Diário da Manhã

segunda, 17 de janeiro de 2022

Notícias

ODONTO/UCPEL : Aluna conquista 1° lugar em congresso da USP

30 novembro
09:00 2021

Trabalho premiado relata acompanhamento de bebê com síndrome rara na Clínica Odontológica da UCPel

Promover os cuidados com a higiene oral dos bebês é o principal objetivo do projeto de extensão Atenção Odontológica nos Primeiros Mil Dias de Vida (PEX 1000 Dias) do curso de Odontologia da Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Iniciativa que tem acompanhado de perto uma pequena paciente no Consultório Odontológico da instituição e garantiu um prêmio para a aluna Jaiane Freitas de Faria. Ela conquistou o primeiro lugar no Congresso Universitário de Odontologia (CUBO) da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP).

JAIANE Freitas de Faria

Jaiane é natural de Jaguarão, cursa o 6° semestre da Odonto, e é integrante do PEX 1000 Dias há cerca de dois anos. Com a orientação da professora Luísa Jardim Correa de Oliveira ela construiu o trabalho “Acompanhamento odontológico desde os primeiros anos de vida de paciente portadora da Síndrome de Sturge-Weber: relato de caso clínico”, que descreve o atendimento prestado pela ação extensionista a uma criança de 1 ano e 6 meses, com a síndrome que é considerada rara. A aluna não esconde a alegria em ter o reconhecimento de um dos mais tradicionais eventos universitários do país na área da Odontologia. “Fico extremamente feliz e agradecida por representar o curso de Odontologia da UCPel e o projeto de extensão em um congresso de altíssimo nível, além de contribuir com a ciência. Essa conquista é resultado de muita dedicação, e com certeza um passo muito importante para minha formação”, comemora a discente da Católica.

A orientadora do trabalho enfatiza que a iniciativa integra a proposta do PEX 1000 Dias de acompanhar bebês e seus cuidadores no período considerado de “ouro” para o futuro da saúde bucal, além de destacar nacionalmente a Odonto da Católica. “Esse prêmio reflete a trajetória que a aluna está tendo, com um trabalho que com certeza irá agregar no currículo dela e também na bagagem de vida. Essa conquista nos enche de orgulho pelo trabalho que a gente presta  para os pacientes na extensão e por ter uma aluna da graduação fazendo esse movimento de iniciação científica”, afirma a docente.

O QUE É O TRABALHO PREMIADO

De acordo com a aluna, o relato analisa desde a primeira consulta feita pela criança, os procedimentos adotados, até o retorno após a mudança de prática da higiene oral. Jaiane conta que foi observada uma inflamação gengival ao redor do primeiro molar superior, e foi relatado pela responsável que até o momento não havia sido realizada higiene bucal. A partir dessa constatação, além das orientações de higiene na Clínica Odontológica, vídeos ilustrativos foram utilizados, via WhatsApp, a fim de auxiliar nas primeiras escovações. Após sete dias foi realizada uma nova consulta para reavaliar a inflamação gengival e o processo inflamatório havia reduzido, o que demonstrou que as orientações foram compreendidas e seguidas, explica Jaiane. ”Os achados na literatura evidenciam dificuldade de manejo das condições odontológicas diagnosticadas tardiamente. Dessa forma, esse caso ilustra que a promoção de saúde e prevenção de doenças na cavidade oral bem como o acompanhamento com consultas regulares desde o início da vida torna-se peça chave para evitar agravos e garantir saúde oral”, afirma a aluna.

CONTINUIDADE DO ATENDIMENTO

A paciente, confirma a discente, será acompanhada com consultas periódicas a cada quatro meses, nas quais serão abordados e reforçados tópicos sobre alimentação e higiene bucal, além da realização de profilaxia dental profissional. O plano de tratamento inclui acompanhamento da sequência e cronologia de erupção dos dentes, manutenção da saúde gengival e prevenção da cárie dentária.

A SÍNDROME DE STURGE-WEBER

É uma rara condição congênita de desenvolvimento, causada por uma mutação no gene GNAQ. Ela se caracteriza por proliferações vasculares que envolvem os tecidos do cérebro e da face. Os pacientes acometidos por essa síndrome podem apresentar diversas manifestações orais, entre elas o crescimento gengival, que pode variar de leve à excessivo e comprometer a nutrição e a higiene bucal.

Comentários ()

Seções