Diário da Manhã

domingo, 14 de agosto de 2022

Notícias

BIBLIOTHECA PÚBLICA : Acordeonistas argentinos no concerto “Ponto e Pianada”

20 julho
09:23 2022

Quinta às 20h30min, diálogo musical na Bibliotheca

Chango Spasiuk é de Misiones. Alejandro Brittes é de Buenos Aires. Instrumentistas talentosos, eles estarão em Pelotas a partir desta quarta-feira. Na cidade, os acordeonistas participam da programação “Ponto e Pianada – Ponto de Encontro”, que terá concerto, oficina e palestra.

PALESTRA “A origem do Chamamé”, será ministrada por Alejandro Brittes nesta quarta às 18h. O evento integra o Ciclo Internacional de Palestras – Memória e Patrimônio – da UFPel, e será realizado na sala 310 do Campus II do Instituto de Ciências Humanas, à rua Almirante Barroso 1.202. Inscrição no email: [email protected]

OFICINA com os acordeonistas e também os músicos André Ely (violão), Carlos de Césaro (contrabaixo), e Marcos Villalba (percussão), será na quinta às 10h. Como local, o Conservatório de Música da UFPel – rua Félix da Cunha 651. Inscrição no email: [email protected]

CONCERTO será na quinta às 20h30min. Para assistir o “diálogo musical” na Bibliotheca Pública Pelotense (BPP), ingresso pode ser adquirido no Stúdio CDs, ou na plataforma Sympla. Ingressos a R$120,00 e R$60,00 – meia para idosos e estudantes, mediante apresentação de documento. Aquisição da meia entrada, acontece diretamente na BPP.

CHAMAMÉ – Conforme divulgação: “Ponto de encontro entre a gaita ponto e pianada, é o diálogo musical entre os acordeonistas argentinos: Chango Spasiuk e Alejandro Brittes, onde o chamamé é o idioma central. Na charla, Spasiuk e Brittes, farão um concerto com linguagem musical carregada de identidade. Assim, cada músico contribui com as peculiaridades e narrativas musicais, que resultam num novo som para o ritmo. O expressionismo e a sensibilidade, marcarão o concerto que será um momento para viver intensamente a musicalidade da Mesopotâmia argentina, que comungamos com o Rio Grande do Sul”.

TALENTOS – Chango lançou dez álbuns, realiza turnês na Europa e América do Norte e, em 2006, foi indicado ao Grammy Latino. Três dos seus discos venceram o prêmio Gardel na Argentina. Na sonoridade, mistura ritmos, tradição e contemporaneidade, com inovação e improviso. Brittes estudou música erudita, e há trinta anos divulga o chamamé. Ele já se apresentou em dez países. Ano passado, em conjunto com Magali de Rossi, publicação do livro “A origem do Chamamé”.

(C0G0Y)

Comentários ()

Seções