Diário da Manhã

terça, 24 de novembro de 2020

Notícias

ELEIÇÃO 2020 : Campanha do PT “Vamos Mudar Pelotas”

27 outubro
09:36 2020

Priorizar ações nos bairros, mudando a lógica de dezesseis anos na cidade, proposta de Ivan Duarte e Sandrali

Por Carlos Cogoy

O Partido dos Trabalhadores (PT), nº 13 na urna eletrônica, concorre à Prefeitura, com os candidatos Ivan Duarte a prefeito, e vice Iyá Sandrali. Fundador do PT na década de oitenta, Ivan Duarte foi eleito vereador sete vezes. Iyá Sandrali está radicada em Pelotas desde os anos noventa, e foi a primeira mulher negra no Estado, a dirigir uma instituição destinada a adolescentes em conflito com a lei. Eles divulgam a motivação para concorrer à Prefeitura: “Há dezesseis anos Pelotas tem sido vítima de uma administração que dá privilégios para poucos, e deixa a maior parte do povo abandonado nos bairros e vilas. Isso precisa mudar. No nosso plano os bairros têm que ser o centro, os direitos sociais têm que ser o centro. O contexto econômico e sanitário que a pandemia nos apresenta é de dificuldade e nosso programa de governo prevê um plano emergencial, com foco em recuperar a economia, empregos, a educação e a saúde de Pelotas. Uma cidade democrática, inclusiva e participativa. Uma cidade para todos e todas, que a qualidade de vida para quem mora no bairro é o centro da prioridade”. O eleitor interage com a campanha no endereço: https://www.vamosmudarpelotas.com.br

Candidatos Ivan Duarte e Iyá Sandrali

Candidatos Ivan Duarte e Iyá Sandrali

PREFEITO – Natural de Bagé, Ivan Duarte (58 anos), reside em Pelotas desde a década de setenta. Na UCPel, formou-se em psicologia. Casado, é pai de Rafael, Gabriel e Marina. No legislativo, ressalta o trabalho em defesa do povo, dos direitos dos trabalhadores, patrimônio público e qualificação dos serviços. Além disso, sempre votou contra os aumentos de impostos, que penalizam a população mais pobre. Ele exemplifica com o IPTU, conta d’água e taxa do lixo. Os mandatos na Câmara Municipal, foram de apoio aos movimentos populares, identificando-se com todos que lutam por um “mundo melhor, mais humanitário e justo”.

VICE – Natural de Porto Alere, Iyá Sandrali (71 anos), é mãe de Winnie de Campos Bueno, e Ayanna de Campos Bueno, e avó de Virginia de Campos Bueno Gregol. Com vinte anos, começou a trabalhar como alfabetizadora no então Instituto Central de Menores. Mulher negra, ativista social, iyalorixá, servidora pública, educadora, psicóloga, especialista em criminologia e defensora de direitos humanos, menciona a opção de “vida marcada pela defesa dos direitos humanos, e pela radicalidade da democracia, enquanto sistema de promoção de liberdades e de equidade de gênero, raça e classe como única forma de ativar as forças criativas de cada pessoa”.

DM – O porquê da opção partidária, quais princípios da sigla que levaram à identificação e filiação?

IVAN DUARTE – Eu ajudei a fundar o Partido dos Trabalhadores (PT) em Pelotas no início da década de 1980. É o partido que sempre esteve ao lado de quem trabalha, dos direitos sociais, da inclusão social, que sempre defendeu a população que mais precisa. Em Pelotas, também foi no governo do PT, que os bairros da cidade receberam melhores cuidados, ficaram mais iluminados e inclusivos. É isso que precisamos retomar. Um governo que trabalhe para quem mais precisa.

DM – Avaliação da atual gestão, e como a sua candidatura contrasta com o mandato 2017/2020?

IVAN DUARTE – O principal contraste é colocar o bairro no centro das ações da Prefeitura. Colocar as ações do bairro para o centro, ao contrário de como tem sido em Pelotas há dezesseis anos. Hoje os bairros estão abandonados. Quase 43% das ruas da cidade não têm pavimento e estão nos bairros, onde é barro no inverno e poeira no verão. Lugares onde as pessoas precisam colocar sacolas nos pés, caminhando algumas quadras no barro até uma parada de ônibus, sendo que a maioria das paradas não possui abrigos.

Não queremos deixar uma obra como marca, queremos inclusão social e a Prefeitura nos bairros. Para isso, vamos implementar o programa Bairro Vivo, com um aplicativo de celular que as pessoas poderão solicitar serviços, e votar para decidir as prioridades de investimentos da Prefeitura em cada bairro. Vamos construir uma cidade mais humana com a criação da Secretaria da Mulher, e da Secretaria da Igualdade Racial, com coordenadorias e políticas voltadas para as temáticas da juventude, LGBTQi+ e minorias.

DM – Qual o projeto à saúde pública, como ampliar o acesso ao atendimento qualificado?

IVAN DUARTE – Nós temos um plano de emergência para enfrentar a pandemia em Pelotas. Vamos ter a gestão municipal da vacina para que haja imunização igualitária, assim que ela estiver disponível. Instituir uma política de testagem, priorizando profissionais da saúde e assistência, trabalhadores do comércio e da segurança pública. Busca ativa para rastreio de casos e isolamento. Vamos organizar na cidade 8 distritos sanitários com um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), uma Unidade Básica de Saúde (UBS) com horário estendido, um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), uma farmácia distrital e uma universidade como parceira.

DM entrevista 13 Ivan e Sandrali logoDM – Propostas para a educação no município, o candidato compromete-se com o pagamento do piso salarial dos professores?

IVAN DUARTE – Vamos organizar o calendário letivo retomando a participação e o diálogo com a comunidade escolar. A inclusão digital será o centro dos investimentos. Vamos considerar questões específicas de cada escola para não deixar nenhum aluno para trás. Vamos oferecer formação continuada em tecnologia para professores com o objetivo de tornar o processo mais dinâmico, inclusivo e saudável. Vamos articular políticas de assistência, saúde para garantir o acolhimento emocional, e garantir alimentação e assistência para as famílias em vulnerabilidade. Faremos um levantamento do inventário da infraestrutura das escolas e seu entorno para garantir de forma emergencial, que todas as crianças e adolescentes tenham a estrutura adequada para suas atividades. Realizaremos busca ativa de quem está fora da escola, em conjunto com o sistema de proteção social, oferecendo avaliação médica e psicossocial para alunos evadidos. Hoje temos construção de escolas de educação infantil abandonadas, e famílias que não têm onde deixar os filhos para ir trabalhar por falta de vagas. Nossa meta será criar vagas para todas as crianças da pré-escola e vamos expandir para 70% o atendimento das chamadas creches – hoje 77% deste grupo, estão fora das escolas.

DM – Como alavancar a economia pós-pandemia, diminuindo o desemprego e a pobreza?

IVAN DUARTE – Vamos atacar o desemprego com a criação de frentes de trabalho nos bairros, focando na qualificação e gerando oportunidades para desempregados. Também vamos implementar trabalhos temporários cooperativados, em serviços como obras de saneamento básico, de infraestrutura nos bairros, e confecção de uniformes escolares, por exemplo. Entendemos que muitos dos desempregados viraram microempresários. Com ativos da Prefeitura e o corte de 50% dos cargos de confiança, vamos criar linhas de microcrédito populares para micro e pequenos empreendedores potencializarem seus negócios. Muitas famílias estão enfrentando dificuldades e temos visto isso em caminhadas pelas vilas e bairros. Vamos instituir o Fome Zero municipal para que nenhum pelotense passe fome. Também criar a Renda Básica da Primeira Infância, e nenhuma criança de zero a seis anos viverá com menos de R$100,00, por membro da família, como complemento a outros benefícios.

DM – Em Pelotas, 70% dos servidores recebem complementação salarial para chegar ao salário mínimo, e o Sindicato dos Municipários tem projeto de Plano de Carreira, que ainda não foi implementado. Qual a política para os servidores municipais, a relação com o SIMP, e a postura diante de uma reforma administrativa, em âmbito federal, que pretende desmantelar a função pública?

IVAN DUARTE – Assim como no caso dos professores, precisamos reunir representantes dos municipários, técnicos da Fazenda e elaborarmos um plano de recuperação e valorização salarial de toda a categoria já no primeiro mês de governo. Precisamos de serviços públicos fortes, atuantes, com qualidade também para superarmos a pandemia. É um tema que precisa de atenção urgente, transparência absoluta do poder público, encontrando uma solução através do diálogo com os servidores.

DM – E temas como a segurança pública, meio ambiente, patrimônio histórico e a valorização da economia da cultura?

IVAN DUARTE – Na segurança pública, queremos trabalhar na prevenção com a criação de Territórios de Paz nos bairros, com educação, lazer e cultura, além de investimentos na Guarda Municipal para o trabalho de polícia cidadã e comunitária. Vamos investir em inovação com a criação do Distrito Criativo na região do Porto, com economia criativa, tecnologia, criação de Startups, e centros de produção cultural em parceria com as universidades e produtores culturais. Vamos fortalecer o Carnaval de Pelotas, junto com as entidades carnavalescas para potencializar a geração de trabalho e renda deste patrimônio da nossa cidade. No Meio Ambiente, duas preocupações são o lixo e o saneamento básico. Precisamos fortalecer pontos de coleta de materiais recicláveis, e cooperativas de reciclagem.

DM – Em relação ao déficit habitacional, saneamento básico e mobilidade urbana?

IVAN DUARTE – Vamos instituir o programa Habitação Popular Municipal, voltado para famílias de baixa renda. Vamos manter o Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (SANEP) público. Resgatar um projeto feito por técnicos da autarquia que prevê a universalização e tratamento de esgoto em Pelotas em nove anos, e mais barato do que feito por empresas privadas. Também vamos modernizar os serviços com a criação de um aplicativo de celular para a população solicitar serviços como recolhimento de lixo, vazamentos, alagamentos, entre outros. Também concluiremos a Estação de Tratamento de Água São Gonçalo para abastecer regiões que sofrem historicamente com a falta de água. No tema da mobilidade urbana, queremos atacar a imobilidade que algumas regiões da cidade vivem em função das péssimas condições das ruas e a falta de calçadas. Hoje, dois terços da cidade não possuem nenhum tipo de calçada. Vamos interligar as ciclofaixas e ciclovias. Num estudo feito pela Prefeitura em parceria com a UFPel apontou que 44% das ciclofaixas, estão em más condições de conservação, sinalização e pavimento. Isso precisa mudar.

DM – Avaliação dos dois anos do governo Bolsonaro.

IVAN DUARTE – Péssimo pelo desprezo com a pandemia e a vida das pessoas, pela retirada de direito dos aposentados, pelos constantes ataques à democracia, pela instabilidade política, pela constante queda nos índices da economia de Paulo Guedes, pelo alto desemprego, pelos cortes na educação, assistência social e saúde. Péssimo pela perda do poder de compra do salário mínimo, pelos ataques aos servidores públicos do País, pela destruição da Amazônia e do Pantanal, pelas relações escusas com ex-assessores e depósitos de R$89 mil reais à primeira dama ainda não esclarecidos.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções