. “As reclamações sobre as dimensões das pontes nas colônias são inúmeras. Nos últimos anos, essa situação piorou porque os novos padrões de máquinas agrícolas são de tamanho maior que as fabricações de alguns anos atrás, por isso a largura das pontes não atendem mais o tamanho suficiente para que essas máquinas possam passar. Adequar o tamanho das pontes é de extrema importância para facilitar a circulação das pessoas. Não só do produtor rural, mas também para que os ônibus do transporte escolar possam trafegar com tranquilidade e segurança”.

Bonow esteve no local da ponte na qual Carlos Alberto não consegue passar com a sua colheitadeira. Após a medição, foi constatado que a ponte possui menos de quatro metros de largura, como a maioria das outras da zona rural, e que a máquina possui cinco metros.

“A substituição não vai acontecer de uma hora para outra, mas a nossa proposição institui que a medida que der, as pontes que forem requalificadas, já tenham as suas medidas de largura estendidas. Sabemos que a mecanização ajuda o produtor em todas as etapas da

produção, desde a preparação do solo, passando pela manutenção das lavouras, até o processo de colheita. Ela contribui para que os processos ocorram de modo mais rápido e eficiente; mas isso só acontece com pontes preparadas para o trânsito de maquinário agrícola”, finaliza o vereador.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções