Diário da Manhã

terça, 15 de junho de 2021

Notícias

Pelotas ultrapassa 100 mil vacinas de 1ª dose aplicadas

09 junho
17:42 2021

Município é o quarto, entre os dez maiores do RS, que mais vacinou. Nesta quarta-feira (9), 879 pessoas foram imunizadas

Nesta quarta-feira (9), Dia Mundial da Imunização, a Prefeitura aplicou mais de 879 doses da vacina contra o coronavírus. Foram trabalhadores que atuam no Ensino Superior e nos setores administrativos e de apoio contemplados. Ao mesmo tempo, Pelotas ultrapassou as 100 mil vacinas aplicadas, em pessoas que iniciaram a imunização.

De acordo com o Painel Covid-19, 101.971 vacinas, de 1ª dose, já foram aplicadas na cidade. Em um comparativo entre os dez maiores municípios do Estado, Pelotas é o quarto que mais vacinou, conforme a lista abaixo:

– Porto Alegre: 552.821 vacinas de 1ª dose aplicadas;

– Caxias do Sul: 133.762 vacinas de 1ª dose aplicadas;

– Gravataí: 105.479 vacinas de 1ª dose aplicadas;

– Pelotas: 101.971 vacinas de 1ª dose aplicadas;

– Canoas: 100.238 vacinas de 1ª dose aplicadas;

– Santa Maria: 94.916 vacinas de 1ª dose aplicadas;

– Novo Hamburgo: 66.843 vacinas de 1ª dose aplicadas;

– Viamão: 63.546 vacinas de 1ª dose aplicadas;

– São Leopoldo: 59.767 vacinas de 1ª dose aplicadas; e

– Rio Grande: 59.404 vacinas de 1ª dose aplicadas.

O processo de aplicação dos imunizantes prossegue nesta quinta-feira (10), no IFSul da Praça 20 de Setembro e nos pontos de vacinação localizados nos bairros da cidade. 

Confira o cronograma para essa semana 

No IFSul – Praça 20 de Setembro, com entrada pelo estacionamento, das 9h às 17h

*quinta (10) – vacinação para todos os professores/docentes e trabalhadores dos setores administrativo e de apoio, do Ensino Superior, que não puderam ir ao drive-thru.

Nos bairros – das 9h às 15h

*quinta-feira (10) – imunização de pessoas com comorbidades definidas no Plano Estadual de Vacinação e pacientes com deficiência permanente, cadastrados ou não no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC), e gestantes ou puérperas (com até 45 dias do parto), com comorbidades.

Saiba o endereço dos pontos de vacinação nos bairros 

CTG Raízes do Sul – avenida Cidade de Lisboa, 610 – Fragata 

CTG Negrinho do Pastoreio – avenida João Gomes Nogueira, 273 – Areal 

União Gaúcha – avenida Engenheiro Ildefonso Simões Lopes, 531 – Cohab Tablada 

CTG Os Farrapos – Rua Raul Pompeia, 1.400 – Santa Terezinha 

Associação Rural – Casa da Amizade, avenida Fernando Osório, 1.754 – Três Vendas 

Colégio Pelotense – Auditório, entrada pela avenida Bento Gonçalves – Centro 

Comunidade Católica Nossa Senhora de Lourdes – salão da igreja, avenida Amazonas, 515 – Balneário dos Prazeres

Documentos solicitados

– Profissionais da Educação: 

Todos os profissionais da Educação que comparecerem para imunização devem apresentar, no ato, documento de identidade, comprovante de residência e cartão SUS ou CPF. Além disso, também precisam portar a declaração-padrão fornecida pela escola onde atua. O modelo do documento está disponível no hotsite do coronavírus da Prefeitura, na aba “Declaração – Vacina Profissionais Educação” e deverá ser impresso em papel timbrado pela instituição. 

– Público com comorbidades:

 * Atestado-padrão confeccionado pela Prefeitura, disponível no hotsite do coronavírus. O laudo pode ser obtido nos serviços de saúde públicos e privados. Nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), o atestado é emitido no turno da tarde das 13 às 17h; 

* documento de identidade com foto; 

* comprovante de residência; e, 

* CPF ou Cartão SUS. 

– Deficientes permanentes:

As pessoas com Deficiência Permanente, cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC), não precisarão apresentar o atestado-padrão da Prefeitura. Será solicitado, apenas, o comprovante do benefício, que pode ser obtido por meio do extrato bancário ou lotérico ou, ainda, acessando o site do INSS.

– Doença renal: 

Os pacientes com doença renal crônica, que realizam hemodiálise, e os oncológicos, em tratamento de radioterapia e quimioterapia, podem solicitar os atestados nos serviços onde realizam os procedimentos.

Orientações importantes

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) alerta que quem tiver recebido a vacina contra outras doenças deve aguardar o intervalo mínimo de 14 dias entre as aplicações. Caso a pessoa apresente sintomas gripais ou tenha positivado para a Covid-19 deve aguardar 30 dias do início desses sinais para receber a vacina. Além disso, pacientes que fazem uso de imunoglobulina humana devem se vacinar com, pelo menos, um mês de intervalo para evitar interferência na resposta imunológica.

Os profissionais da educação que sejam gestantes ou puérperas (com até 45 dias do parto), com comorbidades, devem procurar o Laboratório Municipal, localizado na rua Lobo da Costa, 1.774, das 13h30min às 17h, para receber o imunizante. Esse grupo deve apresentar identidade, comprovante de residência, CPF ou Cartão SUS e atestado fornecido pelo médico. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (53) 3284-7741. 

Município é o quarto, entre os dez maiores do RS, que mais vacinou. Nesta quarta-feira (9), 879 pessoas foram imunizadas

Lista de comorbidades previstas

Abaixo, estão listadas as comorbidades incluídas nos grupos prioritários da vacinação contra a Covid-19 e suas descrições de acordo com o Plano Estadual de Vacinação.

– Diabetes Mellitus (DM): Diagnóstico de Diabetes Mellitus 

– Pneumopatia crônica grave: DPOC, Fibrose cística, fibrose pulmonar, pneumoconioses, displasia broncopulmonar ou asma grave (uso recorrente de corticóide sistêmico ou hospitalização por asma) 

– HAS resistente: HAS não controlada com uso de 3 ou mais anti-hipertensivos em doses máximas ou HAS controlada com o uso de 4 classes de anti-hipertensivos 

– HAS estágio 3: PA sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg 

– HAS com lesão em órgão alvo: HAS com lesão em órgão alvo (coração, retina, rim, encéfalo, vasos) 

– HAS associada a comorbidade: HAS em indivíduo com comorbidade. Ex: obesidade, cardiopatia hipertensiva (hipertrófica ou dilatada), apneia obstrutiva do sono, hiperlipidemia ou outra

– Insuficiência cardíaca (IC): IC estágios B, C ou D 

– Cor pulmonale e Hipertensão pulmonar (HAP): Diagnóstico de cor pulmonale crônico e HAP primária ou secundária 

– Doença Arterial Coronariana (DAC): Diagnóstico de DAC sem ou com complicações (Ex: IAM) 

– Valvulopatias cardíacas: Lesões valvares com repercussão hemodinâmica, miocárdica ou com sintomas 

– Prótese valvar: Portador de prótese valvar biológica ou mecânica 

– Miocardiopatias e Pericardiopatias: Miocardiopatia de qualquer etiologia, Pericardite crônica, Cardiopatia reumática 

– Doenças de Grandes vasos e fístulas arteriovenosas: Aneurismas, dissecções ou Hematomas de Aorta ou demais grandes vasos 

– Arritmias Cardíacas: Arritmia com relevância clínica (que exija tratamento) ou associada a cardiopatia 

– Cardiopatia Congênita no adulto: Cardiopatia congênita associada a: repercussão hemodinâmica, hipoxemia, IC, arritmia ou comprometimento miocárdico 

– Doenças neurológicas crônicas: Doença cerebrovascular (acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular); doenças neurológicas crônicas que impactem na função respiratória, indivíduos com paralisia cerebral, esclerose múltipla, e condições similares; doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular; deficiência neurológica grave

– Doença Renal Crônica (DRC): DRC estágio 3 ou 4 (TGF<60ml/min/1,73m2) e/ou Síndrome Nefrótica 

–  Imunossupressão: Transplantados de órgão sólido ou medula óssea, uso de imunossupressor, pessoas vivendo com HIV, imunodeficiências primárias, necessidade de uso crônico de corticoide em dose de Prednisona >10mg/dia (ou equivalente), pulsoterapia com corticoide ou ciclofosfamida

– Câncer: Pacientes oncológicos com tratamento quimio ou radioterápicos atual ou nos últimos 6 meses ou portadores de neoplasias hematológicas 

– Hemoglobinopatias graves: Diagnóstico de anemia falciforme ou talassemia maior 

– Obesidade grau 3: Índice de Massa Corporal ≥40kg/m2 

– Cirrose Hepática: Diagnóstico de cirrose hepática em qualquer estágio 

– Síndrome de Down: Trissomia do cromossomo 21 

– Gestação ou Puerpério com comorbidades: Gestantes e mulheres em período de até 45 dias após o parto portadoras de comorbidades listadas nesta tabela

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções