Diário da Manhã

domingo, 01 de agosto de 2021

Notícias

DISTANCIAMENTO SOCIAL : Câmara chama secretário para explicar denúncias de abuso durante abordagens

DISTANCIAMENTO SOCIAL  : Câmara chama secretário para explicar denúncias de abuso durante abordagens
24 março
09:09 2021

A Câmara de Vereadores realiza nesta quarta-feira às 10h uma reunião online com o secretário municipal de Segurança Pública (SSP), Samuel Ongaratto para esclarecer denúncias recebidas sobre incidentes de intimidação e truculência durante abordagens feitas para fiscalizar o cumprimento dos protocolos de distanciamento social e fechamento das atividades não essenciais.

O tema foi levantado pelo presidente do Legislativo, Cristiano Silva (PSDB) durante seu pronunciamento no Grande Expediente quando relatou caso ocorrido na periferia da cidade nos últimos dias o proprietário de um pequeno estabelecimento foi intimidado por guardas municipais por estar em frente ao local de trabalho, que também é sua residência.

“Os relatos são de comportamentos e abordagens absurdas e o secretário precisa prestar explicações sobre isso”, disse.

A partir da apresentação de casos similares por outros vereadores, o líder do Governo, vereador Marcos Ferreira, Marcola (PTB) acertou a participação do secretário Ongarato na sessão online da Câmara.

PANDEMIA NA PAUTA – O aumento dos casos de Covid-19, a superlotação do sistema público de saúde, o processo de vacinação, a reabertura do comércio e a conscientização da comunidade para a necessidade de cumprir os protocolos sanitários para controlar a disseminação do vírus dominaram a pauta de discussão entre os vereadores durante a sessão desta terça-feira.

A vereadora Fernanda Miranda (PSOL) apresentou cinco propostas elaboradas por seu mandato e que devem ser encaminhadas para a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) como sugestões de ações vistas como capazes de auxiliar no controle do avanço da pandemia.

As proposições são: a obrigação de todos os empresários fornecerem máscaras N95 para os trabalhadores; a suspensão da cobrança de água e IPTU para famílias em vulnerabilidade, adoção de um programa de renda mínima para mulheres chefes de família e em situação de vulnerabilidade, o aumento da oferta de ônibus para evitar aglomerações no transporte coletivo e acelerar o processo de vacinação.

COMISSÕES – Nas reuniões das comissões de Constituição e Justiça e Orçamento e Finanças nenhum projeto foi aprovado ou encaminhado para plenário. As propostas para a criação de um Fundo Municipal de Proteção Animal da vereadora Cristina Oliveira (PDT) e da estruturação da Procuradoria da Mulher na Câmara Municipal apresentada pela vereadora Miriam Marroni (PT) foram retiradas da pauta a pedido das autoras.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções