Diário da Manhã

domingo, 01 de agosto de 2021

Notícias

 Mais recentes

SEGURANÇA PÚBLICA : Feminicídio preocupa no RS

SEGURANÇA PÚBLICA :  Feminicídio preocupa no RS
14 junho
09:12 2021

Indicadores mostram redução nos homicídios, latrocínios e roubos de veículo

Maio encerrou com oito feminicídios, um a mais que no mesmo mês do ano passado (14,3%). No acumulado desde janeiro, contudo, o Estado ainda mantém redução nesse tipo de crime, com 42 casos, um a menos na comparação com igual intervalo de 2020 (-2,3%). A informação é da Secretaria da Segurança Pública (SSP), que também divulga demais indicadores.

HOMICÍDIOS – O número de vítimas de homicídio em maio caiu 29% na comparação com igual período de 2020, passando de 176 para 125. No acumulado desde janeiro, a queda é de 20,2%, com uma soma de 673 óbitos contra os 843 registrados do primeiro ao quinto mês do ano anterior.

LATROCÍNIOS – Foram registrados três casos em todo o Estado, um a menos (-25%) que no mesmo período do ano passado. A comparação com o pico de ocorrências, justamente no primeiro ano do monitoramento, com 16 casos, o dado atual representa uma redução de 81,3%.

ROUBO DE VEÍCULOS – O acumulado de roubos de veículos entre janeiro e maio também caiu neste ano para a menor soma desde que a SSP começou a contabilizar esse tipo de crime no RS. Foram 2.312 casos, 44,9% menos que os 4.195 registrados nos cinco primeiros meses do ano passado.

ATAQUE A BANCO – Em relação aos ataques a banco, o resultado de maio ajudou a encolher a alta verificada no cenário acumulado. Entre janeiro e maio, o RS soma 27 casos, quatro a mais que em igual período do ano passado, o que representa alta de 17,4% (até abril, esse índice estava em 46,7%, puxado pelo aumento pontual em ocorrências de furto naquele mês).

TRANSPORTE COLETIVO – Já nos roubos a transporte coletivo, os registros acumulados entre janeiro e maio estão em queda na comparação com o mesmo intervalo de 2020. O Estado soma 503 casos frente aos 544 do ano anterior, uma baixa de 7,5% e o mais baixo total em cinco meses desde o início do monitoramento.

Notícias Relacionadas

Comentários ()

Seções