Diário da Manhã

segunda, 27 de junho de 2022

Notícias

INDICADORES CRIMINAIS : Feminicídios em alta no Estado

INDICADORES CRIMINAIS : Feminicídios em alta no Estado
10 junho
08:50 2022

Secretaria da Segurança também divulga a queda nos homicídios durante o mês de maio

O mês fechou com estabilidade nos latrocínios, e redução de 17,7% no crime de roubo a transporte coletivo. Os indicadores criminais no Estado, referentes a maio, estão sendo divulgados pela Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Entre os crimes contra a vida, maio voltou a evidenciar a dificuldade no combate aos feminicídios. O número de mulheres assassinadas em razão do gênero no Rio Grande do Sul, que havia apresentado queda em abril, subiu de sete, no quinto mês do ano passado, para 10, neste ano (+42,9%). Com a nova alta, a soma de 45 vítimas no acumulado desde o início de 2022 segue acima do registrado em igual período do ano passado, com 41 feminicídios (+5,9%).

O perfil dos envolvidos reforça, mais uma vez, a urgência do engajamento social para levar aos círculos de convivência familiar, de trabalho, de amizade e vizinhança a consciência sobre a importância das denúncias de qualquer suspeita de abuso. Somente duas das 10 vítimas contavam com medida protetiva de urgência (MPU) vigente. Todos os feminicídios de maio foram cometidos pelo companheiro ou ex-companheiro das mulheres assassinadas. Em 80% dos casos, os agressores possuem algum antecedente policial – quatro foram presos e três cometeram suicídio.

Com o ciclo da violência se desenvolvendo, na maioria das vezes, sob a privacidade da convivência familiar, a comunicação às autoridades pelas próprias vítimas, por parentes, amigos ou qualquer um que desconfie da situação, pode ser o fator definidor para salvar uma vida.

A SSP mantém o Disque-Denúncia 181 e o Denúncia Digital 181 no site ssp.rs.gov.br, e a Polícia Civil disponibiliza o WhatsApp (51) 9.8444.0606, para o recebimento de informações. Casos de urgência, em que haja necessidade de intervenção contra perigo imediato, o número é o 190 da Brigada Militar. Em qualquer desses canais, a denúncia é 100% anônima.

C

HOMICÍDIOS – O número de vítimas de homicídios no Rio Grande do Sul reduziu 5,3% em maio, na comparação com o mesmo mês no ano passado. Em sequência da tendência verificada nos últimos três anos, desde a implantação do RS Seguro, o indicador caiu de 132 para 125 assassinatos no período – o menor total desde 2007. Em relação às 171 mortes registradas em maio de 2018, antes da criação do programa, a queda chega a 26,9%, e frente ao pico de 233, um ano antes, a retração atinge 46,4%.

RIO GRANDE – O principal desafio em relação aos homicídios ainda é enfrentado no município de Rio Grande, na Região Sul. A disputa localizada a partir da tentativa de uma organização criminosa do Vale do Sinos em se fortalecer na cidade, sob grande resistência de outra organização local, tem sido responsável pelo aumento no número de assassinatos fora da curva dos últimos dois anos. O cenário também se acirra com a tentativa de se estabelecer uma rota de tráfico internacional de drogas passando pelo Porto de Rio Grande.

JOVENS – A grande maioria dos envolvidos nos homicídios em Rio Grande, é de jovens com idades entre 18 e 34 anos e com antecedentes. Permanece na cidade o reforço de policiamento ostensivo com efetivo do 5º Batalhão de Polícia de Choque (5º BPChq) da Brigada Militar, de Pelotas, e de agentes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil, da Capital, para intensificar a investigação de autorias. Desde o início do ano, foram realizadas apreensões de mais de 200 armas e as prisões de mais de 700 suspeitos. Contudo, nesta semana, o município vizinho chegou a sessenta mortes violentas em 2022.

LATROCÍNIOS – O Estado repetiu em maio o número de roubos com morte no mesmo mês do ano passado – três casos. É o menor total já registrado para o período em toda a série histórica, iniciada em 2002. Feita a comparação com 2018, quando houve oito latrocínios em maio, a queda alcança 62,5%.

PATRIMÔNIO – O Rio Grande do Sul teve queda recorde na maioria dos crimes patrimoniais em maio, na comparação com o mesmo mês do ano passado. As reduções mais expressivas ocorreram nos roubos a transporte coletivo e nos ataques a banco.

O número de delitos contra instituições do sistema financeiro, somados furtos e roubos, caíram de cinco para três em todo o Estado, o que representa retração de 40%. Na comparação com 2018, antes da implantação do RS Seguro, quando houve 25 casos, a diminuição chega a 88%.

No acumulado, o total de ataques a banco baixou de 27 entre janeiro e maio de 2021 para 14 neste ano, uma queda de 48,1%. Tanto no recorte mensal quanto na leitura dos cincos meses, as marcas atuais são as menores já registradas em suas respectivas séries históricas.

TRANSPORTE- O mesmo ocorreu nos roubos a transporte coletivo, que tiveram os menores números de ocorrências desde o início da contabilização mensal, em 2012. Em maio, houve 65 casos em todo o Estado, 17,7% menos do que os 79 do mesmo período no ano passado. Na soma desde janeiro, a retração nos delitos contra motoristas e passageiros de ônibus e lotações é ainda mais expressiva, caindo de 505 em 2021 para 297 neste ano, baixa de 41,2%.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções