Diário da Manhã

sábado, 10 de abril de 2021

Notícias

 Mais recentes

Prefeitura reforça orientação para vacinação de idosos em situações especiais

02 março
09:15 2021

Atendendo às recomendações do Centro Estadual de Vigilância em Saúde e do Departamento de Atenção Primária e Políticas de Saúde, a Prefeitura reforça os procedimentos adotados para a vacinação da população idosa, com condições especiais, como imunossuprimidos (pacientes com redução de defesa do sistema imunológico), a exemplo de oncológicos e transplantados.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), os idosos nessas condições passarão por anamnese (entrevistas), para avaliação de seu estado geral de saúde, antes de receber a vacina contra a Covid-19. “Esse procedimento é fundamental para a segurança da vacinação em idosos. Sabemos que a resposta do sistema imunológico dessa população é diferente de um adulto jovem. Por isso, a importância dessa estratificação de risco”, reforça a coordenadora da Vigilância, Aline Machado da Silva.

Saúde esclarece que algumas condições precisarão de liberação médica

Entrevista para check list

As equipes que realizam a vacinação aplicam um check list com as seguintes perguntas básicas:

– se o idoso apresentou sintomas gripais dentro das últimas quatro semanas ou doenças agudas febris moderadas ou graves;

– se é portador de doenças reumáticas imunomediadas;

– se é paciente oncológico, transplantado ou demais casos de imunossuprimidos; e,

– se já apresentou reação anafilática confirmada a uma dose anterior de uma vacina Covid-19 ou a qualquer componente da(s) vacina(s).

Caso a resposta seja sim para alguma das situações, o paciente não receberá vacina no momento e será necessário um atestado médico do profissional que acompanha o idoso.

Contraindicação para este grupo

Há contraindicação à hipersensibilidade ao princípio ativo ou a qualquer componente das vacinas (CoronaVac e Oxford/AstraZeneca). Pacientes que fazem uso de imunoglobulina humana devem ser vacinados com pelo menos um mês de intervalo entre a administração da imunoglobulina e a vacina, de forma a não interferir na resposta imunológica.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções