Diário da Manhã

segunda, 11 de novembro de 2019

Notícias

 Mais recentes

Estudo da UFPel monitora a saúde de idosos em Pelotas desde 2014

02 outubro
08:57 2019

O projeto é multidisciplinar, com a participação de docentes e discentes da Faculdade de Nutrição, da Faculdade de Odontologia, do Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia, do Instituto de Biologia e da Faculdade de Enfermagem.

Além disso, a Universidade Católica de Pelotas também participa do estudo que conta ainda com a parceria da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde.

O objetivo do estudo é monitorar a situação de saúde dos idosos, analisando fatores ligados ao envelhecimento saudável e mortalidade prematura. De acordo com a professora Renata Bielemann, que integra o projeto, as análises ajudarão no planejamento de políticas públicas voltadas para a saúde e qualidade de vida das pessoas idosas. “Estudamos os principais problemas de saúde desta população e os empecilhos para uma melhor evolução do quadro de envelhecimento. A ideia é verificar fatores que possam promover uma redução da incapacidade e, consequentemente, um prolongamento da vida em tempo e qualidade”, explica.

O estudo teve início no Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia e, atualmente, está ligado ao Programa de Pós-Graduação em Nutrição. Em 2014, os participantes visitaram 1451 idosos de diversos perfis e localidades da Zona Urbana de Pelotas. Na ocasião foram realizadas entrevistas com o objetivo de analisar temas como sarcopenia, ambiente domiciliar, fragilidade, depressão, fatores de risco para doenças crônicas, dependência para compra, preparo e ingestão de alimentos, consumo de laticínios, osteoporose, quedas, atividade física, qualidade da dieta, obesidade geral e abdominal, inadequação do uso de medicamentos, auto percepção de saúde e saúde bucal.

TRABALHO teve início no Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia

TRABALHO teve início no Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia

Nos anos seguintes, em 2016 e 2017, os idosos foram acompanhados por contato telefônico ou presencial e foi realizado o monitoramento de óbitos. O acompanhamento observou as hospitalizações, quedas, fraturas, diagnóstico médico de morbidades, atividade física, utilização de medicamentos e independência funcional dos idosos.

NOVAS ENTREVISTAS

Para 2019 estão previstas visitas domiciliares para aplicação de questionários. Renata salienta que as entrevistadoras são estudantes do sexo feminino, identificadas com o crachá do Mestrado em Nutrição e que há um contato anterior pelo telefone para avisar sobre a visita.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções