Diário da Manhã

sábado, 13 de agosto de 2022

Notícias

LITERATURA : Experiências poéticas reunidas em EPs com versos sobre o amor

03 agosto
09:31 2022

Pedro Ferret planeja o curta poético “O Amor É”

Por Carlos Cogoy

Jovem escritor pelotense Pedro Ferret, que encontrou no Youtube uma forma de divulgar sua criação literária, está divulgando novas produções poéticas. No canal “Poeta Pedro Ferret”, desde junho a temática tem sido o amor, em suas mais variadas nuances. O que desencadeou a abordagem, diz o autor pelotense, foi a chegada da paternidade em 2021. Pedro e Caren, são os pais de Analua. O poeta menciona: “Como pai, vivo para, a cada dia, tornar melhor o mundo da minha filha. É uma experiência nova. Por isso, digo que o amor é a maior motivação possível, pois ele move o mundo. Como o amor pela minha filha, que continua me movendo, tanto para o meu trabalho formal, quanto para a poesia, que é o que realmente amo fazer”. No Youtube, Pedro exibe as letras dos poemas, e narra os versos. Cada produção da nova fase, ele considera como EP. No dia 12 de junho, ele lançou dez poemas no EP “O Amor Mora Aqui”. Já no dia 11 de julho, o segundo EP “O Amor Nasce Aqui”. Em agosto, no dia 13, estará publicando “O Amor Não Morre Aqui”. Em setembro, o projeto é lançar o documentário poético “O Amor É”.

Autor pelotense Pedro Ferret e a filha Analua

EPs – Dedicando-se à literatura há cinco anos, Pedro Ferret estreou com o livro “Versos Sobre o Ser Animal” (2017). A seguir, até 2019, os três volumes do projeto “Não se Mate”, e também “Amor de Mãe”. Com o material, participou de feiras do livro em Pelotas, e na praia do Cassino em Rio Grande. Na pandemia, poesia falada nas publicações “Não vamos morrer: um poeta e um gravador”, com mais de cem textos divulgados no Youtube. E ainda dois “curtas poéticos”: 45 Motivos para Não Votar; 45 Motivos é Muito Pouco. No EP “O Amor Mora Aqui”, poemas como “Abandono”, “Descobridor”, “Algum planeta com nome bonito”, “Palavras em Roda”, “Desculpa seu Nelson”, “Que Oxalá te Guie”. Trecho de “Desculpa seu Nelson”, dedicado ao sogro, que faleceu vinte dias após o nascimento de Analua: Desculpa seu Nelson, queria que você tivesse lido aquela poesia/ Mas eu todo envergonhado não mostrei,/ Mosqueei e não tem volta/ Continuo contando as piadas que o senhor me contou um dia. Já no EP de julho, poemas como “Acordado”, “Na areia da lagoa”, “Minha Cilada”, “Poesia Gospel” – partes 1 e 2 -, “Praça”, “Recado”. Trecho da parte 2 de “Poesia Gospel”: Carregando uma cruz, pobre com fome e trabalhando oito horas diárias/ À procura da luz, do amor em pequenas coisas extraordinárias/ Como dividir um pão para doze pessoas famintas/ As possibilidades para amar o próximo são infinitas.

AMAR – Leitor de Ferréz e Sérgio Vaz, Pedro também diz que tem escutado os rappers Sant, Don L, Emicida e Zudizilla. Ele expressa: “Sonho com a minha poesia chegando mais longe, e alcançando mais pessoas. Por enquanto, fico feliz, pois as poucas pessoas que escutam, têm gostado. E agradeço à minha filha Analua, minha mãe Eliane, meu pai Sérgio, a minha mulher Caren, o sogro Nelson, e meu irmão mais velho, Décio, que foi o primeiro a acreditar nas minhas poesias. Também sou grato aos meus orixás pois, de alguma forma, estão influenciando na minha criação sobre o amor. E o amor, neste momento de turbulência no País, é a maior revolução”. No sábado, Analua completa o primeiro aniversário. A família está residindo em Serafina Corrêa.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções