Diário da Manhã

quinta, 28 de outubro de 2021

Notícias

Itamar Schülle procurado pela direção do Xavante

Itamar Schülle procurado pela direção do Xavante
23 setembro
09:16 2021

A reunião que culminou na saída de Cléber Gaúcho do comando técnico do Brasil ocorreu na manhã de quarta-feira (22). Pela tarde, o nome de Itamar Schülle já era forte nos bastidores. O Xavante entrou em contato com o treinador que está empregado pelo Concórdia. Seu contrato vai até 2023. O time do oeste catarinense, entretanto, não tem calendário nacional e Itamar solicitou sua rescisão. O Brasil inicialmente esbarra na multa rescisória.

Itamar solicitou sua saída do Concórdia para vir ao Extremo Sul, mas clube catarinense só o libera com pagamento da multa rescisória

“Não vou vir para ser o técnico para mais dois ou três meses. Se eu for é para um projeto”, afirmou Itamar Schülle para o repórter e apresentador Marcelo Prestes, da Rádio Universidade AM.

O treinador catarinense é figura tarimbada no futebol brasileiro. São quase 20 anos dedicados à profissão. A maioria de seus trabalhos foi nos estados do Sul, entre Santa Catarina e o interior gaúcho. Passou pelo São Luiz em 2007, pelo próprio Brasil em 2008, Pelotas 2010, São José 2011, Novo Hamburgo entre 2012 e 2014, e Caxias 2014. Nas últimas temporadas saltou na carreira para Operário(PR), ABC, Cuiabá, Vila Nova, Santa Cruz e Criciúma. Antes do Concórdia, seu último clube foi o Paysandu.

“Eu acredito em projetos a longo prazo. Se for o Itamar, é um bom nome. Tem um perfil sanguíneo para o clube, conhece o mercado e já treinou nas divisões nacionais. Infelizmente o Brasil vive momentos complicados. Tem as novas eleições para o conselho. Caso seja confirmada a eleição do Giovani Alcântara para o conselho, pode ser a sinalização de um recomeço”, afirma o idealizador da Rádio Conexão Xavante, Cesar Porto.

Historiador, jornalista e comentarista esportivo, professor Luis Artur Silva resumiu a passagem de Cléber Gaúcho e comenta a expectativa por Itamar: “Tirando o jogo contra o Remo com o Cléber, em todos os outros, os

parcos bons momentos do Brasil acabaram engolidos pelos bons momentos dos adversários, que justificaram os resultados positivos contra o Xavante. O Itamar me parece um bom nome, ainda lhe falta O grande trabalho. É um profissional experiente, mas não ficará tanto tempo se a direção não se aprumar. Ele não quer algo em curto prazo, então não vai aturar tantos erros diretivos”, apontou.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções